Neo City Uol

O que aconteceu após o golpe militar de 17 anos atrás...


    Interior da Floresta

    Compartilhe
    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Seg Abr 18, 2016 6:35 pm

    Onde foi que tinha errado ? Tudo o que tentou fazer é ajudar um grupo a escapar de um gordo psicopata. Seu presente foi ser jogado na neve, perseguido por um dragão psicopata. As coisas havia piorado. Estava tremendo tanto que não conseguia mais se manter erguido. Caido no chão em posição fetal, ele tentava se aquecer o maximo que podia. Iria congelar ate o osso naquela armadilha maquiavelica planejada pelo dragão e a demonia. Onde estava sua chama ? Talvez se pudesse traze-la de volta...mas como ? Mas conseguia respirar. O ar entrava em suas narinas como um milhão de agulhas invisiveis, e saia como uma nevoa corrosiva de seus pulmões.

    Ouviu algo se aproximar. Passos pesados. De repente foi erguido no ar, mas não conseguia ver pelo que, so sabia que era tão frio quando a neve. Um frio duro e implacavel, como metal. Uma porta foi aberta, lembrava vagamente daquele som, daquela porta sendo arrombada. Foi posto em um sofa confortavel, e parecia existir uma fogueira ali perto. Como o calor era bom, queria se banhar nas brasas, mas não tinha forças. Para a sorte de Artemia, a saliva do dragão tinha cristalizado na pele de Jasor, de modo que o que não tinha caido na viagem de volta, podia ser retirado facilmente com as mãos. Mãos na pele daquele homem de pele levemente bronzeada, de musculos largos e agora incrivelmente firmes pelo frio. Entre suas coxas grossas estava perdido seu membro viril, que não estava tão glorioso quanto da primeira vez que ela tinha visto, justamente pelo frio que o acometida. Talvez com um pouco de cuidado ele pudesse retornar ao seu tamanho original...

    Jasor, porem, não sabia que estava perto de Artemia. Se possivel se aconchegaria proximo a ela, incapaz de entender que estava ao lado da succubus. Logo ficava inconsciente, apenas deixando seu tremor denunciar que ainda estava vivo.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Yumi Hayashi em Qua Abr 20, 2016 8:47 pm

    Yumi secou as lagrimas que escorriam em seu rosto e respirou fundo. Mas devido a falta de reação dele, Yumi deu a volta e ficou parada em frente à ele.

    - Tets...

    Chamou de novo e balançou os ombros dele. Olhava para os lados e viu que sua cabana estava proxima. Segurou a mão dele e saiu arrastando-o na direção da sua casa.

    A morada de Yumi era modesta e rustica, tinha ali apenas o necessário para viver confortavelmente. Tinha uma lareira e um tapete felpudo na frente. Na parede era a unica coisa que tinha de valioso, pelo menos a uma primeira olhada. Tinha uma mochila com o emblema da familia de criação de Yumi cravejado em rubis.

    - Eu moro aqui...


    Na sala havia uma grande entrada que dava para uma caverna, o suficiente para que a cabeça de Venkar passasse por ela, mas talvez Tetsuya não associasse a isso, naquele momento.

    - Por favor, fique a vontade...quer algo?

    Ela continuava insistindo em manter contato com ele, esperava que ele voltasse a si.

    - "Venkar, estou em casa...consegue me ouvir?"

    Falou mentalmente com o amigo, esperava muito que ele estivesse voltado para aquele plano.
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Qua Abr 20, 2016 9:23 pm

    ::Tetsuya::
    Tão logo o olhasse de frente, veria um olhar fixo no horizonte; os olhos azul gelo e dourado pareciam despidos do brilho habitual, quase como um corpo inabitado pela alma. Não contactava o olhar da irmã, nem mesmo quando seu nome fora chamado. Também não ofereceu resistencia; era chacoalhado como um boneco, apenas dando sinal de que estava vivo pelo piscar dos olhos e o movimentodo tórax expandindo e retraindo-se. O ar frio do inverno não lhe parecia fazer qualquer mal, assim como também nao afetaria em nada a irmã. Era um clima agradável, na verdade.

    Tomado pela mão, o rapaz simplesmente foi deixando-se guiar, numa espécie de hipnose. Convivado à moradia da irmã, seus olhos nao se detiveram sobre nada. Nada o impressionava, nada lhe causava qualquer reação. Permanecera ali de pé, parado, vegetante. Até quando ficaria daquela forma? ou....será que ele voltaria ao normal? E se voltasse, seria o mesmo de antes?

    ----------------------------------------------------------------------------
    ::Fuyu::
    Tão logo "invocado" pela ruiva, uma esfera brilhante prateada, envolta numa espécie de aura demoniaca negra se materializou, começando a flutuar em torno de Artemia. Talvez fosse pelo humor do raposo, mas aquele aspecto parecia terrivelmente semelhante à Poppy. A aura demoniaca - demonstrada de maneira muito menor e inofensiva que o seu habitual - dava um aspecto de quase uma antítese da outra esfera de luz que também acompanhava Artemia.

