Neo City Uol

O que aconteceu após o golpe militar de 17 anos atrás...


    Interior da Floresta

    Compartilhe
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Sex Abr 08, 2016 10:32 am

    (Área de localização entre a Cabana de Artemia e a Caverna de Venkar, logo após a saída da Boate).
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Sex Abr 08, 2016 11:10 am

    Finalmente estavam chegando.

    A silhueta do enorme lago congelado ficava evidente enquanto o dragão batia as imensas asas para chegar logo ao seu destino. Estava com pressa de retornar não apenas pelo cansaço e estresse. Mas sim porque estava em uma situação única.

    Pela primeira vez tinha algo delicioso dentro da boca e não podia engolir! Amaldiçoou a si próprio pelo que tinha feito... no momento que o corpo do homem se acomodou sobre a sua língua áspera, teve que lutar com todas as suas forças para não o empurrar para baixo... enquanto seus instintos diziam o contrário. Mais e mais saliva era despejada sobre Jasor, para amaciar e "facilitar" o ato de engolir. Não havia ouvido muito o ruído de seu sangue fervente contra a sua saliva pois ela também era quente, e talvez por causa do ruído abafado das asas batendo e do vento gélido passando.

    Por duas vezes quase o fez sem querer, uma foi quando escutou de repente a voz parcialmente metálica de Axle, que chamou sua atenção e mirou o focinho em sua direção. Ouviu o que ele dizia e acenou com o focinho, querendo confirmar o que ele imaginava, neste ato quase fazendo Jasor descer pela sua garganta encharcada de fluídos. Esperava que o perigoso homem de lâmina brilhante entendesse que deixava Jasor dentro da boca senão ele poderia já ter caído para a morte.

    A segunda vez foi quando começou a sentir uma leve ardência na sua outra pata dianteira, onde Artêmia estava... ela não tinha parado de gritar e chorar desde o momento que tinham partido... ela não conseguia ver o quanto esforço o dragão estava fazendo? Desviou o olhar de Axle para fitar a sucubus e percebeu uma leve nuvem esmeralda a envolver, apesar de sua imunidade ao seu próprio elemento, o fogo, aquela luz verde era diferente... e ardia como nada que o dragão já tinha sentido. O que Artêmia estava fazendo? Neste susto fez Jasor mais uma vez escorregar mais um pouco em direção á sua ávida garganta.

    Tinham que chegar logo, ou logo não haveriam mais três passageiros e sim dois! Foi com grande alegria e alivio que alcançou o enorme lago e começou a descer em sua direção, deixando as grandes asas esticadas para os lados para planar suavemente. Logo desviou o rumo para a esquerda, onde sabia ser a morada da ex-humana.

    Enfim com sua visão aguçada pôde ver a cabana se aproximando e começou a bater as asas membranosas se preparando para pousar. Batia intensamente pois não poderia pousar sobre as quatro patas que as duas dianteiras estavam ocupadas... iria amassar os seus dois passageiros nelas se tentasse. Com seu corpanzil quase de "pé" ele tocou com as duas patas traseiras no solo coberto de neve.

    Infelizmente deu uma pequena escorregada com a pata traseira esquerda sobre a neve se assustando um pouco .... porém isso teve uma consequência inesperada.... o dragão se desesperou quando sentiu o seu terceiro passageiro descer pela garganta! Imediatamente soltou Axle e Artêmia, que cairiam quase um metro e meio na neve macia amortecendo o impacto, e curvava o longo pescoço para a frente, agora se apoiando também nas duas patas dianteiras.

    Tossiu sem parar, duas, três, quatro vezes com a bocarra escancarada... ela estava... vazia! Até fazer um movimento vigoroso com o pescoço e então, fechou a boca e logo depois a abriu, cuspindo no chão um Jasor completamente encharcado de saliva, fluídos e pequeninos pedaços de carne semi-digerida. Um olho aqui... um dedo ali... outros pedacinhos de carne, rosada e escuros... mas felizmente estaria vivo. Esperava que sim!

    - Cooffff.. cafff arf... cofff coff!! Ptuif!! Argh...


    Olhava o que tinha feito, recuando um pouco a cabeça da visão do pobre homem... Venkar não sabia o que esperar dos outros dois... esperava que Axle sacasse sua arma de imediato e Artêmia correr na direção de Jasor que estava coberto de muco e saliva, e o expulsasse para nunca mais retornar.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Sex Abr 08, 2016 1:44 pm

    Como esperava, o dragão racionalmente acenou positivamente com a cabeça, confirmando o que suspeitava. Axle não tinha a menor ideia da sensação de segurar algo na boca, afinal, ele mesmo não tinha uma. Mas tinha uma ideia puramente cientifica baseada na observação e estudo do que acontecia. Uma luta interna para evitar que seus sistemas automaticos não o forçassem a engolir o que deveria ser alimento. Não era a toa que aquela quantidade de saliva descia pelo focinho, irrigando o solo abaixo. Seria melhor para Jasor se ele permanecesse quieto, evitaria reações incontrolaveis do dragão.

    Artemia gritava e se debatia desesperada. Ela não tinha percebido que Venkar estava segurando o loiro. Depois de ver a cena, provavelmente não conseguiria perceber muita coisa afinal. Era explicito o que parecia ter acontecido.

    - Artemia...

    Uma fumaça esverdeada começou a sair de onde estava. Não sabia o que era exatamente aquilo, mas tinha a noção de que a demonesa não faria aquilo se estivesse calma. Estava conjurando alguma magia arcana ou infernal dentro da pata do dragão. Isso não ajudava a situação já incrivelmente dificil. No minimo Venkar teria que largar ela, o que significava uma queda de muitos metros. Aquelas asas que ela tinha escondido funcionavam ?

    - Artemia, espere ! Acalme-se ! Venkar esta apenas seg...


    Sentiu que começavam a descer naquele momento. Realmente havia chegado rapido, embora as emoções da viagem não lhe pareciam compensar a decisão. Olhando o chão se aproximar preparou-se para o pouso, que terminou sendo bem desajeitado, mas pelo que Axle esperava foi até bem calmo. Cair de menos de 2 metros de altura era bastante seguro, de modo que pousou de pé sem dificuldades, afundando na neve.

    Claro que nada era perfeito. Quando Venkar abriu a boca e nada saiu percebeu que o pior podia ter acontecido. A mão lentamente se deslocou para o cabo da espada, quando viu que o dragão estava tossindo, como se estivesse engasgado. Não demorou muito para Jasor cair, regurgitado pela fera. Não o cuspiria de volta se fosse um acidente, o incineraria dentro da garganta se estivesse preso, e então engoliria. A mão se afastou da arma e os ombros relaxaram. Aproximou-se de Jasor, que deveria estar precisando de bastante ajuda naquele momento. No caminho, observou o dragão até que ele tivesse alguma atenção no reploid verde, e então estenderia o polegar em sinal de agradecimento.
    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Sex Abr 08, 2016 5:01 pm

    Um barulho vindo das profundezas, constante, chegava ate ele. Parecia algo como uma...respiração. Deveria ser um demonio no fim do tunel escuro esperando para torturar sua alma. É, so podia ser isso. Certa vez a massa aspera tentou empurra-lo para o tunel, mas agarrando-se forte naquela estaca conseguiu se manter firme ali. Infelizmente ela estava escorregadia, e cada vez mais o nivel da gosma nojenta subia.

