Neo City Uol

O que aconteceu após o golpe militar de 17 anos atrás...


    4º Círculo Infernal - Lua -

    Compartilhe
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Sab Jan 16, 2016 3:35 pm

    Yumi olhava a sala de tesouro abismada com o que via. Era muito ouro e pedras preciosas em um só lugar.

    Ela caminhava sobre aquele ouro, e sentiu seus pés afundando como se fosse neve. Olhava ao redor, mas acabou tropeçando em um castiçal, se abaixou e suspende-o. Era de ouro, todo decorado de rubis com um discreto emblema talhado nele. O mesmo que Venkar teria visto na mochila que Yumi tinha ao se conhecerem.

    - Então saquearam a nossa casa...

    Ela falava baixo e se agachava soltando o castiçal delicadamente. Mas, de todas as riquezas do local, o que chamou sua atenção foi o que ela definiu de "gosma preta". Seu coração batia mais rápido, "tinha que ser o fragmento de Fuyu, precisava ser" pensou ao se aproximar a passos lentos e cuidadosos. Ao chegar mais perto, observou a Serafim coberta por aquilo.

    A raposa caiu ajoelhada diante daquela imagem. Em sua concepção, ela era diretamente responsável pelo o que aconteceu a Iriel. Estava devastada, como se tivesse sido atingida no coração. As notícias ruins naquele dia, não acabavam. Ela havia pediu por ajuda e por causa disso a mãe de Tetsuya estava...

    Parou para olhá-la melhor...

    - ela está viva?!

    Falou para si quase em um sussurro. Sentia que ela serafim ainda emana um pouco de vida. A dor foi substituída pela ansiedade de tirá-la dali. E quase tocou naquela gosma suspeita, quando reparou que outros dois tiveram a mesma ideia e um destino tortuoso.

    Afastou sua mão, e pensava no que fazer quando escutou Venkar. Correu em sua direção.

    - eu poderia te julgar pela sua obsessão, mas cada raça evolui a sua forma. Eu me controlo para não sair consumindo almas a torto que é direito... Mas se você não consegue se controlar... - sua voz era baixa e congelante. Estava visivelmente decepcionada por ele só pensar em ouro, até em um momento como aquele.- vamos fazer do seu jeito...matamos todos e voltamos aqui. - apontou para onde estava anteriormente- o Cristal, a serafim e aquele livro que parece ser importante são minhas prioridades, tudo bem?!

    Tinha certeza que sua prioridade e nada era a mesma coisa para o dragão. Mas estava cansada daqueles disfarce, era hora de agir.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Venkar em Dom Jan 17, 2016 1:00 am

    Assim que tinha entrado na sala, como estava com a atenção no braço de Yumi, Venkar não tinha percebido ainda a grandiosidade do tesouro que estava naquele lugar... foi quando ela se soltou dele e andou para o centro, para a gosma negra que o dragão pôde vislumbrar a grandiosidade daquela sala do tesouro.

    Seus olhos ficaram vidrados, sua boca pendia aberta... nunca tinha visto tamanha riqueza... tamanho esplendor, tamanho tesouro! Isso tudo com certeza era a maior concentração de ouro, pedras preciosas, ornamentos que o jovem dragão já tinha visto... se lembrava das descrições de seus pais, dos vastos montes de moedas que os anciões possuíam... mas uma quantidade assim ele não conseguia imaginar... a ponto de seus pés afundar um pouco nas moedas... nas dunas de riquezas... Venkar precisou de muita, mas muita força de vontade para se manter no controle...

    Ainda havia ameaça... havia um pelotão de demônios reptilianos na outra câmara... ele balançou a cabeça, tentando secar o suor com a roupa do antebraço... porque estava escorrendo aquele líquido? Dragões não suavam, talvez era coisa desta forma inferior... pensou.

    O cheiro inebriante e a visão daquele mar dourado o fez nem prestar atenção na gosma preta nojenta e principalmente na figura que estava envolta por ela. Apesar de sua aura angelical, os sentidos do dragão estavam inundados por desejos de recolher todo aquele tesouro, de levar ao seu lar... ficar semanas rolando pelo mesmo, sentindo sua radiação... não! Precisava se focar.. Yumi, a observou ficar de joelhos diante da gosma negra e então de repente a raposa se levantou e correu até perto de si.

    Não compreendeu a princípio as palavras de sua amada e querida companheira de lar. Porque ela estava falando aquelas coisas? Suas palavras o feriram por dentro, ele havia vindo para este plano infernal apenas para protegê-la e ter certeza de que nada de mal lhe aconteceria. E tinham vindo apenas para ajudar o macho... seu irmão, como haviam descoberto. E não salvar a criatura que estava presa pela gosma negra, muito menos lutar em uma batalha que não lhe dizia respeito. Abriu a boca para respondê-la, mas logo a fechou, com força.

    A encarou de uma maneira difícil de descrever, era decepção? Ódio? Ou apenas realização de que diferente de sua prioridade, que era protegê-la, a prioridade dela eram os outros... o irmão que tentou matá-la... e agora esta que estava preso na gosma...?

    Yumi podia sentir, que pela primeira vez desde que criaram o elo pela pulseira, a mente do dragão estava fechada para ela, seus sentimentos guardados para si, ela não podia mais ouvi-lo, nem sentir sua presença em sua mente. Suas mãos estavam fechadas e tremiam um pouco. Diferentemente do que ela pensava, ele tinha uma prioridade, e era defendê-la, e o faria.... pois havia feito uma promessa... mas com certeza as coisas seriam diferentes a partir deste dia.

    Venkar se afastou alguns passos, andando para trás, e levantou a mão esquerda até o colar em seu pescoço e o puxou com força. Sentia a dor da corrente se arrebentar em sua nuca e cair no chão com um ruído metálico. Imediatamente fechou os olhos e seu corpo, meio humanoide meio escamoso começou a crescer, logo ficou de quatro, com as duas mãos providas de garras no chão. Seu tórax se alargou, mais e mais, suas roupas se rasgaram e caíram no chão, revelando por alguns segundos o seu sexo humano exposto mas logo depois escamas e couraça negra cobriram todo o seu corpo, braços pernas, o pescoço se alongou, a cabeça com os cabelos se transformaram em um medonho focinho reptiliano, chifres crescendo e se retorcendo, voltando á sua forma original. De suas costas explodiram as suas asas, logo formando as membranas, o mesmo acontecendo com sua cauda, que crescia exponencialmente. Em alguns instantes apenas, no lugar onde havia Venkar-homem, agora estava a maciça presença do dragão negro que ela conhecia bem.

    Ele não disse nada, seus olhos vermelho-brilhantes revelavam muito de seu humor naquele momento. Sua raiva, decepção, ódio eram visíveis entre as escamas do seu peito, e da base de seu pescoço em um brilho amarelado incandescente, revelando seu fogo interior. Logo se virou para a grande porta de madeira que conectava com a ante-sala onde estava o pequeno exército e a escancarou para fora com a pata esquerda.

    Imediatamente após isso, Yumi podia ouvir Venkar aspirar o ar durante um curto instante e a seguida escancarou a bocarra na direção dos demônios crocodilianos. Uma torrente de chamas incandescentes e devoradoras partiu de sua boca e atingiria primeiro os soldados arcanos, mas o dragão logo moveu a cabeça, para o mar de chamas se espalhar pelas fileiras de soldados e principalmente para os indivíduos que estavam perto dos equipamentos de atirar as grandes toras de madeira.

    Suas chamas eram alimentadas por um ódio que o dragão não queria direcionar para a pessoa que causou a dor em seu coração, as palavras de Yumi queimavam em seu peito na mesma intensidade que suas chamas queimavam contra a carne de seus inimigos. Os fariam pagar pelo que estava sofrendo... pelo que fizeram com seus semelhantes dragões... pelo que fizeram com a família de sua querida.... por Yumi. Todos. Iriam. Queimar!