    -Estou sempre aqui! Afinal, sou seu fiel, novo e melhorado familiar! - dizia, numa clara provocação à Poppy, no tom brincalhão habitual - Posso detectar que ele está novamente na Terra, não muito longe. Mas nao sei se está bem ou não; afinal minha consciencia está aqui...

    O tom despreocupado do raposo poderia indicar que talvez o filho estivesse bem. Pelo menos, fisicamente estava bem; Fuyu nao poderia sequer imaginar o que acontecera à mente do rapaz, claro. E logo observou conforme Jasor era trazido por Axle, que parecia igualmente receoso das chamas. A esfera prateada demoniaca flutuou em torno de Jasor por alguns instantes, como se o avaliasse.

    -Hmm...não seria melhor jogá-lo dentro da lareira? Quem sabe ele não se aquece mais rápido?

    E riu um pouco a seguir. O comentário seguido do riso parecia soar como um um horrível humor negro, até mesmo para Fuyu. Mas considerando o que fizera até então e sua aparente índole, provavelmente jamais iria sugerir algo tão danoso ao loiro, a não ser que realmente fosse algo benéfico. No fim, Fuyu parecia na maioria das vezes saber mais do que aparentava sobre assuntos relacionados à magia, mas o humor e falta de detalhes deixava seus comentários ou vagos, ou incertos.
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Qui Abr 21, 2016 9:12 am

    Assim que a luz de seu cristal perdeu a forma de sempre e se transformou em uma esfera de luz flutuante, Artemia abriu um largo sorriso aliviado. Ouvir a voz brincalhona de Fuyu ao lado da calma e paciente de Poppy a deixou imensamente feliz. Jamais imaginaria ver esta cena em sua vida: Fuyu, seu protetor, ao lado de seu eterno guardião, Poppy.

    - Fuyu... se pudesse, te abraçaria agora..

    Disse ela, fracamente, ainda sorrindo. Ele havia sumido desde que a ruiva se tornara demonesa; a angústia em te-lo perdido já não mais importava. Agora ele estava ali, com seu jeito despojado de sempre, e Artemia sentiu-se mais segura que nunca.

    Ouvir notícias de Tetsuya fez seu coração disparar acelerado. Aguardava ansiosamente por mais palavras de Fuyu, mas ao saber que o vulpino estava novamente de volta à Terra, e não muito longe, Artemia sentiu seus músculos enrijecerem de nervoso. Lembrou-se que apenas o vulpino a fazia se sentir assim; as lembranças de seus tempos no inferno vieram à tona, em especial aquelas em que os dois consumiam o que ela mais sentia falta agora.

    - Eu fico feliz de saber que ele está bem, ainda que não seja da minha alçada...

    Murmurou ela, abaixando a cabeça, procurando afastar arduamente aquelas memórias que atingiam não somente seu coração, mas também a parte mais intima e necessitada de seu corpo.

    Por sorte, os pensamentos voaram levemente para longe assim que Axle entrou novamente na cabana, trazendo em seu colo um Jasor inconsciente, gelado e... Nu.

    Para o desespero de Artemia, o Reploid deitou o barman ao seu lado no sofá, o cobrindo com o mesmo cobertor que a aquecia, trazendo à tona um turbilhão de sensações absurdamente desesperadoras na sensual ruiva.

    O braço esquerdo de Jasor estava em contato intenso no abdômen de Artemia, que agora estava virada de lado, o encarando boquiaberta. Seus olhos passaram por toda a extensão do loiro: seus pés, pernas, coxas, e conforme seu olhar subia, seu coração acelerava junto. Quando menos esperou, a ruiva sentiu perder o fôlego assim que vislumbrou o membro tímido de Jasor, lembrando-se do quanto parecia ser vigoroso quando ele estava bem.

    "Eu posso... Dar um jeito nisso..."

    Pensou ela, salivando. Sua fome era praticamente palpável; seu alimento estava entregue, ali para ela, como se fosse em uma bandeja, pronto para ser saboreado...

    Artemia ergueu uma mão e passou pela pele do abdômen dele, sentindo um choque de energia intenso perpassar pelo seu próprio corpo, fazendo sua respiração ofegar de desejo. Mordiscou furiosamente seu próprio lábio enquanto retirava dele os resquícios de saliva do dragão, que agora impediam que ele se aquecesse. Além disso, atrapalharia ela no que estava para fazer agora...

    Seus dedos tocaram levemente o membro gelado dele; estava apenas retirando a saliva de Venkar, porém, poder finalmente tocar em Jasor e sentir sua textura a deixava praticamente extasiada de desejo. Seus olhos ardiam com uma estranha chama verde que os de fora facilmente notariam. Havia se esquecido, por um momento, de que havia mais seres na sala.

    Ele estava ali, entregue. A fome de Artemia parecia ser incontrolável. Mas não para ela: não deixaria aquilo a consumir. Suas mãos se ergueram. Não podia toca-lo! Não devia! Ele não a queria. Havia recusado suas intenções, escapado de seus braços e a humilhado com sua dignidade perante seu antigo corpo. Havia rejeitado sua existência, alegando que sua alma fora corrompida pelos demônios, sem deixar resquícios da humana bondosa que ela havia sido.