    Da segunda vez que aconteceu a coisa aspera se moveu como se quissesse pressiona-lo contra a prisão e então puxou-o para seu objetivo nefasto. Nesse momento perdeu a aderencia com a estaca e no desespero encontrou outro ponto para se fixar: a criatura esponjosa tinha uma extremidade pontuda, que Jasor segurou sem piedade. Talvez fosse seus chifres. Chifres moles...De qualquer maneira, conseguiu voltar para perto das estacas no lado oposto onde estava antes e se apoiar em uma com alguma segurança.

    A gosma porem o perseguia, e logo tudo ficou escorregadio novamente. Não demorou muito para que a terceira tentativa acontecesse, e dessa vez foi radical. A gravidade parecia ter mudado de sentido, ou sua prisão se locomovia livremente. Tinha virado 90° em relação ao que estava antes, e agora não tinha onde apoiar os pés. Suas mãos deslizavam em seu apoio e o demonio esponjoso queria livrar-se dele de uma vez por todas. Maldito infeliz

    - Não...não...ahhhhrrrhh !

    Estava caindo pelo tunel ! Em seu desespero Jasor esticou os braços e as pernas o maximo que pode para os lados, tentando parar a queda como Jackie Chan fazia com paredes. O muco estava em todo lugar, mas não descia tão rapido quanto deveria. Tentava segurar-se ate com as unhas, pressionando as mãos e os pés o mais forte que conseguia o tempo todo. Para o dragão deveria ter sido a pior coisa que passara por sua garganta. Simplismente não queria continuar.

    Tudo virou novamente, e agora o lugar onde estava parecia mirar na direção do chão. Uma luz surgiu atravessando os prolongamentos pontudos e pode ver o solo coberto de neve. Foi balançado violentamente até mais muco vir do fundo do tunel e ejeta-lo para fora. Estava sendo liberto !

    Bateu com força no chão. Mas o chão tambem era macio, estavala e era frio. Agora tinha percebido que a prisão era muito mais quente do que quando estava pendurado no...não. Com dificuldade tentou se erguer, suas mãos afundando na terra e neve, e virou-se para ver de onde vinha. Havia um dragão ali. A porra de um dragão. Ele estava dentro da boca de um dragão !

    - Mas que porra é essa ?!

    Não tinha sido expelido apenas com um muco inocente. Era baba de dragão, repleta de pedaços de gente ! Orgãos !

    - Não não não não não não....

    Começou a cambalear para trás levantando-se aos tropeços. Suas pupilas dilatadas estavam fixas no bicho enorme a sua frente. Então virou-se e começou a correr, olhando o tempo todo para trás. Uma cabana ! Sem pensar duas vezes investiu seu corpo nu e gosmento contra a porta daquela casa. Precisava de um lugar para se abrigar. Qualquer lugar !
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Sab Abr 09, 2016 11:13 am

    O corpo de Artemia esquentava gradualmente dentro daquela névoa verde esmeralda, que certamente causava uma ardência crescente na pata do dragão. Havia escutado brevemente a voz metálica de Axle, mas aquilo não pareceu retira-la do descontrole emocional em que estava. Muito pelo contrário, seus soluços tapavam qualquer outro som, bem como os uivos dos ventos ao lado de fora das garras de Venkar.

    Porém, quando menos esperou, sentiu um solavanco. Estavam descendo?! Outro solavanco forte e tudo pareceu descer como um elevador descarrilado; Artemia segurou-se o máximo que pode nas presas do dragão antes que o baque viesse e a largasse para longe, caindo fortemente na neve fofa.

    O gelo causava a pior sensação possível na ruiva. Havia caído com a face virada para a neve, estava praticamente soterrada. Não podia permanecer ali, ou morreria! O desconforto sufocante do gelo a deixou fraca, praticamente sem energias. Porém, ao conseguir finalmente erguer sua cabeça da neve, pode visualizar o dragão parecer passar mal.

    Furiosa, Artemia levantou-se o mais rápido que pôde e começou a cambalear para a frente do dragão, agitando o punho para o alto, pronta para lançar-lhe os piores xingamentos que viam à sua mente. Porém, Venkar não parecia estar bem. Agitando sua cabeça para frente, do fundo de sua garganta veio uma montanha de muco e fluídos de todos os tipos; o odor era visceral e junto daquilo tudo veio um corpo envolto nas placas mucosas e absurdas de dentro do dragão. Caindo na neve fofa, Jasor parecia estar estarrecido. E vivo.

    Artemia parou no segundo em que ia dar outro chute no dragão. Estava ao lado dele, portanto seu muco não a atingiu. Então, ela finalmente percebeu. Ele esteve mantendo Jasor vivo em sua boca o tempo todo. O esforço que o dragão havia feito para manter o humano que ele considerava desagradável dentro de sua boca, sem poder mastiga-lo ou engoli-lo foi gigantesco. Artemia jamais poderia agradecer por ter salvo Jasor daquela forma.

    - O... Obrigada! Venkar...

    Gritou ela, com lágrimas nos olhos, boquiaberta. Sua reação seguinte foi a de abraçar a pele escamosa do pescoço do dragão, retribuindo com amor o que ele havia feito, a pedido dela. Apesar de estar enfraquecida por aquela zona gelada, a ruiva ainda tinha energias suficientes para abraçar com força o dragão. Assim que virou a cabeça, notou Axle ali, bem. Sorrindo aliviada, ela finalmente olhou para Jasor e o viu correndo ensandecido  em direção à sua velha cabana.

    - Jasor! Espere!

    Gritou ela, se esforçando para correr na direção dele, falhando consideravelmente devido às suas imensas dificuldades na neve e falta de energia. Quando humana, conseguia caminhar tranquilamente pela temperatura gelada sem ter suas energias sugadas. Diferente de agora, onde ela se via correndo em direção à cabana não pensando apenas em Jasor, como também na lareira que ela sabia que ali havia.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Sab Abr 09, 2016 11:53 am

    Venkar não poderia estar mais feliz.

    Havia carregado uma pessoa querida por Artêmia e por Axle dentro de sua boca... mesmo não o tendo devorado ele estava em uma situação terrível... todo coberto de saliva e restos de sua ultima refeição... que no caso havia sido cadáveres de pessoas. Esperava uma reação fortemente negativa de ambos, também por tê-los jogado na neve em seu desespero de cuspir rapidamente Jasor. Se demorasse um pouquinho... sabia que o humano chegaria em seu estômago... e não teria mais volta.