    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Seg Jan 18, 2016 4:42 am

    Aproximando-se melhor, Yumi ia notando gradativamente que de fato a mulher estava viva. Quase como se mantida no limiar da vida, apenas para sofrer a quase-morte constantemente. Diante das vozes, seus olhos começavam a abrir lentamente, revelando os olhos dourados, idêntico ao olho esquerdo do irmão. Não lhe restavam forças para falar; porém seu olhar se direcionava agora ao dragão, e para baixo, na direção do Gelo Negro que cobria o grosso e antigo livro. Repetia mais algumas vezes aquele gesto, como se quisesse dizer-lhe algo com aquilo.

    Ao mesmo tempo, era possivel ver o reflexo das chamas brilharem nos olhos da serafim, como um espelho a refletir a destruição que o negro causava. Suas chamas praticamente engoliam os guardas desprevenidos, de onde ouviriam gritos e grunhidos. Os sacerdotes foram os primeiros a cair, deixando os simbolos arcanos no chão quase prontos. Mas o efeito da carbonização auxiliou a desestabilizá-los, causando explosões de magia em cadeia por cada circulo de magia já feito ali, teoricamente a ultima defesa daquela resistência. As explosões iam arremessando vários guardas em chamas para todos os lados, o calor da baforada rompendo as cordas e a madeira que sustentavam as armas de cerco, que agora caíam.

    A unica coisa que realmente começava a frustrar o furioso dragão seria o fato de muitos daqueles demonios estarem se levantando, ainda em chamas! Era inegável que a baforada lhes atingira em cheio, retorcendo-lhe a carne em vários pontos, mas ainda assim parecia não ser suficiente para carbonizá-los por completo e de imediato, como se fosse necessário algum tempo para realmente matá-los daquela forma. Pareciam naturalmente resistentes ao fogo. O que não seria algo a se estranhar, afinal, aquele circulo infernal era realmente quente e àrido, além do fato de dragões viverem na mais alta casta dominante daquele lugar, pelo menos até serem depostos. Muito provavelmente corria algum sangue draconiano também naqueles demonios, o que justificaria aquela resistencia. Talvez por isso o grande e ancião dragão vermelho fosse temeroso em atacá-los sozinho antes e tivesse aguardado tanto tempo antes, e tambem justificava o fato de terem conseguido capturar e matar dragoes, afinal a soma de grande numero com resistencia e força seriam realmente uma força a se reconhecer...

    Contudo, os arcos e flechas, armas de cerco e magos pareciam ter sido de fato inutilizados, o que já era uma grande vantagem. E mesmo resistentes às chamas, aqueles demonios pareciam ter sofrido consideravelmente após aquela baforada e as explosões arcanas; talvez mais umas 3 ou 4 baforadas e estivessem completamente mortos. Ou ainda poderia usar de seu proprio corpo colossal e a força desproporcional; contra isso realmente não havia muito contra o qual resistir. Seja como fosse, cerca de 15 guardas mais próximos à porta - incluindo aquele crocodiliano que os guiara até ali! - retiravam espadas de um metal negro da bainha e começavam a se deslocar em direção a Venkar, grunhindo alto. Eram os mais atingidos pelas chamas, e a maioria parecia correr mancando, as escamas reptilianas ainda exalando fumaça com um odor de algo mal-queimado. Os outros demonios aos poucos iam se levantando, atordoados pelas explosões dos circulos de magia. Seria realmente problemático se todos resolvessem atacar de uma vez só.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Qui Jan 21, 2016 11:07 am

    A confiança de um dragão era tão frágil como um cristal e o orgulho tão duro quanto um diamante. E foi isso que Yumi aprendeu naquele momento, naquele inferno... Tão longe do lar que eles construíram juntos.

    Suas palavras duras, aborrecidas, julgadoras... Haviam atingindo como uma flecha no coração do jovem dragão. Algo dentro dele parecia ter quebrado, danificado... Ela sentiu isso em seu olhar. Mas como confirmação, ele arrancou o colar e o jogou no chão, voltando a sua forma natural.

    Por alguns segundos, a audição apurada da raposa só ouvia o som das correntes ecoarem. Ela se abaixou lentamente e pegou a corrente, que ainda exalava magia.. Mas caiu de joelhos ao toca-la. Cada segundo da transformação dele, era como horas pra ela.

    " O que eu fiz?"

    Ela se perguntava e tentava contato mental com ele. Mas estava completamente selado. Como jamais ela conseguiu aquilo. Ele havia se fechado, completamente, pra ela.

    A tristeza envolvia seu coração e sua alma. Se perguntava se ele a perdoaria um dia.. Se iria embora, se ficaria. Lágrimas escorria de seus olhos... E sua forma de raposa voltava sem que ela, ao menos, percebesse. Era um alvo fácil, mas foi arrancada de seu transe com o calor das chamas do amigo... "Amigo", ainda poderia chamá-lo assim!?

    Ela o via queimando tudo, com uma ferocidade que ainda não tinha visto. Tinha dor naquelas chamas, naquele jeito, ela o conhecia o suficiente para senti-lo mesmo que sem o contato mental. Venkar era mais para ela do que ele poderia imaginar e do que ela havia percebido. Mas ali, olhando-o... Ela sabia que o amava e que não queria perdê-lo.

    Olhava para trás perdida, não sabia o que fazer... Até que seus olhos encontraram os da Serafim. Ela não estava morta e parecia sinalizar para aquele livro congelado.

    Yumi correu até o livro e se nada a impedisse, ela o tomaria para si. Fechou os olhos ao passar a mao pelo gelo negro. Imaginava que outros seres poderiam conjura-lo, mas só conhecia um que era capaz daquilo.

    - Esse livro era de Fuy... Quero dizer.. Do meu pai?!

    Ela se perguntava e olhava para a serafim, podendo ver no reflexo de seus olhos, as chamas de Venkar. Olhou para trás e viu que o fogo não reagia tão efetivamente contra aqueles demônios, e talvez por isso existiam tanto dragões subjugados. Venkar precisava de sua ajuda...talvez?

    Respirou fundo, tentando manter a mente limpa. Chegou mais perto da serafim, mas ainda a uma distância segura.

    - o que eu faço? Não posso tocar nesse pixe...

    Apontou para os dois demônios próximos.

    Não sabia muito bem como agir, mas faria tudo ao seu alcance... E foi com esse pensamento que Yumi conjurou 3 golens de gelo e os ordenou a irem para o salão. Precisava ganhar tempo.

    Para surpresa ou estranheza do dragão, 3 golens de gelo entravam no salão. E corriam na direção dos inimigos oposto ao fogo. Ele nunca tinha visto essa magia da raposa antes, mas saberia que era dela, pois era possível sentir a magia dela vindo deles.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Venkar em Sex Jan 22, 2016 12:59 pm

    Assim que terminou a baforada de chamas, Venkar percebeu que sua tática não havia sido muito eficaz. Os demônios estavam se levantando, mesmo alguns em chamas e outros chamuscados... mas isso não o preocupou... na verdade ele estava no momento além de qualquer pensamento racional ou coerente. Escancarou a bocarra e emitiu um estrondoso rugido de desafio e saltou para cima dos monstros reptilianos que estavam mais próximos...

    Ele pousaria diretamente em cima com as garras traseiras sobre o demônio que havia os guiado até ali, o seu peso extremo o suficiente para esmagá-lo totalmente contra o chão, e usava suas patas dianteiras em amplos movimentos em arco, com a intenção de fatiar, rasgar, dilacerar os que estivessem mais próximos... ou simplesmente tirá-los do caminho, com patadas violentas e selvagens.

    Um detalhe que Yumi talvez percebesse é que quando Venkar ficava enfurecido, ele entrava em uma espécie de frenesi assassino, um estado berserk. Só parando quando todos os oponentes tivessem mortos e seus pedaços espalhados pelo chão. Por isso ele mal notou os golens de gelo indo na direção dos demônios mais distantes de onde ele havia concentrado o seu fogo. Venkar não sentiria dor, neste momento, das estocadas que viesse a receber, isto apenas aumentava ainda mais a sua ferocidade e violência. Era.... perigoso tentar se aproximar ou até argumentar com ele neste instante.

    Rugia alto, mordia, arranhava, aplicava garradas e até golpes de sua cauda em todos que tentassem se aproximar. Era um oponente terrível contra aqueles demônios reptilianos, agora sem os seus feiticeiros e suas armas de atirar os enormes troncos de madeira.