    O que ele pensaria dela agora, caso ela sugasse suas energias se alimentando? Tudo que ele disse se tornaria verdade, as explicações da demonesa teriam sido em vão...

    Para completar, Fuyu teve a mesma ideia que ela.

    Com um esforço fora do comum, a ruiva respirou fundo após retirar toda a baba congelada do dragão, deixando o corpo torneado, e amplamente desejável de Jasor, nu e limpo. Com outro esforço fora do comum, Artemia o empurrou para fora do sofá, em um ato em que ela talvez se arrependeria imensamente: estava anulando sua própria salvação... o salvando.

    Jasor agora se encontrava dentro da fogueira. Artemia se ergueu do sofá, ficando de pé no chão gelado. Em seu rosto, era notável sua expressão de dor absoluta. Havia negado sua própria natureza em prol de Jasor.

    "Pela última vez", jurou para si mesma.

    Talvez essa era a prova que ela própria precisava para saber suas diferenças entre uma real Succubus, nascida e vivida no inferno, e ela, transformada de humana para demonesa. Artemia conseguia se controlar. Parecia ter uma dor sem fim, algo excruciante que agia como facas que rasgavam sua pele de dentro para fora, a deixando ainda mais fraca. Parecia ser o fim de sua própria existência, ao se anular, ao se privar de se alimentar. A dor imensa, como retaliação do ato de se negar, parecia ser, em si, seu próprio suicídio.

    Mas era o que precisava fazer.

    Sentindo essa dor terrível em cada músculo de seu corpo, a ruiva se afastou cambaleante do sofá - de Jasor. Não sabia até onde poderia se controlar. Bateu suas costas na mesa de madeira no centro da sala e caiu ao chão. Sem forças, a ruiva fechou os olhos e sentiu sua consciência deixar este mundo.

    Poppy, a esfera de luz que se manteve quieta até agora, se aproximou do corpo dela. Ele pouco entendia o que acontecia, principalmente aquela estranha cena dela tocando o corpo do rapaz no fogo. Sentia urgência em ajuda-la, mas não sabia o que fazer.

    - O que houve?! Artemia?

    Exclamou ele, piscando sua luz em desespero.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Qui Abr 21, 2016 2:39 pm

    Venkar já estava voando na direção de Yumi. A pulseira que lhe dera lhe dava esta capacidade, foi então com surpresa que percebeu que ela já estava em seu lar compartilhado. Porém o elo entre os dois não era apenas um meio de comunicação. Ele podia sentir quase o mesmo que sua querida companheira podia sentir... e ela estava triste? Ou desesperada por algo ou alguém... o que teria acontecido? Pensando isso bateu as asas mais fortemente, ganhando mais velocidade. Ouviu sua voz mais uma vez, doce e querida em sua mente, e logo a respondeu mentalmente.

    "Estou indo! Consigo! Estou chegando!"

    Logo avistava sua caverna e procurava por Yumi com os olhos. Ela já devia estar lá dentro. Então pousou na entrada de sua caverna, fazendo o chão tremer com o impacto. Em sua pressa não foi tão cuidadoso quanto desejava. Tanto Yumi quanto Tetsuya podiam sentir o tremor.

    Entrou em seu lar já imaginando onde ela estaria, a grande câmara principal de seu lar possuía uma pequena abertura para que pudesse entrar com sua cabeça na "sala" do lar de Yumi. Então foi isso o que fez, meteu o focinho naquela abertura, vendo de imediato a raposinha mas parou ao ver que estava acompanhada. Seus olhos em fenda se estreitaram de imediato.

    - YUMI!!! Você está bem! Não está ferida? E... quem... o que ELE está fazendo aqui??

    Estava feliz por finalmente poder colocar os seus olhos em sua querida companheira, felizmente ela estava bem, mas havia algo de errado. O raposo, ele não parecia bem, e ela parecia aflita com o seu estado... mas porque ela o tinha trazido para o seu lar? Ele havia tentado matá-la... e sequer havia se desculpado... se preocupava apenas com a succubus. Fora por causa dele, de Tetsuya que tudo isso aconteceu, o dragão pensou. Queria respostas, e se não gostasse delas... alguém iria pagar. Já sentia a raiva e o calor das suas chamas crescendo em seu peito.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Qui Abr 21, 2016 6:01 pm

    Bastou que a lareira estivesse estavel, bem alimentada para que as chamas se mantivessem altas, para Axle se afastar ainda mais, mas agora de maneira mais placida. Os dois que estavam sob sua vigilancia estavam seguros. Agora bastava tempo para que o calor fizesse seu trabalho e os recuperassem. Cruzando os braços observou melhor o ambiente, em busca de algum lugar que armazenasse alimentos...e que não estivessem vencidos aquela altura. Foi ai que percebeu o retorno de Fuyu, agora em uma forma totalmente nova. Parecia...uma copia de Poppy...uma piada, talvez. Em resposta ao comentario dele sobre jogar o rapaz na fogueira, uma "sombrancelha" lentamente se ergueu no rosto do reploid.