    Observava com uma clara expressão de surpresa o gesto do homem-metal-planta e acenou de leve o focinho, quase não acreditando... o mais inesperado foi a bela succubus... ela a princípio pareceu raivosa.. mas depois se lançou em um forte abraço em seu pescoço escamado. Ela estava emocionada e agradecida. Por que as pessoas de onde tinha vindo não eram como estas? Compreensivas e pacientes? Rosnou genuinamente aliviado.

    - Eu... está tudo bem... vão, Jasor precisa de vocês mais do que eu. Ficarei bem aqui.

    Estava mais frio do que se lembrava, suas patas pesadas afundavam na neve fofa e branca. Esperaria os dois ir para dentro da cabana, sua tarefa estava terminada... e então caminhava para a margem do lago, se limpar pois seu pescoço estava molhado de saliva que começava a endurecer por causa do frio. E queria beber também. Limpar o gosto humano que estava em sua bocarra.

    Por fim caso nenhum dos dois retornasse, ele não esperava que retornassem, abriria as grandes asas e partiria, desta vez para o seu lar.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Seg Abr 11, 2016 9:20 am

    Por algum milagre cosmico os três tinha chegado a salvo na cabana de Artemia. Nunca esteve ali, a primeira vez que tinha encontrado a ruiva ela fugia de lobisomens junto com Kárdia, ainda naquela floresta mas distante dali. Lobisomens...será que ainda rondava a região ? Não sabia qual os limites do territorio deles, mas se ela tinha vivido tanto tempo naquela região provavelmente não tinham se expandido até ali. E onde será que estava Kardia ? Toda a viagem que fez com Artemia os levou involuntariamente a varios lugares. Não sabia qual a situação da base temporaria de Dark durante todo aquele tempo, quem ainda estava lá e como andava o plano dos circulos de magia.

    Ao sair da boca do dragão, a reação de Jasor era esperada. Esteve prestes a ser engolido vivo por uma criatura muito maior, sem chance de defesa. Axle o teria salvado se fosse necessario, mas ele não sabia disso. Incrivelmente, quando o dragão não estava se rendendo aos seus instintos primitivos, parecia muito sensato. Não esperava que ele dissesse aquilo, não para quem ele menos gostava naquele grupo.

    O loiro havia fugido para dentro da cabana que deveria ser de Artemia, um lugar seguro. Observou por alguns momentos o dragão se retirar e começou a caminhar na direção do abrigo, enquanto em posse de seu comunicador tentava algum contato com o bunker

    - Axle falando. Alguem consegue me escutar ? Qual a situação atual ?
    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Seg Abr 11, 2016 11:42 am

    O ombro do rapaz se chocou com tanta violencia que a porta se escancarou imediatamente, arrebentando o batente onde o trinco segurava a porta, e fazendo-a bater na porta que a sustentava. A pancada fez alguns objetos balançarem na hora, e um pouco menos quando Jasor caiu de peito no chão, escorregando graças a pouca aderencia que tinha em qualquer parte do corpo. Ainda fedia a baba nojenta do dragão, o fedor não so de saliva, mas de gente morta. Sem que soubesse, o calor do muco no qual estava banhado o havia protegido do frio do ambiente, tanto que conseguira correr pela neve sem problemas. Mas isso não iria dura muito. Sua "proteção termica" perdia calor rapidamente.

    Deslizou umas três vezes no chão antes de conseguir se levantar, apoiando-se no sofa a sua frente, invariavelmente sujando-o no processo. O chão já possuia as marcas de suas pegadas, com seus pés sujos de neve e terra vindas de fora. A primeira coisa que fez foi alcançar a lareira, buscando um pedaço de ferro que normalmente utilizam para revirar a madeira. Uma arma. Precisava de alguma coisa, qualquer coisa para se defender. E então poderia fugir para mais longe ainda.

    - Dragão maldito, dragão desgraçado, dragão infeliz...


    Resmungava em voz alta para si mesmo com uma voz falhada, relembrando agora sua viagem por uma outra perspectiva. E cada vez que fazia isso, sentia um arrepio de agonia. Estava dentro da boca do monstro, quase foi engolido ! Aquele miseravel tinha esperado so um momento de distração para atacar. E por pouco não tinha conseguido seu objetivo. Devia ter causado tanto incomodo dentro do bicho que ele não tinha aguentado e cuspido-o fora.

    Estava apavorado ainda, e quando ouviu alguem chamar seu nome achou que era o dragão. Queria terminar o serviço ! Em meio a alguns escorregões correu na direção da escada para subir o mais rapido possivel. Enquanto estivesse correndo aquele bicho asqueroso não o pegaria.
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Seg Abr 11, 2016 2:31 pm

    Seus pés estavam mais pesados que nunca. Como se houvesse um par de chumbos em suas pernas, Artemia perdia a consciência levemente enquanto tentava se apressar em sair da neve e adentrar sua humilde casa. Como se não bastasse sua pouca energia de antes, agora a ruiva se via em uma situação ainda mais controversa, e que lhe sugava o pouco que ainda restava. Ainda assim, se esforçou além dos seus limites até chegar ao batente quebrado de onde deveria haver a porta de entrada do chalé.

    Os rastros de muco e pedaços de órgãos, além do cheiro fétido deixado por Jasor, se espalhavam pelo chão. A neve do lado de fora entrava sorrateiramente para dentro da casa de madeira, que agora absorvia sua temperatura gelada como se fosse sua própria.

    Artemia segurou-se no batente com toda força que conseguia. Estava mancando, sem fôlego, de cabeça baixa. Ainda que apertasse seus olhos, sentia sua consciência deixando seu corpo aos poucos. Murmurou brevemente “Axle...”, mesmo sabendo que o reploid certamente não a ouviria, dada a distância em que estavam. Frio. Estava muito frio. Seu corpo tremia da cabeça aos pés. Não sabia até quando aguentaria.

    Então, finalmente a ruiva conseguiu entrar na casa, caindo de joelhos em um baque surdo, uma vez que havia muco e neve abaixo de suas pernas. Observou ao seu redor, inevitavelmente se lembrando de como era a sensação de antes, de estar em casa.

    Tudo permanecia no mesmo lugar de antes. Como se o tempo tivesse parado, Artemia vislumbrou a pequena sala como era: um sofá de retalhos – agora repleto de muco em sua superfície, em frente à lareira escura. As janelas fechadas deixavam os detalhes escondidos na penumbra, permitindo apenas algumas frestas de luz adentrar o cômodo. A mesa de madeira atrás do sofá ainda estava intacta, coberta por uma espessa camada de poeira. As três cadeiras, bem dispostas ao seu redor, traziam à sua memória as inúmeras lembranças de almoços e jantares ao lado de seu pai, agora há muito perdido.

    As escadas de madeira estavam cobertas de muco, revelando onde Jasor estava: de acordo com as lembranças de Artemia, o loiro estaria no seu antigo quarto, onde havia uma cama de casal aconchegante, uma cômoda antiga de madeira e um cavalete contendo o retrato pintado de sua mãe, certamente coberto de poeira e desgastes do tempo. Inevitavelmente, a ruiva olhou para o sofá coberto de muco onde seu pai dormia antes, suspirando com a lembrança.