    Devido a estar de costas e também em seu estado atual, ele não percebeu como sua querida companheira ficou infeliz com a situação, como o seu gesto de tirar o amuleto a deixou. Em sua mente havia novamente apenas um objetivo. Matar.

    Só se acalmaria, e mesmo assim um pouquinho, respirando ofegante, depois que todo o contingente inimigo estivesse morto. Talvez o barulhão do combate e dos rugidos fosse audível para Tets e Artêmia se a sala onde estivessem fosse relativamente perto.
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Sab Jan 23, 2016 4:06 pm

    A serafim parecia nao conseguir sequer abrir a boca, mas era possivel ver o esforço que fazia, haja visto a movimentação sutil de alguns musculos faciais.O rosto torcia-se em dor quando tentava, em vão, dizer algo. Novamente parecia focar o olhar nas chamas draconianas, e volvia o olhar ao gelo negro. Talvez as chamas conseguissem derretê-lo? A tarefa mais dificil, porem, provavelmente seria conseguir convencer um dragão já raivoso e irritado com Yumi a ajudá-la, do que propriamente libertar o artefato que poderia ter sido de Fuyu.Enquanto isso, os guardas tentavam atacar a enorme e enfurecida criatura, que agora despejava golpes quase cegos contra tudo.

    -Ataquem, ataquem! Não recuem, essas armas foram feitas para....!!

    O demonio esmagado pareceu oferecer uma breve resistencia, mas rapidamente vencida pelo peso bruto do dragão, deixando em seu lugar apenas uma poça de sangue e retalhos de carne e ossos. Ainda assim, comprovava a resistencia daqueles guardas, que pareciam igualmente motivadospelo frenezi - especialmente aqueles já parcialmente queimados ou ainda em chamas, que brandiam as armas de metal negro, cravando ou desferindo golpes quando podiam contra a pata do dragão, instantes antes de serem arremessados ou golpeados para longe. Apesar da grossa camada de escamas do dragão, cada golpe desferido por aquelas armas - por menores que fossem comparativamente ao seu tamanho - pareciam conseguir penetrar mais profundamente na carne do que outras. Não era de se estranhar; estavam se preparando para combater um dragão, afinal, embora fosse um diferente do que esperavam.

    Vários e pequenos cortes e furos aflingiam Venkar em torno das patas e cauda; não o suficiente para matá-lo ou incapacitá-lo, mas a soma de tantos certamente seria bastante doloroso, tão logo a adrenalina que lhe percorria o corpo cedesse. Os demonios iam caindo um após o outro, dilacerados por garras, esmagados entre a cauda e a parede. Sobraria realmente pouco serviço para os golens de gelo, que conseguiriam atacar - em segurança sem serem obliterados pelo dragão - apenas alguns sobreviventes aos golpes, jogados contra o chão ou a parede, finalizando o que o dragão iniciara, cravando seus braços de gelo puntiforme contra o torax dos guardas agonizantes. O ataque de Venkar foi algo relativamente rápido, durando talvez no máximo meio minuto. E Yumi poderia novamente confirmar quão eficiente e adepto à destruição e morte um dragão era.

    Ao fim de tudo aquilo, restaria apenas vários cadaveres espalhados, alguns jogados contra os montes de ouro, a maioria jogada a vários metros de distancia. Alguns corpos ainda crepitavam em chamas, deixando no ar um cheiro nauseante de carne crocodiliana corrompida, impalatável. O silencio tomaria conta do enorme salão, onde poderia-se ouvir apenas a respiração ofegante do dragão, seguida do rugido.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Seg Jan 25, 2016 6:48 am

    O gelo negro era conhecido por sua resistência, era provável que fogo comum não o derretesse... Mas.. Yumi olhava para trás, na direção das chamas que vinham de Venkar, aquele fogo não era comum. Ele era a pura essência de um ser.

    Voltava os olhos para a Serafim, a sua dor e orgulho não queriam que pedisse algo ao dragão... Mas ela precisava fazer.

    Quando o combate acabou, ouviu o rugido feroz do dragão. Sentiu um frio na espinha, Venkar era de fato assustador... E depois do primeiro contato que teve com ele, essa era a primeira vez que ela chegava a essa conclusão.

    Os golens com seu andar troncudo, corriam na direção de Yumi.

    - Tentem tirá-la dai... Sem machuca-la...

    Ela não podia tocar naquele pixe, ao menos acreditava que não... Mas os golens de gelo poderiam ter mais sucesso. Que iriam se aproximando e afundando seus braços no pixe, por baixo do corpo dela. Se tivessem sucesso, iriam puxa-la para fora aos poucos.

    - Ven... - respirava fundo- Venkar.. Será que você poderia me emprestar um pouco do seu fogo?

    Yumi estava abraçada ao livro congelado, mas ao pedir colocou ele no chão, em cima das moedas de ouro.

    - esse gelo negro, não derrete facilmente... Mas... Mas.. Suas chamas talvez sejam o que preciso - ela pedia sem graça, triste. O colar dele ainda pendurado em uma das mãos. Estava visivelmente triste e envergonhada de pedir algo a ele.... Depois de tudo.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Venkar em Seg Jan 25, 2016 9:57 am

    Assim que o último demônio caiu sem vida, uma parte de cada lado após uma mordida selvagem, Venkar levantou o grosso pescoço e soltou um estrondoso rugido de vitória. Para Yumi ele estava em uma posição imponente e assustadora, ele ainda a reconheceria como amiga? Não parecia mais o dragão calmo que ela conheceu e viviam junto no lago.

    Olhou para a esquerda, depois para a direita, respirando ofegante... não haviam mais oponentes vivos... nem mesmo inteiros. Os corpos mutilados jaziam em todos os lados... manchando o dourado das moedas de vermelho, alguns demônios estavam irreconhecíveis, outros queimavam ainda conforme as chamas iam comendo lentamente o seu couro. O fedor de carne assada enchendo o ar.

    Neste momento é que Venkar começou a sentir as dores em suas patas dianteiras, e levantou a direita para inspecioná-la, havia cortes e perfurações profundas bastante dolorosas. O seu sangue vermelho escuro escorria por entre suas escamas negras, manchando o chão. Emitiu um rosnado baixo, de dor, nada tão assustador quanto o rugido anterior, parecia quase um gemido.

    Porém havia uma dor ainda pior em seu peito, as palavras de Yumi queimavam em sua mente...  dentre todas as criaturas que conheceu, ele esperava que pelo menos ela visse além da fachada de sua raça, de sua ferocidade, sua natureza gentil e fiel. Mas tudo havia se desfeito após suas palavras duras, julgadoras... ela achava mesmo que ele não se importava com ela? Que apenas o ouro lhe era importante? Suas palavras diziam que sim... fechou os olhos. Fazia força para não sucumbir á dor dos ferimentos em seu corpo e na alma.

    Foi quando a ouviu o chamar. Ela precisava de ajuda... é claro, ela não se importava com ele... apenas com quem estava presa... e com o seu irmão. Quão tolo havia sido... ela apenas precisava de sua força e de seu fogo. Se virou e caminhou devagar na direção de Yumi e do grosso livro que ela havia depositado no chão... sequer notou seus ferimentos, a trilha de sangue viscoso que escorria por entre suas escamas. Isso provava para o dragão que ela realmente não se importava com ele... precisava apenas do seu fogo.

    Sequer sem a olhar, Venkar observou o livro com o gelo negro. Queria ir embora daquele plano infernal. Abriu a bocarra e se concentrou em seu fogo interior. Logo seu pescoço ficou iluminado em vermelho e ele soprou por sobre o gelo o seu hálito incandescente. As moedas de ouro por baixo esquentavam a ponto de derreterem, formando uma crosta dourada por sob o livro. Soprou durante alguns segundos. Pararia após ela sinalizar ou pedir.

    Devido ao seu estado, Venkar não parou para prestar atenção na aura angelical da figura presa no piche negro. Ele sequer olhava na direção. Após soprar o fogo, ele se sentou nas garras traseiras, e passou a lamber as patas dianteiras, para limpar um pouco o sangue que ainda brotava lentamente de suas inúmeras feridas. Rosnou então, em um tom neutro.