    - Você deve estar brincand...oh...ele é imune ao fogo. De fato...mas seria melhor não mecher nessa lenha. Não conheço muito bem a melhor forma de manter o fogo acesso, e joga-lo ali poderia causar transtornos...

    A ideia maluca, na verdade, poderia ate dar certo, embora Axle não cogitasse a opção. Não tinha visão do que Artemia fazia com Jasor, até o momento em que ela o empurrou para dentro do fogo. Os olhos do reploid se arregalaram por um momento. Ela se levantou, mas não estava bem, e caiu ao chão.

    - Artemia ?! O que há com você, diga !

    Axle correu até ela, tentando desperta-la para que ela desse uma pista do que a aflingia. A pegou novamente nos braços, e a trouxe de volta para frente da fogueira, deitada agora em toda a extensão do sofa. Se o movel chegasse mais perto da lareira poderia até se incendiar.

    - Poppy, Fuyu ! Sabem o que esta acontecendo ?

    Não se preocupava mais com Jasor naquele momento, ele deveria se recuperar agora longe do frio do ambiente, dentro da propria fogueira. Mas a ruiva so piorava a cada momento, e Axle tambem não sabia como ajuda-la.
    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Qui Abr 21, 2016 6:23 pm

    O braço esquerdo do loiro parecia quer traze-la junto de si, quase abraçando-a. Sua mão apertava a pele macia dela como se trouxesse conforto a ele, involuntariamente atiçando o desejo basico da succubus. O corpo de Jasor estava levemente frio, mas pelo jeito que tremia parecia estar a ponto de congelar completamente. As manchas em seu rosto haviam desaparecido, e agora seu corpo estava palido. Mas o tom de pele não estava certo. Ao inves de perder a cor e se aproximar do branco, o barman ganhava uma tonalidade cada vez mais cinza.

    Gemia baixinho quando sentiu Artemia passar a mão por sua barriga, e novamente quando o tocou em seu membro. Embora ainda não tivesse recobrado sua forma vistosa de outrora, o calor e suavidade da mão da ruiva provocavam uma pequena reação, como uma contração fraca. O que faria então quando estivesse bem novamente ?

    Mas agora tinha sido empurrado para dentro da fogueira. O que normalmente seria um ato de loucura, naquela situação era um ato de ajuda. Poderia ter se recuperado nos braços dela, mas a fogueira era quem cuidaria dele denovo. Quando o corpo rolou para dentro da lareira, espalhou a lenha acumulada para todos os lados. Mas para o alivio de Axle, o fogo continuava a queimar normalmente.

    Lentamente a cor de sua pele voltava ao normal, e os tremores cessavam, alheio ao sacrificio que Artemia tinha feito para provar que não tinha se tornado um demonio sem coração. Mais uma vez ela iria se sacrificar impensadamente por alguem ? Seria o destino dela repetir o mesmo ciclo novamente ?
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Yumi Hayashi em Dom Abr 24, 2016 3:25 pm

    Tetsuya continuava distante, não importasse o que ela fazia, ele parecia um fantoche. Então em uma tentativa desesperada ela buscou no fundo de uma gaveta e pegou uma pequena caixa e lançou um feitiço de "destrave" e um "click" poderia ser ouvido. Abriu a caixinha e tirou dela o pingente que tinha mencionado.

    - Tets, veja...é você bebê...tão lindo e rabugento... - Sorria, um pouco insegura se aquilo iria mesmo ajudar. Não gostava de ve-lo assim e aquilo a deixava muito aflita.

    Ela balançava o pingente na altura dos olhos dele, quando ouviu a resposta do seu amigo.

    - "Ai que bom, fiquei com tanto medo que tivesse preso no inferno..."

    Respondeu a ele, mentalmente. Mas tão logo respondeu sentiu o chão tremer e sabia do que se tratava. Venkar foi mais rapido que ela e adentrou em sua sala, antes que ela fosse ao seu encontro.


    - Venkar!!!

    Falou euforica, correndo até ele e abraçando o seu focinho!

    - Eu estou bem...na medida do possivel. Mas, não estou ferida! - Olhou na direção de Tets e voltou os olhos para ele - Ué, ele é meu irmão...onde mais ele iria?
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Dom Abr 24, 2016 11:15 pm

    Fuyu - ou pelo menos a esfera luminosa que parecia representá-lo - se aproximou calmamente, flutuando. Apesar de geralmente brincalhão, aos poucos ia adquirindo um ar de seriedade, talvez preocupação, o que por si só já era um sinal de alerta: em se tratando de assuntos relacionados à magia, por mais desesperadora que fosse a situação, se Fuyu estava calmo provavelmente nao era nada sério, e dava-se o direito ao humor. Mas o fato de demonstrar uma preocupação real agora já mudava drasticamente a situação...

    -Artemia é agora uma succubus completa...imagine-a como uma espécie de "vampira" infernal. Ao invés de sangue, no entanto, ela se alimenta principalmente de energia vital, e o faz com uma exímia capacidade através do ato sexual...o que na maioria das vezes é fatal para a maioria das vítimas já na primeira vez.Também podem drenar energia através da cauda, mas é um método muito pouco eficaz de conversão de energia; semelhante à respiração anaeróbia em seres humanos. Drena-se muito, mas aproveita-se muito pouco do que é drenado por esse meio...