    Perdida em meio às memórias, a ruiva não reparou na pequena luz que havia se acendido, repentinamente, ao seu lado. Era verde esmeralda brilhante e piscava lentamente. Esta mesma luz agora flutuou em volta do muco no chão e seguiu seu trajeto, subindo as escadas. Assim que chegou até Jasor, a luz iluminou intensamente e revelou sua verdadeira forma: um dragão totalmente iluminado, cujo corpo escamoso de cinco metros de altura curvava-se no teto baixo, agora observava ameaçadoramente Jasor, bufando e mostrando seus dentes afiados. Apesar de ser translúcido e totalmente de uma luz verde esmeralda, o pequeno dragão parecia ser ameaçador o suficiente para ferir qualquer um que se atrevesse a chegar em sua morada.

    - Quem é você, intruso?

    Perguntou ele, com sua voz soturna e grave. Havia aproximado seu longo focinho à frente de Jasor, deixando sua língua sair para farejar o sujeito, assim como as cobras fazem.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Seg Abr 11, 2016 4:23 pm

    Estava muito contente para se preocupar com a forma de agir de Jasor. Pela forma que corria e olhava para trás aterrorizado, pensava que o dragão iria persegui-lo e não descansaria até ser devorado.

    Felizmente a opinião que lhe importava era mais de Artêmia e um pouco do estranho e pesado homem de metal que parecia como uma flor, ou uma planta. Levaria o dia todo, ou pior, dias para explicar o que realmente aconteceu mas Venkar não estava com vontade de fazer isto neste momento.

    Assim que o homem correu para dentro da cabana, seguido de uma fraca Artêmia. Venkar se virou de costas e caminhou lentamente até a margem do lago. Ali ele mergulhou o focinho e parte do pescoço, dando grandes goles e deixando a água escorrer por entre as escamas de seu musculoso pescoço. Levantou a cabeça e olhou adiante, a sua morada estava a pouca distância dali. Sem demora, desdobrou seu imenso par de asas e se lançou ao céu com um poderoso impulso. Logo estaria descansando ao lado de seu ouro.

    Mas enquanto voava pensava em Yumi. Será que ela estaria bem? Não a sentia em lugar algum... a pulseira não o permitia contato com ela estando em dimensões diferentes... se ela tivesse retornado, ele já saberia. Será que ela retornaria direto para a caverna? Ou voltaria para aquele prédio destruído? Pensou em retornar para lá.... mas o chamado do ouro foi mais forte, e acabou retornando para sua caverna.

    Os seus três "vizinhos" não teriam mais notícias do enorme dragão negro por vários dias, a menos que se aproximassem da entrada de seu lar.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Seg Abr 11, 2016 5:19 pm

    Tentou mais algumas vezes contactar o bunker, mas não havia sucesso. Algo ainda permanecia atrapalhando o sinal. Sera que a base subterranea estaria sofrendo um ataque e por isso os invasores estavam embaralhando os sinais de comunicaçao ? Não era uma perspectiva nada agradavel. Tentou então mais uma vez um sinal geral, que deveria emitir para cada comunicador possivel uma mensagem de contato alertando que desejava resposta o mais breve possivel. A viagem por si so parecia ter vida propria, levando Axle de garupa para onde desejava. Mas se tivesse uma oportunidade, retornaria para investigar esse misterio.

    Não se esquecera tambem dos chips e do delta virus que tinha descoberto dentro da boate agora em pedaços. Infelizmente, no momento que estava, essa era uma investigação jogada para segundo plano.  Incomodava-lhe pensar que estavam pesquisando a si mesmo sem sua permissão, criando coisas desconhecidas que provavelmente seriam utilizadas como armas. Era a essencia dele ali, e não tinha dado permissão alguma !

    O dragão fora para o lago e depois partiu, assim como o combinado. De qualquer maneira te-lo ali so iria piorar as coisas. Jasor estava descontrolado, e Artemia ja não tinha muito controle naturalmente. Assim que entrou na casa se assustou. O que a ruiva estava fazendo no chão ?

    - Artemia ?! O que houve ?!

    Axle imediatamente a levantou, apoiando uma braço atraz de seus ombro e outro atras de seus joelhos, e a carregou para o sofa. Hesitou por um segundo ao ver a gosma impregnada no estofado, e escolheu então um lugar livre daquela sujeira.

    - O que esta sentindo ?
    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Seg Abr 11, 2016 5:39 pm

    Ainda não tinha parado para notar sua situação lastimavel. Quando subiu as escadas, percebeu que seu membro balançava demais entre as pernas, mas achou que fosse por causa daquela baba desgraçada pesando suas calças. Ao chegar la em cima girou a maçaneta com vontade, e para sua surpresa a porta abriu expontaneamente. Pelo menos essa não precisaria arrombar como a primeira, poderia seguir rapido para encontrar um lugar onde pudesse ficar seguro de verdade.

    Em nada ajudou a situação quando uma luz verde brilhou por sobre seu ombro, e ao se virar tenha dado de cara com um dragão

    - FILHO DA PUTA !

    Jasor brandiu o espeto de ferro com uma força cega e desesperada, tentando destruir o focinho do bicho em um golpe brutal. Mas não esperaria para ver o resultado, entraria imediatamente no quarto e o fecharia por dentro. Se não encontrasse a chave, barraria a porta com a coisa mais proxima a mão: o cavalete com a pintura de uma mulher. Sem parar, puxaria tambem a comoda que estava ali, e logo em seguida empurraria a cama para fazer uma barricada na porta.
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Seg Abr 11, 2016 6:13 pm

    Artemia, praticamente desacordada, sentiu seu peso levitar quando notou os braços metálicos de Axle a envolverem e a colocarem deitada em seu antigo e empoeirado sofá. Havia cobertores e panos ali, e a ruiva tratou de se cobrir. Seu corpo tremeu ainda mais com o toque macio da coberta; o frio já começava a deixar seu corpo com a ausência da neve por perto. O que era ótimo, uma vez que sentiria que iria morrer a qualquer segundo com aquele gelo todo.

    - A-Axle... Não consigo acender fogo... Meu fogo já não é mais o mesmo... Agora ele parece que está mais perigoso do que um fogo comum. – suspirou ela, de olhos fechados, apontando para a lareira. Além do mais, não tenho energias... Preciso me alimentar. Acenda essa lareira, por favor...

    E então, ela finalmente ouviu o baque na porta do andar de cima e o xingamento em alto e bom som de Jasor, demonstrando seu desespero aumentado. Olhando para o alto, a ruiva pôde ver o dragão de luz já transformado, encarando a porta e adentrando nela com facilidade, atravessando sua superfície com seu corpo translúcido.

    - Poppy!