    - Caso não precise mais de mim, eu gostaria que abrisse o portal de volta.
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Ter Jan 26, 2016 4:31 pm

    O gelo negro que envolvia o livro parecia ser ainda mais robusto e resistente que aqueles demonios; o ouro já fumegava quando o gelo dava seus primeiros sinais de ceder. Mas pouco a pouco o gelo negro foi derretendo a ponto de conseguir liberar o livro rústico, de capa de uma espécie de couro azul escuro metálico. Enquanto isso, os golens pareciam ser puxados pouco a pouco pelo pixe, sem qualquer sucesso de liberar a serafim. Pelo contrário, pareciam ter a energia drenada, de forma que a cada segundo seus corpos iam reduzindo em tamanho, deixando pedaços de gelo soltos no chão, literalmente desfazendo-se.

    O livro agora liberto radiava uma energia mágica intensa, mas muito serena, como um sol grandioso que limitava-se a aquecer pacificamente a mais delicada planta. Parecia conter naquele artefato uma presença que lembraria muito a de Fuyu, nas ocasiões em que a raposinha filhote o via conversando com o pai adotivo. E a idéia de abri-lo era extremamente tentadora, mas agora Yumi poderia ver várias peças de ouro serem molhadas pelo sangue que vertia das patas doloridas do grande dragão. Não eram feridas que poderiam causar-lhe a morte, semelhante a um escravo a sofrer muitas chibatadas.

    A serafim apenas observava os dois, com certo pesar; a dor e incapacidade que a pixe lhe causavam eram enormes, mas ainda havia espaço para sentir mais dor, ao ver os dois interagindo entre si daquela forma. Afinal, ela pudera ver anos atrás a união sólida entre ambos, ainda que brevemente. Via agora apenas dois conhecidos entre si.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Ter Jan 26, 2016 6:25 pm

    Yumi olhava atenta o gelo derreter, por mais resistente que fosse, pouco a pouco ele iria cedendo. E foi o que finalmente aconteceu. Ela se ajoelhou e desceu a parte dianteira do corpo, tomando cuidado para não tocar no ouro derretido. Ela pegava o livro e o colocava de lado.... A energia que saia dele, reconfortava seu coração, mas doía também.. O que não daria para poder abraçá-lo, reconhecendo-o como pai?! E sua mão se direcionou para o livro, que parecia chamá-la, quando gotas de sangue negro pingaram no ouro.

    Yumi levantava a cabeça lentamente. Nunca tinha visto Venkar sangrando e não entenderia o que aquilo significava se não tivesse visto suas patas machucadas.

    Ela levantou em um pulo, preocupada e se sentindo mal por não ter percebido antes. Claro que ele poderia ter se machucado...

    Mas suas palavras secas a fizeram suspirar pesadamente.

    - não fala assim... Você não é meu servo, e eu sempre vou precisar.... Da sua companhia..

    Sua voz era triste. Queria ajudá-lo. Queria mostrar pra ele o quanto era importante para ela. Yumi, vinha treinando para se transformar em dragão. Mas por ser um animal muito grande, ela estava tendo dificuldades realmente elevadas. Tanto em ficar em uma forma perfeita, quanto pra permanecer nessa forma por muito tempo, devido a energia excessiva que ainda gastava. Mas os detalhes não importava no momento. Ela precisava tentar mostrá-lo a importância que ele tinha para ela.

    Mas suas preocupações estavam divididas. Olhou os golens e os viu se desfazendo, aquele piche não era simples e talvez a resposta de tudo estivesse no livro. Mas....

    Ela voltava os olhos para o carrancudo dragão e suspirou mais uma vez. Não tinha jeito, precisava tentar.

    Sua aura fria foi se expandindo pela sala, e pequenos flocos de neve a circundava fazendo algo como um redemoinho em torno dela. Era sua característica de metamorfose, isso Venkar saberia, mas o que ele talvez não esperasse é que ela iria se transformar em uma dragonesa de couro marrom e acizentado,assim como era os pelos de suas caudas, e de olhos dourados. Ela era cerca de 2 metros mais baixa que ele, mas existiam alguns "defeitos" como ter 5 caudas em vez de uma e suas orelhas lembrarem muito em sua própria forma.

    Ela o olhava meio tímida, pelas falhas de sua transformação. Mas falava em sua voz grutural:

    - deixe-me ver seus ferimentos, talvez eu possa aliviar um pouco a sua dor.

    E andando sobre 3 patas, ele poderia ver que na segunda pata dianteira ela parecia segurar fortemente algo muito pequeno, preocupada de perdê-lo.

    - eu queria te mostrar quando estivesse perfeito... Me desculpa pelo o que eu disse...eu não estou bem.., eu não pensei direito...

    Para a Serafim que via tudo aquilo, talvez não fosse surpresa a habilidade de Yumi, mas se ela não soubesse que era filha de Fuyu, a aura da raposa que se expandiu por toda a sala, lembraria a serenidade de quem um dia foi seu amado.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Venkar em Qua Jan 27, 2016 8:38 am

    Finalmente após suas chamas se extinguirem, e depois de lamber suas feridas, é que Venkar levantou os olhos e observou pela primeira vez com atenção quem é que estava presa naquela gosma negra. Percebeu os contornos parcialmente visíveis e a aura de paz e tristeza que emanava. Os olhos da fera também demonstravam infelicidade, mas só de olhar para ela seu espírito parecia ficar menos pesado. Percebeu que desejava tirá-la dali, mesmo não tendo certeza de quem ela era. Ela merecia ser salva.

    Baixou o focinho e olhou Yumi pela primeira vez após suas palavras duras, notou como ela também estava muito triste... talvez, suas conclusões estivessem erradas? Talvez ela se importasse com ele afinal.

    Ouviu suas palavras e podia sentir o quanto ela estava arrependida, ela ainda o queria como companhia. Mas Venkar era teimoso... ele pensava, palavras e atos eram duas coisas muito diferentes. Abriu a bocarra para respondê-la de um modo seco novamente, quando percebeu a temperatura ficando mais baixa, se calou ao ver que era Yumi realizando algum feitiço de metamorfose.

    Venkar não estava preparado nem em seus sonhos mais profundos diante do que acontecia á sua frente. Yumi, a raposinha com quem gostava de viver e ter companhia... se transformando em uma dragonesa diante de si! Ficou com a bocarra escancarada, de surpresa e assombro! Não teve nem tempo de pensar que ela estaria escondendo isso, pois ela logo explicou que estava tentando fazer isso... como uma surpresa, para ele! E se desculpou, isso foi o suficiente para o coração negro do dragão se desmanchar e ele se aproximou a passos lentos.

    Não sentia mais a dor de suas feridas em suas patas dianteiras, sentia somente alegria, feliz por estar enganado, feliz por saber que Yumi gostava dele a ponto de fazer isso, mudar seu próprio corpo.... avançou o focinho e o roçou no pescoço dela. Era um gesto claro de carinho e afeição, e rosnava entre soluços. Venkar, o dragão feroz e assustador... estava emocionado!

    - ... está perfeita Yumi...! Perfeita! Está linda...! Está tudo bem... eu... eu entendi errado, me desculpe pelo que eu disse...

    Afastou o focinho para olhá-la nos olhos, ela podia ver o quão ele estava feliz e ansioso para que as coisas ficassem como antes, chegou até a aproximar mais e lhe dar uma lambida no focinho dela. Finalmente notando o que tinha em sua garra dianteira, era o colar que ele tinha arrancado!

    - Você o guardou... me desculpe pelo que fiz... eu também não estava pensando direito...

    Um brilho de determinação iluminou seus olhos em fenda. E encarou a fêmea que estava presa na gosma negra, e logo voltou a fitar Yumi. Sua voz agora era firme e gentil.

    - Vamos, precisamos tirá-la daqui e encontrar o seu irmão.


    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Sab Jan 30, 2016 7:54 am

    As feições faciais da loira coberta pelo pixe negro pareciam aliviar brevemente com o frio que tomou conta do grande salão. Com aquelas novas dimensões, Yumi poderia notar do alto que a queda na temperatura parecia ter feito aquele pixe recuar um pouco, liberando alguns centimetros do corpo da serafim. Um suspiro fraco saiu de seu peito; um discretissimo sorriso se fez no rosto antes perfeitamente simétrico e delineado da loira; estava de olhos fechados, mas ouvia com clareza a reconciliação. Ainda nao tinha força para mais do que aquilo, afinal.