    Pouco a pouco a esfera de luz foi flutuando até a cauda de Artemia, envolvendo-a, e rapidamente reduzia seu brilho. A esfera de luz, agora translúcida e bem transparente, voltava a flutuar para o lugar de antes; a velocidade com que sua energia fora drenada era surpreendente, algo em torno de 3 segundos, no máximo.A voz do vulpino parecia severamente prejudicada, cansada, exaurida.

    -Isso....deve ser capaz de mantê-la viva por....mais um tempo. Talvez...uns 20 minutos...?Talvez menos....?

    --------------------------------------------------------------------------------------------

    Venkar poderia ver a figura do irmão de Yumi ali parado; parecia um mero espantalho comparado ao vulpino de antes, o agressor que ferira sua amiga. Parecia agora inofensivo, indefeso, inutil até mesmo para seu auto-cuidado. Parecia carecer-lhe vida, ou pelo menos desejo de viver. Estava completamente quebrado, indiferente a tudo e todos, o olhar vazio fixo em lugar nenhum.

    E ficaria assim indefinidamente, até que o pingente que Yumi pegou balançou em frente ao olhos, como um pêndulo hipnótico. E pouco a pouco, o olhar vazio foi se fixando naquele objeto, fazendo-o finalmente reagir. Era o pingente de sua mãe. Sua mãe que vira aparentemente morrer duas vezes diante de si, cada vez de uma maneira mais brutal que a anterior. Lembranças do constrangimento e brigas com ela ao ver aquela foto pela primeira vez, mescladas às raras boas memórias que tivera quando criança. Seu corpo começou a estremecer, e o raposo caiu ao chão, ajoelhado, a mão em aperto sobre o peito. Os olhos enchiam-se de lagrimas, conforme curvava-se sobre si próprio. Enfim havia "despertado" de seu torpor, mas caía numa espécie de desespero, tristeza e preocupação intensas.

    Pouco a pouco, parecia tentar engatinhar, arrastar-se pelo chão ainda com a mão sobre o peito, enquanto a outra estendia-se para frente. Parecia sentir uma dor física, como um infarto, ao mesmo tempo que sentia quase um desespero para sair daquele covil, ir para algum lugar. Apontava na direção do dragão, mas parecia claro que indicava algo por trás dele. E assim, arrastava-se na direção de Venkar. Não parecia temê-lo, ou melhor, não temia ou se preocupava com a propria segurança, mas algo o guiava. Algo forte o bastante para tirá-lo da tristeza e auto-piedade, dando-lhe alguma força para agir. Mas de sua boca não saíu palavra alguma.
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Seg Abr 25, 2016 10:03 am

    O corpo de Artemia estava inanimado, sem reação alguma. Mais uma vez a maga se sacrificou por alguém, perdendo sua vida em prol de outra. Até quando se sacrificaria sem obter resultados a seu favor? Tetsuya a odiava. Jasor a odiava. Nada valia a pena...

    Havia perdido sua consciência no instante em que caíra ao chão, ao bater as costas na mesa de madeira. Seu pulso estava fraco, lento, denotando sua vida que se esvaía rapidamente. As grandes asas e cauda reapareceram de seu estado oculto de antes, ocupando um espaço maior no chão daquela pequena sala.

    Quando Fuyu se aproximou do corpo, doando um pouco de sua energia para a cauda da maga, logo após explicar sua condição, Poppy piscou algumas vezes sua luz verde brilhante. Em seguida, sua esfera tomou outra forma: deixou de ser apenas um círculo de luz para se transformar em um guerreiro de alta estatura e completamente coberto por uma forte armadura do que parecia ser prata. Usava um elmo de mesma textura e uma espada grande em suas costas. Assim como o dragão anterior, esta sua forma também era translúcida, feita de uma matéria vaporosa, que a cada movimento parecia desfazer-se para refazer-se em seguida.



    - Artemia, o que você fez consigo mesma?

    Murmurou a voz calma e serena de Poppy, que agora se curvou diante do corpo inerte da ruiva. O cavaleiro de prata estendeu uma mão sobre a testa dela, fazendo um brilho esmeralda esmaecer e envolver toda a face de Artemia, deixando-a levemente corada.

    - Isso fará com que ela tenha pelo menos uma partida mais leve...

    Disse ele, após recolher sua mão e manter-se ajoelhado em frente a ela, em uma postura firme, como se estivesse guardando o corpo de Artemia. Com esta aparência, Poppy não deixava de ser diferente de um anjo da guarda que apenas aguardava a partida de sua protegida. Talvez Artemia não imaginava o quão sortuda era em ter amigos leais como Axle, Fuyu e Poppy, seus maiores mentores e escudeiros, que agora velavam por seu corpo e aguardavam algum milagre acontecer para que ela voltasse a acordar.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Seg Abr 25, 2016 1:48 pm

    Fechou os olhos de prazer ao sentir os braços macios e conhecidos de sua querida companheira envolverem a ponta mais fina do focinho. Não sabia como explicar, mas aquele simples ato o deixava imensamente feliz por dentro, Yumi podia ouvir e até sentir sob suas mãos o couro do dragão vibrar levemente, e um ruído subia sua garganta... era um som muito similar á um ronronar, porém mais grave e gutural.