    Exclamou ela, com a voz fraca. No quarto, onde Jasor estava, o dragão surgiu à sua frente, dentro do cômodo, preparando-se para ataca-lo com um estranho fogo iluminado que já começava a surgir em sua garganta. Assim que ouviu a exclamação de Artemia, o estranho ser de luz desapareceu repentinamente, deixando uma nuvem esverdeada, reaparecendo apenas ao lado da ruiva deitada no sofá. Esta o olhou com um sorriso fraco e uma pequena lágrima que escorria pelos seus olhos verdes.

    - Meu amigo... aquele é Jasor... ele não veio aqui para fazer mal. Como é bom te ver...

    E, com isso, o dragão de luz transformou-se novamente numa pequena luz verde, uma esfera de cerca de dez centímetros flutuando ao lado de sua dona. Sua luz parecia ter se acalmado e pulsou algumas vezes antes de falar:

    - Você voltou... Mas, o que houve? Você está... diferente. Quem é aquele homem nu no seu quarto? Seu pai não iria gostar disso... nem um pouquinho.

    A ruiva soltou uma risada fraca e se cobriu mais um pouco, ainda de olhos fechados.

    - Aquele é Jasor, como eu disse. E é um amigo querido. Ele está passando por problemas... e precisa de nossa ajuda. Por favor, não apareça para ele. Você não faz ideia da experiência... que ele teve... com outro dragão...


    E então ela franziu o cenho. Parecia ter se lembrado de algo, alguma lembrança antiga. Ela já havia visto Venkar antes. Já havia visto aquele dragão, bem ali no seu quintal! E todas as peças do quebra-cabeça estavam se formando, finalmente. Porém, sua cabeça estava fraca demais para pensar mais a fundo. Precisava descansar para recuperar um pouco mais de suas energias. Sabia qual era a melhor forma de se reestabelecer, mas não conseguiria esse tipo de alimentação ali tão cedo – pensou, olhando para o teto, possivelmente para onde Jasor estava.

    - Este é Axle, meu amigo. Axle, este é Poppy, um ser que criei quando ainda estava estudando magia. Ele me ajudou a passar os anos sozinha nesta cabana. Poppy, Axle me salvou inúmeras vezes. É como se fosse meu protetor...

    E sorriu carinhosamente para o reploid, demonstrando para ele o quanto admirava toda ajuda que ele havia lhe concedido.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Seg Abr 11, 2016 7:12 pm

    Conforme voava sentia a brisa agradável em seu focinho, mas não conseguia parar de pensar no que havia acontecido.

    Era a primeira vez que deixava um grupo de pessoas vivas de onde partira. Todos os seus encontros anteriores terminavam com ele matando a todos e devorando grande parte. Até hoje. Pensava no que aconteceu, a ex-humana que o aceitava tão abertamente... mesmo ele quase tendo devorado seu grande amigo. E o outro macho, o meio homem meio planta, ele era silencioso... porém não tinha o mesmo preconceito que os humanos normais, como Jasor. Ainda se lembrava de sua misteriosa lâmina brilhante... bem perto de seus olhos... ele ameaçou o dragão apenas para proteger Artêmia e os outros... Venkar se irritou por não conseguir sentir raiva do sujeito.

    Todos os que ousaram sacar alguma arma contra si, mereciam a morte. Mas não pensava o mesmo de Axle... porque? Apenas porque ele protegia amigos? Sua cabeça doía... esta experiência com humanos e demônios o deixara confuso.

    Em poucos minutos chegava á margem do outro lado da cabana, onde seu lar estava. A abertura, uma fenda escavada pela própria fera estava bloqueada por um enorme rochedo. Venkar respirou fundo, o cheiro de ouro já era sentido por suas sensíveis narinas.

    Tratou de pousar usando as quatro patas e caminhou calmamente até a entrada de seu lar. Com as duas patas dianteiras rolou o pesado rochedo para o lado direito e entrou.

    A escuridão de seu lar não era um problema pois Venkar tinha uma boa visão para ambientes pouco iluminados. Uma característica comum á todos os seus semelhantes. Covis normalmente não possuíam tochas ou outras formas de iluminação. Passou dando a volta no pequeno circulo escavado que estava no meio da câmara, onde tinha "forjado" a pulseira que dera á Yumi. A única vez talvez em um século que o grande dragão poderia utilizar sua grande concentração de magia havia sido utilizada para fornecer um meio de comunicação com a bela kitsune Yumi.

    Onde ela estaria? Apesar de ser uma criatura normalmente solitária, o dragão se via sentindo falta da pequenina fêmea raposa. Apreciava o toque de suas mãos macias contra o seu focinho, o seu cheiro agradável... fechou os olhos, e logo bocejou.

    Sono.

    Iria pensar em como procurá-la após ter alguns merecidos dias ou semanas de descanso. Então dobrou seu enorme par de asas sobre suas costas e penetrou no tunel que havia feito, que ligava a câmara maior em duas menores. Uma onde ele dormia, e outra que havia separado especialmente para acomodar o seu tesouro.

    Logo o brilho dourado das moedas e pedras preciosas se refletiram em seus olhos em fenda, mesmo com a pouquíssima luz que conseguia entrar até aquela parte.

    Se deitou diante do pequeno monte que havia feito, olhando seu próprio reflexo nas infindáveis faces das pedras preciosas que havia saqueado. E se surpreendia pensando: daria tudo aquilo para reaver logo sua querida companheira...Yumi... mas ao mesmo tempo, o rosto sedutor e sorridente de uma certa Sucubus invadia a sua mente. Logo.. fechava os olhos e pensava nas duas fêmeas que havia aprendido a gostar...
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Qua Abr 13, 2016 5:55 pm

    Ao ver a ruiva puxando os panos empoeirados que estavam jogados sobre o sofá pode perceber a quanto tempo ela tinha saido dali. Lembrou-se que ela morava sozinha depois do que aconteceu com seus pais, e por isso ninguem poderia cuidar da casa. Era um lugar pequeno e eficiente, com mobilias basicas, sem divisões exceto pelo andar superior. Revelava a simplicidade da garota que morava ali, talvez herança de seus pais, talvez vinda de sua propria personalidade.

    Quando ela menciou sobre a mudança em seu fogo, Axle não precisou pensar muito para chegar a uma resposta. Sendo agora uma demonia, seu fogo antes magico agora carregava um laço com a essencia infernal. Qualquer ligação com esse tipo de energia deveria resultar em algo perigoso.

    - Não conheço muito de magias, mas creio que o seu fogo que era arcano agora se tornou infernal. Provalvemente isso leva a resultados mais desagradaveis devido a nova essencia. Do que você se alimenta agora ?

    Axle sabia que ela tinha se tornado um demonio, mas não sabia de que tipo. Ter chifres, asas e caudas era algo padrão nesses casos. Qualquer que fosse outras mudanças, eram sutis demais para que ele pudesse chegar a uma conclusão. Não era especialista em demonologia tambem.