    Mas algo deu forças para que a loira abrisse os olhos dourados repentinamente: o livro enclausurado no gelo, agora liberto, liberou uma espécie de "pulso" duplo, vibrando numa aura intensa, demoníaca, mas ao mesmo tempo serena e calma. Uma energia poderosa, mas familiar. Intensa, mas confortante.E pulsou novamente. "Tum-tá"."Tum-tá". Como se ali houvesse um coração batendo, dentro daquele livro. Como se reagindo àquela energia, o pixe começou a se deslocar lentamente da serafim em sua direção, buscando devorá-lo também, como fizera com os golens, os demonios e a serafim.

    O livro grosso, de couro começou lentamente a flutuar, ainda pulsátil. Tão logo o pixe negro se aproximou mais, uma rajada congelante desprendeu-se da parte inferior, criando uma espécie de pedestal de gelo negro, sobre o qual o livro agora se apoiava. O tentáculo de pixe foi bruscamente cristalizado, um congelamento impiedoso e seco, que foi se espalhando na direção da serafim. Como se buscasse uma forma de impedir aquilo, o tentáculo de pixe negro se soltou do corpo principal, como um lagarto a sacrificar a cauda para nao ser morto. O tentaculo de pixe, completamente envolto pelo gelo negro caiu ao chão, despedaçando-se em vários fragmentos menores de gelo. O livro, quase vivo, pareceu dar pouca importância para o tenebroso pixe, e se abriu. Dezenas de páginas viraram-se rapidamente, até parar aproximadamente no meio. E parou de pulsar.

    O título parecia vibrar numa energia azul-clara naquela página, em letras cursivas levemente inclinadas em itálico. "Tenebris Glaciem", eram as palavras que poderiam ser lidas ali. O restante do texto parecia embaralhar-se, como se as letras brilhantes dançassem, formassem círculos e figuras geométricas, números saltando de uma página para a outra. Era de fato um artefato fantástico.

    O pixe negro permaneceu ali, escorrendo lentamente sobre si proprio como uma grande torre, tocando do teto até o chão, provavelmente aprofundando-se por debaixo do ouro. Em seu centro, a serafim ainda envolta, além dos dois demonios perto da base, já mortos, com braços e pernas engolidos.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Qua Fev 03, 2016 2:15 pm

    O coração da raposa em forma dracônica se enchia de alegria pela reação do jovem dragão. Ainda tinha um longo caminho pela frente, mas ao menos Venkar havia gostado daquela versão, e isso já a deixava muito feliz.

    Ele lambeu o focinho dela, e Yumi pôde experimentar um exemplo de como era a troca de afeto entre dragões. Mas era bom, até mesmo para ela que sentia tudo pela primeira vez.

    Em resposta as desculpas e a lambida, Yumi enroscava a cabeça dela no pescoço dele, como em um abraço.

    - guardei sim... Para o caso de você mudar de ideia.... - Respondia esperançosa que eles pudessem viver naquelas duas formas dali pra frente. - Sua pata.. Tem certeza que não quer que eu veja?

    Enquanto "abraçava-o" ela viu por cima de sua lombar a reação do piche ao frio... Então ela tinha a solução todo aquele tempo e não sabia. Se afastou de Venkar, mas antes que pudesse fazer algo o livro se mexeu... Mas precisamente começou a flutuar e dele fluir uma energia familiar, o piche por sua vez reagiu de forma agressiva.

    - não toca nesse coisa negra... É perigoso.

    Falou, enquanto se afastava alguns passos, e observava o contra ataque do livro. "Então o gelo, de fato, o combate.." Ela pensou.

    Quando o livro abriu, Yumi olhou, mais uma vez, com surpresa. Tentou ler, mas teve uma dificuldade enorme... Não estava adaptada aquele corpo. Para ela, ainda era difícil fazer qualquer coisa relacionada a objetos pequenos... Por fim desistiu... Leria depois... Talvez Venkar pudesse ler pra ela. Naquele momento, havia algo mais importante pra fazer.

    Não era a primeira vez que fazia aquilo, treinava até a baforada... Porque naquela forma, era uma das poucas coisas que poderia fazer com sua magia. Mas, com certeza, seria a primeira vez que faria algo tão grande.

    Yumi inspirou, e Venkar veria que luz azulada vinha dentro dela, da mesma forma que nele vinha suas chamas. Ele talvez se perguntasse o que mais ela poderia fazer naquela forma... Até onde conseguiria passar por um dragão genuíno, quando sua metamorfose estivesse perfeita. Da boca da raposa dragonesa saíram cristais de gelos. Ela virava a cabeça de um lado para o outro, não queria deixar nem um canto daquela sala sem está congelada. Apenas tomava cuidado para que o gelo só iniciasse a partir dela, deixando Venkar livre, e para que a Serafim não tivesse as partes do seu corpo, que estavam livres, congelado.

    Aquela magia era idêntica à que Venkar estava acostumado. Apesar da forma que foi conjurada. Yumi olhava atenta e aflita a qualquer movimento ou contra ataque da gosma negra.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Venkar em Ter Fev 09, 2016 1:59 am

    Apreciou imensamente o gesto de Yumi, de enrolar o pescoço dela ao seu próprio. E ele fez o mesmo, retornando o "abraço" mas logo se soltaram. Ela podia ver nos olhos da grande fera negra que ele estava muito feliz, quase como que se os acontecimentos passados não tivessem nem existido.

    Assim que se desenroscaram, ele baixou os olhos para o amuleto com o cordão rompido que ela lhe mostrava, ao falar que guardou para que ele pudesse voltar á forma humanoide. Rosnou em um tom baixo e gentil, abanando de leve a cabeça para os lados.

    - Minha pata pode esperar, Yumi. Guarde o colar, eu o usarei mais vezes assim que retornarmos para o nosso lar.

    Quase que ao mesmo tempo em que ela tinha visto o livro se levantar em pleno ar e reagir com uma rajada de frio intenso contra o piche negro, o macho avançou um pouco, mesmo que sem necessidade, e ficou na frente da raposa-dragão a fim de protegê-la de um possível ataque da substância negra. Observou como o livro reagia e emanava uma energia reconfortante e benigna. Compreendeu quando o tentáculo negro se cristalizou e caiu no chão de moedas se espatifando. Aquela coisa era vulnerável ao frio... e possivelmente resistente ao seu fogo.

    Então deu passos lentos para trás, dando espaço para sua companheira, pois sabia que seu elemento natural era o frio, o gelo. Assim que ela falou, acenou o focinho, a respondendo.

    - Não tocarei. Vou vigiar a entrada, para que nenhum demônio-reptiliano não nos pegue de surpresa.

    Antes de se afastar, porém, olhou para o livro e para Yumi que se aproximava. Ela parecia conseguir ler o que estava escrito, então deixou que ela cuidasse da substância negra. Notou então o brilho branco-azulado e logo ela abriu sua bocarra e expeliu seu hálito congelante, composto de uma rajada congelante, inclusive com cristais de gelo, que conforme ela movia a cabeça se espalharia por todo o piche e parte das moedas. Ela se tornou uma dragonesa autêntica! Pensou impressionado enquanto se esquecia de vigiar a porta... só a observando trabalhar.
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Qui Fev 11, 2016 5:27 pm

    Aquela substancia amorfa, negra, parecia lentificar-se em seu deslizar para baixo eterno, com aspecto de estar sempre escorrendo. Parecia novamente retrair-se, tentando recuar, mas ainda estava intacta. Tão logo a temperatura do ambiente começava a cair e quase como se pudesse enxergar a baforada gelada, o livro começou a flutuar novamente, indo na direção da dragonesa. Parecia emitir pequenos pulsos, como um artefato que de tão carregado em magia que mal podia suportar-se a si mesmo. E como se a baforada não fosse nada, o livro atravessou-a, passando de frente à sua boca a uns 2m à sua frente, e novamente exibiu-lhe as palavras.