    Infelizmente o irmão dela estava ali... então o contato foi breve e logo a raposa se afastou, aparentemente surpresa com o questionamento do dragão. O simples fato dele ser irmão não parecia ser o suficiente... mas se ela ficasse feliz, Venkar aceitaria, apenas por ela.

    A fera voltou a atenção para Tetsuya, observando seu estado catatônico. E recuou mais o focinho quando ele caiu de joelhos no chão, com uma mão apontada para o dragão e outra no peito. O que ele tinha? Só porque viu um minúsculo pingente? O que tinha demais ter a imagem dele quando era mais novo? Algum trauma de infância... Venkar supôs.

    Se lembrava dele ter seguido para o inferno assim que percebeu que a humana de cabelos vermelhos havia falecido. E foram para o inferno buscá-la... ele estaria assim devido ao estado atual de Artêmia? Será que ele também não aceita o fato dela mudar para succubus? Venkar se afastou mais um passo, recuando para dar espaço para o homem-raposo que se arrastava no chão.

    Rosnou então em tom baixo para Yumi.

    - Talvez seria melhor levá-lo para onde está a ex-humana. Acredito que ele esteja assim por causa dela... Ela também estava em um estado parecido com o do seu irmão... muito fraca e quase caiu da última vez que a vi, entrando em sua cabana.

    Aproximou o focinho enorme e farejou uma vez o irmão de Yumi, assim que ele se aproximou mais um pouco. Apontava para si? Ou algo atrás de si? Olhou para sua companheira, com uma clara indagação nos olhos.

    - Coloque-o em sua cama... ele pode se ferir se andar desta maneira em minha caverna. Ele pode até cair, no fosso que escavei para fazer sua pulseira. Ah! E ... ainda está com o colar?

    Havia se lembrando que Yumi tinha ficado muito contente quando assumiu sua forma humanoide, e assim que resolvessem esse assunto de seu irmão, iria testar o objeto mágico mais uma vez. Desejava experimentar coisas novas, mas apenas na segurança de seu lar, e de preferência com Yumi ao seu lado.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Seg Abr 25, 2016 7:35 pm

    Os estado de desespero que Axle se encontrava refletia-se em seus olhos, que dardeavam inquietos para todos os lados. Ouviu com atenção impar o que Fuyu havia explicado. Artemia havia se tornado uma succubus. Agora entendia aquelas mudanças sutis que tinham acontecido com ela: uma adaptação para sobreviver em sua nova raça. Ela precisaria estar em constante ato sexual para se manter existindo. Axle testemunhou o momento em que Artemia estava no auge de sua libido junto com Tetsuya, naquela sala do vampiro. Ainda assim, ela parecia inocente. Não mais. Sua vida agora dependia da devassidão, da sua capacidade de sedução. Era uma forma incrivelmente estranha de se alimentar, sem contar com a ausencia de praticidade

    - Viver por vinte minutos ?! O que você quer dizer Fuyu, ela esta morrendo de fome ?!

    Comer carne ou frutas é facil e pratico. Estavam em uma floresta, e Axle sabia precisamente que tipos de plantas são comestiveis ou não. Mas para ela isso não significava nada. Uma complicada de se alimentar, uma que Axle não tinha acesso. Poppy transformou-se mais uma vez, mas agora era a forma de um guerreiro. Achou que aquilo era um sinal que havia uma forma arcana de lidar com o problema, que faria o mesmo que Fuyu doando energia para ela atravez da cauda. Mas as palavras dele eram de desistencia.

    - Partida leve ? Denovo ?!

    Axle ergueu-se e virou na direção da fogueira. Com um bote certeiro, agarrou a cabeça de Jasor dentro da lareira acessa. As chamas consumiram o metal como se fosse madeira, uma coisa bizarra de se observar. Mas isso não impediu o reploid de continuar. Puxou então a cabeça do rapaz para fora, deixando que metade de seu corpo ainda estivesse em contato com o fogo.

    - Jasor, não me importo com a relação de vocês, se você a quer ou não, se confia ou não. Isso não importa agora. Você é o unico que pode salvar ela agora. Ela não ressucitou da primeira vez. Faça ela ressusitar agora. ACORDE !


    Um tapa pesado seguiu no rosto do loiro que jazia ao chão.
    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Seg Abr 25, 2016 7:58 pm

    A ideia tinha sido realmente boa. Em contato direto com as chamas, o rapaz se recuperava rapidamente de sua hipotermia fulminante. Ao contrario do senso comum, quanto maior a temperatura, melhor ele se sentia, sem sofrer queimaduras nem desidratação. Sua afinidade com o fogo tinha maneiras curiosas de se revelar, talvez tanto quanto a descoberta de como Artemia agora se alimentava. Mas no caso da ruiva a revelação era emergencial, de forma que a sobrevivencia de Jasor em um ambiente mortal não foi percebido. Afinal, para ele não era mortal, e magos apareciam de vez em quando fazendo coisas fantasticas da mesma maneira.