    Quando ouviu seu pedido e a viu apontar, percebeu que ela estava naquele estado pelo frio. Agora devia ser vulneravel a baixas temperaturas, pois seu estado tinha piorado muito rapido para ser justificado por uma hipotermia humana. Sua ligação com o fogo devia ter se aprofundado ate se tornar sua essencia, o que agora era um risco para ela. Axle olhou em volta, procurando algo que pudesse ascender a lareira rapidamente. Era uma situação bastante desconfortavel para o reploid, fogo era algo que repuldiava, e seu braço esburacado estava ali para provar essa verdade. Havia um fogão ali, e possivelmente algo para acende-lo, embora ela pudesse usar magia para isso. Por sorte encontrou uma caixa de fosforos apoiada em umas das janelas, acumulando uma grossa camada de poeira em sua superficie. Empurrou com dificuldade o interior da caixa para fora, era muito pequena para seu dedo enorme, e constatou que sobrara alguns palitos inteiros.

    Logo riscou o fosforo proximo a lenha que tinha sido deixada na lareira, e com alguma dificuldade conseguiu acender as chamas. Assim que teve certeza que não se apagariam se afastou bastante do lugar, aproveitando para fechar a porta arrombada. Não queria que o vento apagasse o que tinha tido tanto problema para ter feito. Conseguiu encostar a porta, mas agora ela não trancava mais graças a entrada desesperada de Jasor.

    Algo esverdeado brilho proximo a Artemia, e quando se voltou para aquilo viu que ela conversava com a pequena coisa. Seria um espirito guardião? Quando foi apresentado pela demonia a criatura conjurada, os olhos do reploid pareciam maiores, curiosos, olhando rapidamente para os dois seres da sala.

    - Saudações...Poppy

    Disse acenando com a cabeça. Então tinha sido assim que conseguira burlar o isolamento durante tanto tempo.

    - Esta melhor agora Artemia ?

    Foi a resposta a seu sorriso de gratidão. Continuava a ajudando naquele momento !
    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Qua Abr 13, 2016 6:20 pm

    Ja estava começando a empurrar a cama quando percebeu que aquela armação de madeira tinha uma pintura nele. A mulher retratada no canvas parecia muito familiar. Artemia ? Não, não era ela, mas ainda assim bem parecida. Talvez a mãe dela. Tão bonita quanto a filha. Mas o que aquela pintura estava fazendo ali, estava na casa da ruiva ?

    Mal teve tempo de tentar encontrar qualquer outra semelhança entre as duas quando a cabeça do dragão atravessava a porta como se não fosse feita de nada. A porra do dragão agora ignorava objetos solidos !

    - PUTA QUE PARIU !

    Jasor usou a unica arma que tinha em mãos para se defender. Usou a ponta do ferro com vontade, mirando em perfurar o olho do dragão e destruir seu cerebro. Usou tanta força nesse ato que o objeto cravou na porta, a ponta surgindo do outro lado. Não esperou para saber o resultado. Imediatamente ele saltou sobre a cama correndo e então para a janela, que com um chute vigoroso deveria se abrir ou quebraria. Não demorou mais que um segundo olhando para o lado de fora. Viu qual era o melhor meio de cair e saltou, realizando com sucesso seu intento. A queda o fez rolar na neve, que ajudou a amortecer o impacto, mas tambem roubou calor de seu corpo. Agora a baba era sua inimiga, caindo de temperatura rapidamente. O loiro não parou para perceber isso, lançou-se em uma corrida desesperada para dentro da floresta. Com certeza despistaria o monstro ali.
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Qua Abr 13, 2016 7:59 pm

    Poppy, a luz verde esmeralda, pulsou ligeiramente quando Axle o cumprimentou.

    - Você é diferente... do que é feito? – perguntou, sem reparar no quanto sua questão seria, na realidade, profunda.

    Assim que Axle acendeu o fogo na lareira, a ruiva sorriu aliviada, recostando sua cabeça no braço do sofá. Ainda estava sem energias, mas agora sem tanto frio. A coberta e o calor do fogo lhe aconchegaram por inteiro. Ouvira o que o reploid a perguntara antes e se fez a mesma pergunta. Afinal, do que ela se alimenta, exatamente?

    Lembrou-se de quando estava em um momento íntimo com Tetsuya, assim que completou a transformação em uma perfeita demonesa. Lembrou-se do quanto sentira prazer naquele instante: uma onda intensa de satisfação tomou conta de seu corpo, deixando-a estarrecida, extasiada. Além disso, sentiu também como se tivesse recomposto suas energias. Sentiu-se como nova em folha, imensamente rejuvenescida e pronta para correr em uma maratona, se fosse preciso.

    Essas lembranças a deixaram mais uma vez com aquela sensação de um estranho prazer. Não sabia identificar ainda de onde surgira, mas era como um querer muito grande aliado a um desejo intenso da busca da satisfação. Sentira isso durante quase todo o momento em que esteve ao lado de Tetsuya. E lembrou-se que havia sentido esse mesmo desejo quando ainda era humana, dentro daquele banheiro da boate, enquanto deslizava seu corpo no de Tetsuya...

    Artemia, involuntariamente apertou suas coxas por baixo dos cobertores espessos. Sua respiração estava ofegante quando sentiu o ponto exato entre suas pernas pulsar. Sem pensar sobre, a ruiva desceu uma única mão até esse ponto, e assim que percebeu um singelo toque de seus dedos na área ainda coberta por suas calças, Artemia sentiu seu corpo todo estarrecer, fazendo-a esticar ligeiramente suas costas, partindo seus lábios e exalando, junto com seu fôlego, um pequeno gemido.

    Havia se esquecido de que Axle e Poppy estavam ali, provavelmente a observando. A fome, a necessidade de ter suas energias revigoradas era maior do que ela imaginava.

    Seus dedos escorreram levemente para dentro da calça. Axle e Poppy certamente veriam uma fraca luz vermelha surgir em volta da ruiva.

    Porém, antes que seus dedos tocassem sua pele nua, um estampido no andar de cima a acordou de sua quase hipnose, recolhendo sua mão para cima das cobertas e olhando assustada para o alto. Parecia ter sido o som de madeira partindo em vários pedaços e um baque surdo na neve ao lado de fora. Teria Jasor escapado? Artemia sentiu seu coração bater ainda mais forte do que já estava batendo: tentou se levantar para seguir o rapaz, mas não tinha muita energia de sobra para iniciar uma corrida.

    Ao invés disso, ela se manteve deitada no sofá. Com o semblante sério e estranhamente calmo, ela olhou para Axle. Ele veria que suas bochechas estavam mais rosadas do que o normal, seus lábios mais carnudos do que antes.

    - Axle... o que faremos com ele? Está descontrolado. Pode acabar se matando na neve!
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Qui Abr 14, 2016 12:03 pm

    Não conseguia dormir.

    Contou e recontou algumas vezes todo o monte de moedas e pedras preciosas, na esperança de pegar no sono. Rosnou irritado consigo mesmo, talvez com a barriga cheia conseguisse dormir em paz. Logo se levantou e caminhou de "ré" saindo da câmara do tesouro e logo andava pelo longo túnel até a câmara maior, pensava se Artêmia estaria bem, a tinha visto tropeçar e quase cair na neve assim que se afastou do dragão. Ela estaria fraca, ou doente? Talvez deveria ir checar se estava tudo be....Abanou a cabeça de um lado para o outro. Porque estava se preocupando com ela? Ela estaria provavelmente ocupada com Jasor e com o outro macho, ambos com certeza cuidariam muito bem dela. Muito melhor do que o próprio dragão poderia fazer.