    As letras incompreensíveis começavam a dançar, mesclando, fundindo, dividindo-se como se cada uma fosse um ser vivo independente, numa dança mística sobre as páginas do livro. E começavam a vibrar, brilhando para fora das páginas, emitindo uma luz intensa que parecia queimar suas palavras na retina, no fundo dos olhos de Yumi. Gravava o conhecimento daquela página no mais íntimo do ser, quase como se aquele conhecimento sempre estivesse ali, adormecido na memória da garota. Não que doesse, mas sentiria-se levemente zonza, com a cabeça leve, como quem dedica-se a um trabalho intelectual por muito tempo, trazendo consigo um cansaço mental. E estranhamente, quase que por reflexo a baforada da dragonesa começava a adquirir um tom azul-marinho profundo, os cristais de gelo adquiriam um aspecto hexagonal, reticulado, de uma complexidade incrível, como se cada floco de neve se tornasse um circulo de magia - ou melhor, um hexágono. O ar soprado entre os cristais parecia se liquefazer, devido à queda brusca de temperatura dentro daquele cone gélido.

    E enquanto antes a baforada parecia apenas retardar o movimento, agora cristalizava aquela substancia negra imediatamente, fraturando-a em pedaços infinitesimais pela alteração repetina e brusca. A baforada de Yumi parecia congelar de forma imediata, literalmente varrendo tudo em seu caminho, de uma forma perigosamente destrutiva. E em pouco tempo, o enorme pilar de pixe no meio da sala estava reduzido a uma pilha de cristais de gelo negro, cada qual aprisionando uma parte daquele pixe no frio eterno. A serafim finalmente se desprendia, seu corpo caindo para frente, amortecido pelas moedas e a fria neve negra que agora se estendia pelo salão. Uma lágrima de alívio, talvez de saudade,escorria de seu rosto emagrecido conforme sentia mais uma vez aquele gelo único à linhagem daqueles demonios vulpinos, que a lembrava de Fuyu.

    Por sorte a baforada era rápida em seu efeito, pois mantê-la por mais tempo que aquilo era quase impossível; o gelo negro que Yumi agora herdava do pai era algo realmente poderoso, mas dispendia muito mais energia que o convencional. E assim, o livro fechava-se, caindo em meio às moedas de ouro, lentamente reduzindo as pulsações.As paredes estavam cobertas pelo gelo negro, dando um belo aspecto que contrastava com o dourado do ouro e jóias.

    Nenhum demonio havia vindo ainda, mas dificilmente aqueles teriam sido os ultimos; mais provável seria se estivessem se reagrupando, rearmando, se preparando para uma ofensiva mais efetiva contra o dragão negro e a raposa; afinal aquele silencio e quietude eram muito atípicas considerando-se que estavam no centro das atenções da Casa sem Janelas. Como o olho de um furacão.

    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Ter Mar 01, 2016 11:34 am

    O gelo produzido por Yumi, afastava mas não causava dano àquele pixe negro. Ela pensava na possibilidade de usar na direção da serafim, para que o pixe se retraisse e ela conseguisse puxar a serafim para ela. Mas enquanto procurava arquitetar um novo plano, naqueles segundos, o livro veio em sua direção ignorando aquela baforada intensa de gelo.

    "Mas o que..?" - ela pensou ao ve-lo vindo em sua direção daquela maneira. As palavras que antes ela mal conseguia ver, ficaram claras em sua mente. Elas eram misticas e dançavam diante de seus olhos. Mas quando elas penetravam nos olhos da demonesa, ela sentia como se aquele conhecimento sempre estivesse lá.

    "Mas como...?" - ela se perguntava confusa, mas agora ela sabia. O gelo negro que sempre quis aprender...ela já sabia? estava ali, adormecido, o tempo todo?! Sua cabeça ficou levemente pesada e cansada, como o novo conhecimento. Balançava um pouco para os lados como se aquilo a ajudasse a organizar as ideias.

    O gelo que saia de sua baforada agora era negro. Venkar sentiria, claramente, a potencia e a nova magia daquele gelo. O pixe finalmente começou a ser afetado, mas aquilo parecia ter tido um efeito em cascata. O gelo negro envolvia todo o pixe até sua origem, embaixo do piso. Yumi jamais imaginaria de onde aquele pixe vinha, mas o gelo negro parecia caça-lo.

    Todo aquele evento a esgotou, saindo de sua forma draconica para voltar a sua forma de origem. Mas, ao contrario de Venkar ela voltava vestida. Independente da forma que ela se transformava, suas roupas não eram destruidas. Talvez ele pudesse tentar aprender sobre isso com ela depois.

    Yumi estava deitada no chão frio de olhos fechados, respirava pesadamente procurando recuperar seu folego. Na sua mão esquerda estava o colar, que lentamente ela colocou no pescoço. Abriu os olhos e viu o livro caído ao seu lado, não pulsava mais. A sua frente a Serafim estava livre. Procurou com olhos o cristal que estava no pixe, mas voltou a atenção para a feição dela. Ela estava viva, fraca mas viva. A demonesa sorria boba, estava feliz por seu irmão. Respirou fundo e se colocou de joelhos e foi engatinhando até a Serafim.

    - Por favor, continue viva...

    Ao dizer isso Yumi estendia as mãos na direção da Serafim e delas saíam uma luz azulada e fria. O corpo da Serafim era completamente envolvido e daquela forma quase toda a energia que tinha restado, Yumi passou para ela. O suficiente para não ficar inconciente, mas o bastante para não ter mais forças e virar um alvo fácil.

    E como uma coincidencia terrivel do destino, naquele mesmo momento o chão começou a tremer e a ruir em algumas partes. uma fenda se abriu entre a porta de entrada, onde o dragão estava e o resto do salão. Mas antes que Venkar tivesse tempo de reagir, os pisos ficaram desnivelado. Onde Venkar estava afundava e consequentemente onde Yumi ficou começava a subir. A estrutura do local começava a ser remodelada, causada pelo congelamento do pixe e destruição do mesmo.

    Yumi abraçou a Serafim e olhou para trás, assustada, quando tudo começou a se mover. Olhou na direção de Venkar e o viu sumir de sua vista...
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Axle The Red em Ter Mar 01, 2016 4:42 pm

    Capitulo secreto: Eclipse



    Estava ali o tempo todo. Aquele som agudo nos limites da audição estava ali desde que tinham entrado na torre, mas so agora puderam perceber. De onde vinha ? Das paredes, do teto, do chão  ? A respiração de uma criatura sinistra ? Ou o dialogo do piche negro entre suas massas amorfas em uma inteligencia alienigena ? Mas agora não era apenas um ruido de fundo. Sua amplitude cresceu em poucos segundo, tão rapido que os timpanos doeram com o choque subito, como se uma adaga tivesse sido cravada em ambos os ouvidos. Junto ao grito abstrato a realidade do lugar reagiu. Yumi e Venkar puderam ver o retorno do liquido negro, jorrando de sua fonte como  o estouro de uma barragem. Sua violenta força rachou o chão e elevou uma coluna, partindo a sala em dois niveis de alturas progressivamente desiguais. E por um minuto o piche parou no tempo, antes de encobrir a anja e a kitsune, formando uma onda ameaçadora sobre elas. Alguma força maior tinha feito a coisa parar, mas por que motivo ? A realidade ficou louca depois daquilo. O que era algo liquido, denso, tornou-se não mais que uma sombra, uma fumaça negra que escorria em pleno ar.

    A Escuridão não foi a unica coisa que mudou naquele evento. O chão ao pés deles vibrou como se um titã tivesse pisado ao lado, assustador ate mesmo para um dragão. A ondulação que percorreu as paredes não era possivel de acontecer em algo solido, dobrando-o como um tapete, vindo do topo da torre, e descendo até seus alicerces. Podia ver os blocos realçados da construção da torre em uma luz prata-arroxeada, blocos de energia espectral, talvez almas transformadas em tijolos em sua agonia eterna.