    Começava a expressar algumas reações, espasmos de reflexo quando a madeira estalava ao queimar. Sua pele voltara a cor normal depois de poucos minutos, um bom sinal. Ja não tremia mais, embora estivesse em uma posição bastante desconfortavel, deitado sobre uma pilha de lenhas espalhadas. Algumas queriam tirar sua coluna do lugar, outras invadir suas costelas. Para a sorte dele, estava alheio a tudo aquilo.

    Mas não por muito tempo. A mão do reploid entrou na fogueira sem aviso e puxou Jasor pela cabeça sem nenhuma educação. Devagar, as palpebras tentavam se descolar umas das outras. Ouvia uma voz abafada e ininteligivel que parecia estar se dirigindo a ele. Pediam algo ? Não sabia. Demorou quase 5 minutos até voltar a si

    - Hmmmmmmm....???

    E foi seguido de um tapa cruel. A dor fez sua consciencia retornar, embora ainda confusa

    - ARGH ! O que ?!
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Yumi Hayashi em Qua Abr 27, 2016 1:50 am

    Sentiu o ronronar de Venkar, era gostoso fazer ele se sentir assim. Deu um beijo no seu focinho e se afastou.

    - Estou com ele bem aqui...- falou, tirando o colar de dentro da roupa e mostrando a ele.

    Mas olhou assustada para Tetsuya que parecia que estava tendo um infarte.

    -Tetsuya!!!!

    Correu até ele e o abraçou. Olhou assustada para Venkar.

    - Artemia?! Então ela voltou também?! Ela não está bem?

    E olhou um pouco confusa para o irmão.

    - Ele está sentindo isso? O quanto estão conectados?!

    Falou mais pra si do que para os dois...

    - .... Artemia não deve ter se alimentado. Ela é uma succubos agora, não se alimentar é extremamente perigoso. - suspirou cansada e jogou a cabeça para trás. -  Vou levá-lo até ela... Se isso ajudar ele de voltar ao normal. Mas ele não está em condições de...... Alimenta-la.

    Falou a última parte com um verdadeiro incomodo na voz.

    - farei o que tiver de ser feito. Já estou cansada disso tudo.

    Talvez Venkar não entendesse nada do que Yumi estava falando. Nem como ela conseguia carregar o irmão nos braços. Yumi parecia bem mais forte do que aparentava. Asas enormes surgiam em suas costas, parecida com asas da forma draconiana, porém relativamente menores e feita de cristais de gelo.

    Passou por Venkar e abriu as belas asas. Metamorfose era algo que sua amiga, realmente, dominava.


    - Vou até a cabana dela... Se não quiser vim, eu entendo. Não vou demorar.

    Com Tetsuya nos braços ela olhava pra trás por cima das asas.

    - A única coisa que eu quero é ter um tempo com você!

    Sorriu e alçou vôo. Voar era algo bom, mas que ela raramente fazia.  Voava velozmente na direção da cabana da mulher que parecia sempre chamar o Tetsuya. E a sua sina parecia ser ajudar os dois. Respirou fundo. E logo avistou a cabana.

    O bater de asas poderia ser ouvido por ouvidos mais atentos.

    -Artemia?!

    Chamava por ela em sua porta, ainda carregando Tetsuya. Olhava-o e pensava que so faltava uma fita e a frase: "entrega especial".
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Qua Abr 27, 2016 6:38 pm

    Tetsuya persistia, tentando arrastar-se pelo chão, os dedos cravando no solo àspero daquela caverna, ferindo-lhe superficialmente a mão. Por aquilo, Venkar poderia ver o desespero do rapaz; algo parecia motivá-lo a seguir adiante a despeito de seu estado. Fisicamente parecia bem, mas estava claro que sua mente não partilhava do mesmo; apesar da fáscies de dor, não emitia qualquer ruído, nem sequer um resmungado gutural.

    Tão logo Yumi o abraçou, notaria como seu corpo parecia estremecer e retorcer de dor; era como se sentisse que estivesse agonizando para a morte. Provavelmente pelo instinto básico de sobrevivencia, as 9 caudas estavam agora à mostra, de pêlos eriçados. E conforme a adrenalina lhe percorria o corpo, era possivel notar como o irmão parecia pulsar naquela aura mista, de veios negros envolvendo uma pura luz dourada. Ainda não era algo equivalente ao pai de ambos, mas talvez noutro momento pudesse instigar uma duvida em Yumi: como o irmão poderia ser tão menos apto à magia que a irmã, considerando o quanto tinha potencial, a se julgar pela quantidade de energia que exibia agora? Enquanto Yumi criava asas de gelo, Tetsuya mal mal conseguia criar uma simples esfera congelante mediana.