    Tirando isso da cabeça, Venkar finalmente chegou á câmara maior, observando o pequenino circulo escavado no meio da câmara. O magma que outrora esteve naquele local já havia esfriado e voltado ao estado de rocha. Andou ao redor e saiu de seu covil, observando a paisagem branca, as arvores cobertas de neve em seu topo, e o grande lago quase que totalmente congelado a superfície.

    Os rebanhos de caça seriam escassos ou provavelmente tinham migrado para regiões menos frias, como faziam nas estações anteriores. Mas tinha certeza que encontraria algo... então o grande dragão abriu seu imenso par de asas e se lançou ao céu. Voava na direção da floresta, talvez a mesma que um rapaz peladão estaria correndo.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Qui Abr 14, 2016 5:30 pm

    Axle precisou parar para refletir. Aquela era uma pergunta nova, ninguem a tinha feito antes. Talvez pela natureza sobrenatural da criatura ela tivesse um pensamento diferente do comum. Ou talvez preservasse uma curiosidade infantil perene, sem restrições e regras. Ergueu a mão na altura dos olhos, como se pudesse ver atraves de suas estruturas e obter todas as respostas.

    - Sou feito de um metal avançado e um tecnologia perdida que faz os da minha raça possuirem habilidades inexplicaveis...

    A luz esverdeada continuava a brilhar, entre seus dedos. Abaixou então a mão, olhando para com curiosidade para o orbe sensiente. Gostava do momento cientifico de troca de informações, embora não fosse facil descobrir isso no rosto dele

    - E você Puppy, do que é feito ?

    Pouco depois Artemia se movimentou de um jeito estranho. Os olhos do reploid deslizaram até ela, tentando entender o que estava acontecendo. Parecia ter tido um espasmo seguido de um gemido. Devia estar sofrendo ainda. Esperava que um pouco mais de tempo no calor da lareira a recuperasse.

    O ruido chamou atenção tambem de Axle, que aconteceu pouco após Poppy surgir. O novo grito de Jasor confirmava o causador da baderna. Pousando a mão no ombro da ruiva, ele tentava conforta-la.

    - Ele esta aterrorizado, e tem motivos para isso. Fique aqui, descanse. Poppy, cuide dela.

    O rosto dela parecia um pouco diferente, mais corado, seus labios maiores...Axle achou estranho, mas julgou ser apenas uma impressão ou fruto de sua situação debilitada. Abriu a porta com cuidado, e fechou atraz de si logo a seguir, não deixando muito ar frio invadir o lugar. O som do lado de fora dava uma ideia de que tinha fugido, e quando juntou a janela quebrada com os rastros evidentes de alguem, soube que Jasor não estava mais na casa. O cheiro dele seguia naquela direção, confirmando todas as suspeitas. Seguiu então naquela direção antes que o loiro colocasse a si mesmo em risco.
    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Sex Abr 15, 2016 5:24 pm

    Sua corrida contra a neve continuava, e ele não tinha intenção de parar. Como se ja não bastante o dragão ter tentado engoli-lo, agora o ignobil passa por objetos solidos ! Realmente esperava que o bastão de ferro tivesse cravado no miolo mole do reptil para que nunca mais levantasse. Tudo estava caminhando para dar certo: uma bela mulher lhe dando mole e a liberdade causada pela vitoria contra o gordo nojento. Finalmente estaria livre daquela boate doentia, finalmente algo de bom acontecera depois de todo aquele tempo. E ai o dragão chegou. Dilacerou um inocente e quis mata-lo tambem. Artemia morreu. O lagarto foi atraz dela, e provavelmente envenenou a alma dela até que ela se tornasse um demonio. E ao voltar quis mata-lo novamente. Tudo o que podia dar certo deu errado. Qualquer sorte planejada apodreceu no mais bolorento azar.

    Não iria ficar parado esperando que ele conseguisse. Se acreditavam nele, azar desse idiotas. Iria para longe, longe o bastante para que nem esse monstro conseguisse segui-lo. E se seguisse teria uma surpresa o esperando...

    Frio. A saliva que no primeiro momento conservava algum calor agora resfriava rapidamente exposta ao ambiente gelado. Os cristais de gelo se agregavam em sua pele nua sem impedimentos. Sentia um dor crescente, um frio intoleravel. Seus ossos pareciam que iam se partir e sua carne esfarelar-se. Caiu de joelhos, sem conseguir dar um passo a mais. Nunca gostou do inverno, e agora ficava evidente o porque. Sua energia se esvaia perigosamente, e não importava o quanto tremesse a angustia não passava. Havia sido trazido para uma armadilha. Maldito dragão...
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Yumi Hayashi em Dom Abr 17, 2016 8:07 pm

    Tudo aconteceu rapido demais, ao ver aquela criatura grotesca e o cordão umbilical, entendeu que era ele o responsavel daquela gosma negra, mesmo sem entender o que de fato estava acontecendo ali. Mas não teve tempo para pensar, olhou melhor quando Tets gritou "mãe". Iriel estava ali, provando que ela falou a verdade. Eles poderiam lutar juntos, com certeza venceriam e então poderiam voltar os três pra casa. Talvez ela pudesse ter uma terceira mãe...por que não? Infelizmente não teve tempo para aproveitar aqueles pensamentos. Tão logo escutou o grito dela para que partisse. Queria dizer a ela que poderiam lutar, mas mais uma vez não ou tempo. Iriel os mandou para longe dali, mas não sem antes deles verem ela sendo atacada.

    - NÃÃÃÃÕOOOO!!!!

    Yumi gritava chocada, apertando ainda mais o irmão. Como o destino poderia ser tão cruel dessa forma?! Foram sugados para fora do inferno...e mesmo fora Yumi continuava com o grito. A saída foi rapida o suficiente para que ela não percebesse por alguns segundos que não estava mais la. Que não havia mais nada para ser feito. O que tinha acontecido a ela?! As lagrimas caiam pelo rosto da kitsune, e voltou o olhar para Tetsuya e para onde eles estavam.

    ....

    Eles não sairam na boate destruídas. O frescor do campo recebiam eles. Já era noite e a primeira coisa que eles poderiam ver era um enorme lago na sua frente. Aquele selo estava direcionado para a sua casa.

    - Tets...

    Ela não sabia o que dizer, apenas puxou o raposo para um abraço apertado, envolvendo-o com suas cinco caudas.