    A Escuridão os encarava sem olhos. O ruido agudo agora era uma melodia. Algo como o ressoar de cristal imitando o canto das baleias. A serafim deitada em meio a pilha de moedas que escorria pelo desnivel do chão tremia, ela pressentia algo terrivel. Venkar não via, ouvia, ou sentia o cheiro das duas mulheres, nem elas conseguiam sentir ele. Tudo o que podiam vislumbrar era a torre fantasmagorica, a Escuridão e o belo lamento.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Axle The Red em Qui Mar 03, 2016 1:00 pm

    Venkar agora esta no 4° circulo:
    ECLIPSE
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Dom Mar 06, 2016 10:36 am

    A energia da serafim, tão logo estava liberta, começava a aumentar, pouco a pouco, mas num ritmo exponencial. A energia que Yumi lhe dera enfraquecera a Kitsune, mas aquela série de eventos, somada à aura nauseantemente pura e intensa da serafim se recuperando pareceu obnubilar sua consciencia. Apesar de desconfortável, o olhar daquela criatura angelical esboçava uma ternura enorme, confortante, muito embora ainda exaurida. A mulher apenas acariciou-lhe o rosto, de uma forma maternal; a visão de Yumi ia esfumaçando-se, mas a tranquilidade da serafim se estendia à sua voz, conforme ela sussurrava, uma voz distante que ia sumindo cada vez mais.

    -Obrigada....descanse, tudo ficará bem, eu prometo....


    E tudo escureceu, conforme Yumi perdia sua consciencia. Uma voz masculina parecia chamá-la em meio à escuridão da inconsciencia, reverberando em ecos. Pouco a pouco a luz ambiente ia voltando aos olhos embaçados da kitsune, conforme um semblante familiar lhe sacudia pelos ombros, chamando-a.


    -Yumi....yumi.....acorde!

    A voz lembrava um pouco a de Fuyu, mas mais jovial, com traços diferentes. Talvez por saber agora da verdade, associaria tanto a voz de Tetsuya à do pai biológico. Tão logo a kitsune recuperasse a consciencia, notaria que estariam, ambos, numa espécie de quarto enorme como todos os comodos daquele lugar, com móveis gigantescos. A propria Yumi estaria deitada num colchão desproporcionalmente grande, sobre uma cama de quase 6m de altura, onde poderiam deitar tranquilamente pelo menos 30 pessoas, com folga. Ao lado, Tetsuya parecia estar ajoelhado, olhando desconfiadamente para os lados, especialmente na direção da enorme porta do quarto. Ali, um grande circulo dourado parecia selar a porta, impedindo-a de ser aberta, embora fosse possivel escutar algumas batidas com força sobre sua superficie, provavelmente de alguem - ou algo - querendo entrar. O grande selo segurava aquilo sem qualquer problema, mas a energia angelical daquilo parecia deixar o irmão confuso, desconfiado, e também curioso sobre como era possivel alguem criar aquilo no inferno. Até onde ele sabia, não haviam anjos naquele inferno.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Qua Mar 09, 2016 11:03 pm

    Yumi estava abraçada à Serafim, apesar da energia dela não ser agradavel para a kitsune, Yumi gostava da presença da mãe de Tets. Ela a tocava de forma maternal, e por falta da propria energia e enfraquecendo ainda mais com a energia da Serafim, Yumi estava perdendo a consciencia. E antes que isso acontecesse, ela tocou na mão da Serafim e falou baixinho enquanto sorria..

    - Eu guardei o colar...

    E pouco depois de dizer isso, Yumi desmaiou.

    .
    .
    .

    A jovem kitsune escutava uma voz masculina ecoando...aos poucos voltava à consciencia...aquela voz, poderia ser do seu pai...seria ele? Não estava raciocinando bem.

    - p-pai..?

    Abriu os olhos aos poucos e percebeu que não era Fuyu e sim o seu irmão, pensando melhor a voz poderia até ser a mesma...mas era mais jovem.

    - t-tets?

    Ela sentava abruptamente na cama gigantesca. Olhava em volta e viu o selo na porta. Mas, parecia procurar pela Serafim.

    - Como vim para aqui? Como você me encontrou? Onde ela está? E Artemia?

    Yumi enchia Tets de pergunta, por mais que provavelmente não tivesse tempo de responder a nenhuma.
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Qui Mar 10, 2016 8:10 pm

    -uhn....não.

    O rapaz respondia, um pouco constangido por ser confundido pelo pai. Na verdade, não sabia como realmente reagir diante daquilo; fora acometido por uma tsunami de novas informações há muito pouco tempo. E o pai que sempre vira como seu maior inimigo, agora via como uma vítima de fatalidades sucessivas.E a garota à sua frente, antes apenas uma desconhecida na boate, era agora sua meia-irmã. Como se não bastasse, o desentendimento com Artemia. Enfim, parecia estar ainda mais confuso que Yumi; mas simplesmente respondeu a seguir.

    -Eu não faço idéia. Acordei apenas um ou dois minutos antes de você, e estava aqui deitado também. Uma escuridão tomou conta de tudo, e quando acordei vi você aqui.O que faz aqui no inferno?Como chegou aqui e....Artemia...

    Ao repetir o nome da ruiva, o olhar do raposo parecia encher-se de uma enorme tristeza e angústia. Pensava novamente em tudo o que Artemia fizera por ele, para no fim Tetsuya dar-lhe um tapa na mão, desmerecendo-lhe todo o esforço que ela fizera para protegê-lo e o segredo do pai. Era possível notar no olhar do meio-irmão um carinho enorme por aquele nome, estava de fato apaixonado por Artemia, mas algo de muito errado provavelmente ocorrera entre ambos para que o vulpino mantivesse aquele olhar. O rapaz meramente disse, sem entrar em detalhes.

    -Eu falhei em protegê-la...

    Não havia qualquer sinal de Venkar, da serafim ou de qualquer outra pessoa ou ser naquele gigantesco recinto. O unico sinal de que Iriel estivera ali era o selo que protegia a porta. Era impressionante até mesmo pensar como alguém tão debilitada e por tanto tempo ser capaz de ter feito aquilo. Muito provavelmente, fora ela também que colocara ambos os kitsunes naquele lugar, protegido, no coração da Casa sem Janelas.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Qui Mar 10, 2016 9:53 pm

    Não tinha sinal da Serafim, nem do seu amigo dragão...Teria ela colocado os dois ali e os protegidos? Mas, se fosse aquilo, como ela poderia ter força para isso se tinha acabado de ser liberta? E porque ela não estava ali?

    As duvidas eram muitas mas Yumi não tinha como ter as respostas naquele momento. Olhou para Tets e viu a tristeza e a confusão no seu olhar, e sem pensar o abraçou firme. Quando ouvia ele falar de Artemia, seu estomago se revirava...ainda não havia se acostumado com a ideia de que o amor que sentia por ele era proibido.

    - Eu vim atrás de você com o Venkar, porque me senti um pouco culpada pelo o que houve com Artemia...

    Ela se afastou do abraço e olhou nos olhos do Kitsune.

    - Aquele dragão é meu amigo, o nome dele é Venkar e ele ficou enfurecido quando viu que você estava me agredindo, quase tentando me matar..algo que não entendo bem o porque de ter feito isso. Enfim, nós moramos juntos desde que fugi do inferno, para não ser morta pelo impostor que ficou no lugar do meu pai...quero dizer...nosso pai. - levou a mão ao cabelo como se aquilo fosse dificil de falar. - Sou sua irmã mais velha, mas você parece mais velho que eu...eu não entendo isso, e acho tão injusto ser sua irmã... - se afastou dele e se levantou andando pelo quarto, falou baixo em quase um susurro - agora o que eu faço com esse amor proibido?

    Respirou fundo, enxugando as lagrimas que vinham e levantou a cabeça como se aquilo impedisse que elas descessem. E virou para ele com o rosto seco, mudando de assunto.


    - Você disse que falhou em protege-la...como isso aconteceu? Não conseguiu salvar a alma dela?
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Sab Mar 12, 2016 8:46 am

    Talvez fosse pelos choques recentes, o raposo ficou estático diante do abraço da "nova irmã". Mas pouco a pouco a musculatura relaxou, de forma que até mesmo retribuiu o abraço fracamente. Mas o gesto ainda lhe causava algum estranhamento, o que era de se esperar de alguem tão retraído e geralmente rabugento quanto ele. O rapaz desviou o olhar tão logo Yumi os fitou, carregado de um pouco do mau humor usual do rapaz, acompanhado de um franzido da testa.