    Quanto a Venkar saberia que sua amiga estava de volta. Uma corrente forte de sentimentos melancolicos invadiram os pensamentos do dragão. O canal deles estava completamente aberto e com isso ele poderia até saber onde ela estava, vendo através de seus olhos.
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Dom Abr 17, 2016 9:02 pm

    Tão logo a luz cedera, ambos os kitsunes pareciam quase despertar de um terrivel pesadelo. Ainda às costas de Tetsuya, Yumi não via seu rosto; mas pelos menos seus ombros pareciam sem qualqur tensão, curvados, diminutos. E não dizia palavra alguma, apenas sua mão estendida para frente ia lentamente baixando. Não havia o que ser dito. Não bastasse o trauma de ter visto o suposto pai assassinar sua mãe diante de si, vira agora a pouco novamente sua mãe desaparecer de sua vista,num estado lastimável e com uma chance extremamente remota de ter sobrevivido. Se o trauma prévio fizeram com que o raposo se fechasse tanto para qualquer contato com outros seres, tornando-o egoista, individualista e desconfiado, o que um segundo trauma daqueles faria a ele?

    O fato do embrião gigantesco ter uma aura mista como a de Tetsuya, demoniaca e angelical, também não era algo que lhe ajudava a estabilizar seu emocional. E de certa forma, se nao tivesse desfeito o selo, talvez sua mãe nao tivesse sido distraída e tivesse mais chances...não teria sido ele o causador das "duas mortes" de sua mãe? Era facil imaginar as infinitas formas de Tetsuya se auto-torturar.

    E apesar de tudo aquilo, não gritava, chorava, berrava, não demonstrava nada. Não fazia nada. Apenas permanecia ali, de pé, como que imobilizado por algo, como se sobrasse apenas a casca externa, e sua consciencia estivesse a kilometros de distancia. Ou talvez, a kilometros abaixo da propria pele, afastada e isolada de qualquer coisa. Caso Yumi olhasse o irmão melhor, veria-o inexpressivo, apenas piscando ocasionalmente. Não havia dor ali, apenas uma insensibilidade absurda e incompativel com tudo o que passara.
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Seg Abr 18, 2016 11:22 am

    Antes de Axle sair da cabana, Puppy havia escutado o reploid lhe informar do que era feito. Sem delongas, a pequena esfera de luz verde piscou lentamente e respondeu a pergunta:

    - Sou um ser ex nihilo criado com magia branca arcana através do estudo de manipulação das esferas elementais. Artemia me criou ainda criança para que eu a ajudasse a se... proteger.

    Disse pacientemente o ser, que agora flutuou em volta de Axle, analisando seu corpo metálico. Não especificou do que Artemia precisava ser protegida, mas fez uma longa pausa enquanto dizia seu motivo de ter sido criado. Quando se aproximou, o reploid notaria um símbolo brilhante e pulsante em uma das faces da esfera.



    Quando Axle saiu, Poppy piscou brevemente e se aproximou da ruiva deitada no sofá.

    - Ele parece ser bom, pequena. Agora me conte tudo o que te aconteceu.

    Artemia se cobriu com o cobertor até a cabeça quando Axle saiu e liberou um jato de ar gelado para dentro da cabana antes de fechar a porta. A ruiva retirou as cobertas de seu rosto quando a temperatura pareceu voltar ao normal.

    - Muitas coisas aconteceram desde que te vi pela última vez, Pop...

    Antes que a ruiva pudesse continuar a falar, foi interrompida por uma luz intensa no seu colar de cristal. Fuyu?! Ele voltou? Artemia sentou-se rapidamente no sofá e segurou o pingente com as duas mãos, praticamente encostando seus lábios na superfície gelada do cristal:

    - Fuyu! Fuyu! Você... você está aí? Por favor, me responda... o que aconteceu com Tetsuya? Ele está bem? Onde está?

    Artemia não sabia se aquela preocupação era apropriada para ela, pois entendia que o vulpino a detestava com todas suas forças. Ainda assim, seu coração agora palpitava ao ter um sinal de vida em seu cristal. Esperava arduamente que Fuyu lhe respondesse.


    Última edição por Artemia em Seg Abr 18, 2016 2:31 pm, editado 2 vez(es)
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Seg Abr 18, 2016 2:27 pm

    O grande dragão planava por sobre a floresta, procurando em paz por algo satisfatório para comer. Vez ou outra batia suas enormes asas, a escuridão da noite o tornava quase invisível para quem olhasse do chão. O que indicava sua presença era talvez somente o baixo rufar das batidas de suas asas.

    Estava vasculhando o solo coberto de neve entre as árvores quando uma corrente de sensações externas penetrou em sua cabeça, quase fazendo com que perdesse o equilíbrio do vôo. Venkar bateu as asas fortemente para recuperar a altitude perdida e ficou um tempo pairando no ar, até reorganizar as idéias.

    Yumi.

    Ele podia sentir sua presença novamente. Mais, ele podia até enxergar pelos olhos da raposa e viu as costas e cabelos de Tetsuya, ela estava abraçada á ele, e se sentindo melancólica...? O que pode ter acontecido? Sem demora e já sabendo a posição, o dragão alinhou seu corpanzil e seguiu em vôo veloz na direção dos dois.

    A fome ou pensamento de descanso foram varridos de sua mente, o seu único objetivo agora era se reencontrar com a sua querida companheira de lar, e saber o que a afligia.



    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Seg Abr 18, 2016 6:13 pm

    Ex nihilo. O que aquela palavra significava ? Provavelmente alguma classificação conhecida de seres invocados. Esferas elementais, pelo o que o nome sugeria, deveria ser o conhecimento arcano em um ou mais elementos. A criatura parecia ser feita de fogo, e Axle sabia que era a especialidade de Artemia antes. Não sabia distinguir o que era uma magia branca de uma não-branca, mas o resultado era obvio. Uma criatura incorporea, permanente e sensiente. Quão dificil deveria ser isso ?

    Sua curiosidade sobre a magia teria que ficar para outra hora, como sempre. Seu dever agora era salvar um rapaz em panico antes que ele se matasse sem saber. Não era culpa dele, os eventos foram realmente chocantes e inesperados, principalmente para o loiro. Parecia bem disposto nos primeiros momentos de sua corrida desesperada, mas pouco a pouco era muito claro pela trilha deixada que ele se cansou. Axle nem precisou de muito esforço para ver Jasor a frente. Estava caido no chão, sem forças, tremendo em um estado quase epiletico. Embora estivesse nu e molhado, tinha chegado a um estado critico rapido demais para os padrões humanos.

    Axle o ergueu no colo com pressa, e carregou o rapaz desnudo de volta para a cabana imediatamente. Novamente a porta, empurrou-a com o pé, novamente deixando a corrente de ar entrar.

    - Artemia, ajude-o !

    Foi até a frente do sofa e o colocou ao lado dela, esperando que ela o cobrisse para que os dois pudessem compartilhar calor. O fato de o loiro estar sem roupas não incomodava o reploid, de modo que ele não considerava qual a reação de Artemia naquele momento. Logo depois empurrou o sofa para mais perto da lareira para que fizesse ainda mais calor para eles. Por fim, jogou alguns pedaços de lenha que ainda estavam fora para queimar. Jogou bem distante.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Set 24, 2017 5:09 pm