    -Eu não me recordo de ter feito nada disso, nem teria qualquer motivo pra lhe atacar do nada, ainda mais agora que....enfim, só me lembro de acordar com muita, muita dor. - dizia, enfatizando o "muita". Era de se esperar de uma abocanhada de um dragão, e provavelmente Tetsuya fora o primeiro e ultimo a sobreviver à mordida de Venkar. O raposo apenas voltou a fitá-la quando ela mencionou o "Nosso pai", mas ouviu toda a história.

    -Então você sabe sobre Fuyu...mas como soube disso? - parecia ainda mais curioso com a fonte daquela informação. Ele proprio soubera dos pais de Yumi - ou melhor, pais adotivos. E começava a imaginar como deveria dizer aquilo à ela, mas nao conseguia ainda pensar numa forma de iniciar o assunto. Ou se é que aquele era o momento para isso. E, distraido naqueles pensamentos, nao ouviu o comentário final de Yumi sobre seu amor proibido, algo que não teria passado desapercebido antes, enquanto estivesse com a mente tranquila. Mas voltou a atenção a ela novamente tao logo ela se dirigira a ele. Novamente, o olhar melancólico lhe abatia com rispidez; aquilo apenas refletia o quanto o rapaz realmente se importava com a ruiva, para desgosto ainda maior de Yumi.

    -De alguma forma, Fuyu estava dentro do colar que Artemia usava, e antes que o inferno a tornasse uma alma condenada ao sofrimento aqui, ele começou a moldar-lhe a alma para transformá-la numa demonesa, para ganhar tempo até sairmos daqui. E pouco a pouco ela se transformou numa succubus, mas por vontade dela própria. De qualquer forma,descobrimos que a forma de sair daqui era através de algum ponto nessa fortaleza gigante, e desde então estamos procurando uma saída. Estávamos perto de uma sala coberta em trevas, como se um piche negro a cobrisse. Parecia recuar diante do frio, e comecei a tentar entrar nela me protegendo com gelo, mas antes que pudesse trazer Artemia comigo, tudo ficou escuro e....me vi aqui. Mesmo não sendo mais digno de tê-la, deveria no minimo traze-la à Terra em segurança, e nem isso fui capaz de fazer. Nada mudou nestes anos, ainda sou incapaz de proteger quem fez de tudo por mim...

    Novamente as trevas da amargura e tristeza pareciam envolver o irmão. Estava claramente se referindo à época em que supostamente sua mãe morrera, e ele fora incapaz de proteger.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Yumi Hayashi em Ter Mar 15, 2016 10:11 pm

    Parecia que ele não havia ouvido ela, ou se tinha havia ignorado. Yumi ficou reflexiva sobre o que Tets dizia sobre não ter intenção.

    - Hum...talvez tenha sido um reflexo..Quando..eu...bem...beijei você.

    Falava isso e levava a mão a boca ficando extremamente vermelha, como se tivesse falado demais. 

    - Quer saber, esqueça o que acabei de dizer.

    Falou e sacudiu a cabeça, mudando de assunto.

    - Eu e Venkar encontramos um dragão ancião em forma humanoide e ele nos contou toda a verdade. Na hora eu fiquei chocada, eu sempre amei e idolatrei o Fuyu, eu sequer tinha ideia de que ele era meu pai.

    Falava andando pela sala com as caudas agitadas.

    - Eu o seguia, queria ser tão poderosa como ele. - erguia as mãos para o alto - Você talvez não entenda isso, mas Fuyu ele era perfeito. Poderoso e bondoso. Quando eu soube que ele era meu pai e que não estava nem morto nem vivo. Eu quase não conseguia reagir aquela noticia. Queria chorar e sorrir, ficar feliz e ter raiva. 

    Yumi parava e cruzava os braços encarando-o.

    - Meus pais adotivos foram maravilhosos comigo, eu não o amo menos por saber a verdade. Eu nunca voltei ao inferno desde que eles garantiram a minha fuga, e como agora voltei eu vim na esperança de encontrar eles. Soube que existem prisioneiros aqui. Eles podem está vivos! 

    Os olhos da raposa pareciam brilhar com a esperança de poder abraça-los mais uma vez.

    - Sobre meus pais, Tets...preciso te contar uma coisa...

    Fez uma pausa mas parou de falar quando ouviu a explicação dele.

    - ARTEMIA AGORA É O QUE?

    As presas da kistuse estavam a mostra e todo o seu pêlo eriçado. Mal ouviu o resto da explicação dele.

    - Aquela MALDITA, ela sempre quis vim pra cá. Ninguém em sã conciencia sacrifica a propria vida para salvar o braço de outro. 

    - Porque Fuyu fez isso? Ela o seduziu, como fez com você? 

    Nem respirando fundo ela parecia se acalmar.

    - Eu realmente odeio aquela humana. 

    E todo o lado fofo de Yumi parecia se dissipar no ar.
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Dom Mar 20, 2016 11:11 am

    -Quando o que...!?

    Agora definitivamente havia ouvido-a. A expressão de espanto somou-se à mão à boca, tão logo percebeu o rubor da meia-irmã. Nao teria sido um beijo no rosto; ela certamente nao teria reagido assim daquela forma. Era inevitável que a expressão dele fosse uma mescla de muita coisa; mas agora que entendia o laço familiar, aquilo parecia soar algo extremamente errado. Mas pouco a pouco começava a desviar o pensamento para outros aspectos. Quando Yumi mencionou sobre seus pais, suspirou, gesticulando a cabeça negativamente.

    -Eles estavam aqui. Nós os encontramos....estavam dentro de jarros, suas almas presas e torturadas como almas condenadas de humanos.

    Achou que fosse melhor falar diretamente, sem rodeios, e deu continuidade. Mas evitava o olhar direto de Yumi.

    -Mas quando foram libertos, suas almas começaram lentamente a desaparecer, provavelmente para reencarnarem. Mas queriam lhe dizer algo antes de irem...Fuyu os puxou para o cristal de Artemia para estabilizarem sua essencia, como ele proprio fizera. Precisamos achar Artemia...


    Não disse nada sobre o dragão; afinal, ainda havia um certo rancor do negro, após ele quase tê-lo matado. Tetsuya voltou a olhá-la, sem entender direito o motivo da raiva da raposa.

    -Uma succubus. Você sabe, uma demonesa com...
    - sem querer, fez gestos curvilineos no ar, enaltecendo o tamanho de suas novas medidas, o que provavelmente serviria como combustivel a mais para a raiva da meia-irmã. Mas contrangeu-se daquilo, abaixando os braços, gesticulando a cabeça negativamente. Era óbvio demais o quanto ele estava apaixonado pela ruiva, provavelmente mais agora. Mas havia no olhar dele uma certa tristeza; provavelmente algo ocorrera algo entre ambos. Tentando consertar a situação, completou a frase, após um pigarro - ....uma demonesa com controle sobre chamas verdes, que queimam fundo diretamente a alma.

    Evitou dizer as outras "habilidades" de succubus, como a forma única de absorverem energia de seres do sexo oposto. Seguiu com a explicação

    -Ninguem em sã consciencia deseja vir ao inferno, Yumi. Especialmente uma humana. Artemia fez o que fez para me proteger, pois havia prometido isso a Fuyu. Ele provavelmente quis protegê-la também, ao ver até que ponto ela chegara, para que sua alma não se perdesse no inferno. Afinal, é mais dificil sair daqui do que entrar, e é o que deveriamos nos concentrar no momento.


    Dito isso, ele levantava, parecendo um pouco cansado. Talvez fosse devido a lutas ou algo do tipo? ou quem sabe sua energia não tivesse sido drenada de alguma forma por Artemia? Pelo menos o livro arcano de Fuyu ainda estava ali, provavelmente o maior dos tesouros daquela sala, semi-coberto pelo lençol da calma, mas seu volume poderia ser sentido pelas pernas e caudas de Yumi. Nao emanava a energia de antes, como se estivesse "desligado", parecendo somente um simples livro, motivo pelo qual Tetsuya sequer notara-o ali ainda.

    Conteúdo patrocinado

    Re: 4º Círculo Infernal - Lua -

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Set 24, 2017 5:06 pm