    Ao que Yumi o pegou no braço e alçou vôo, o meio-irmão a abraçou, os dedos retorcidos em agonia. Não dissera uma palavra até então, mas não era preciso: era possivel notar a gratidão por meio daquele simples gesto. Ainda que a ruiva fosse motivo de raiva para Yumi, ficava mais e mais claro o inevitável, que seu irmão realmente se importava e sentia algo sincero por ela, infelizmente. Mas se até Venkar se afeiçoara à succubus, talvez ela nao fosse assim de toda má escolha ?

    -------------------------------------------------------------------------------------------

    A esfera translucida de Fuyu começou a flutuar próximo a Axle. Tal como o reploid, aproximava-se até uma distancia segura das chamas que alimentavam Jasor. Voou em circulos em torno da cabeça de Axle rapidamente, como se procurasse chamar-lhe a atenção.

    -Sr. Axle, é arriscado...Como disse, imagine-a como uma espécie de vampira, literalmente morrendo de fome. O que faria se estivesse à beira da morte, com um pescoço próximo? Compreendo sua preocupação, mas as chances de que sacrifique o sr. Jasor ao propor que ele ajude são altas...na verdade é arriscado para qualquer pess...hm?

    Fuyu flutuou para longe da fogueira, voando um pouco na direção da porta. Parecia ter sua atenção chamada para algo que estava ali - ou melhor, algo que muito em breve estaria ali - como se pudesse antecipar, ouvir, sentir com uma antecedencia maior. Pouco tempo depois, as batidas de Yumi à porta.


    Última edição por Tetsuya Kitsune em Qua Abr 27, 2016 8:21 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Qua Abr 27, 2016 7:25 pm

    Poppy manteve-se ajoelhado próximo a Artemia, observando sua protegida como se aguardasse a hora de sua ida. Sua luz verde esmeralda era semelhante à cor dos olhos da ruiva, que agora parecia estar adormecida, de olhos fechados: apesar de a situação ser de extrema quase morte, seu semblante estava cálido, absorvido em uma estranha paz.

    Seu corpo se estendia sobre o sofá, ao lado da fogueira, próximo à cabeça de Jasor, que agora parecia estar acordando de um sono profundo. Artemia respirava lentamente, sem emitir som algum. O calor do fogo fez seu rosto enrubescer; contos de fada diriam que um beijo tem o efeito plácido de acordar a princesa – só que, neste caso, um beijo não seria o suficiente...

    Durante seu sono, Artemia não via tudo escuro. Imagens passavam pela sua cabeça, algumas mais lentas quando focavam em rostos familiares. Estranhamente, parecia ser algum tipo de flashback, um daqueles confusos e cheios de imagens enevoadas, espaçadas em meio a momentos que faziam parte da história da maga. Seu histórico de atitudes impensadas e imediatistas só tem aumentado. Tudo começou quando decidiu se arriscar pela grande floresta, à procura de seu pai – somente então encontrou Kárdia e Axle – e embarcou em uma aventura repleta de perigos e novas pessoas. As imagens dos dois amigos surgiram em sua cabeça: Axle a salvando dos lobos, Kárdia reclamando de ter sido acordada, dentro do Bunker. Fuyu apareceu, mas era o falso Fuyu. De repente, outros surgiram, em conversas esporádicas: Dark, Nova, Ryan, Adri, Alex. A casa cheia de zumbis. A hora em que ela pegou um machado e enfiou na cabeça de um morto vivo que tentou atacar Kárdia...

    As imagens agora mostravam lugares os quais ela passou, desde o piso de madeira encharcado de poção – o qual ela havia derrubado sem querer durante alguns testes, quando ainda estava criando Poppy -, até a multidão alucinada naquela boate escura.

    Jasor veio à sua mente, sorrindo, galante. Estava limpando alguns copos, atrás do balcão. Como sentia falta daquele Jasor sorridente...

    Recordava agora do momento em que pegou Jasor e Yumi espionando o buraco do banheiro da boate. O momento em que compartilhou seu fogo com Jasor. O vampiro gordo sendo explodido. Yumi lançando a ela um olhar terrível de ciúmes. Venkar surgindo do teto e quebrando tudo. Venkar a carregando de volta para sua casa.

    Sua mente voltou mais um cenário: o beco gelado. Quanta neve! Axle estava lá.

    Tetsuya também.

    Lembrou-se do instante em que bateu os olhos nele, dentro do cristal. Como parecia ser frágil! E quando falou com ele, no beco. Abusado e mal humorado. Ainda assim, fez seu coração acelerar de uma forma absurda. Ela só tinha olhos para ele, por onde passava. O rosto de Tetsuya apareceu nos sonhos de agora de Artemia, ora sorrindo, ora zangado, ora enrubescido, confuso... E então se lembrou do toque quente dos lábios dele. De sua língua. Aquela queda na porta de uma casa desconhecida, a qual tornou impossível um fugir do outro.

    As imagens do momento íntimo de amor dos dois vieram à tona em sua mente, como uma chuva de cenas esporádicas de diversos instantes únicos e marcantes para ela. Cada momento com Tetsuya lhe rendia um aumento considerável de seus sentimentos, até quase explodir de seu peito. Sentimentos estes que perduravam até agora, dolorosamente.

    O olhar de Tetsuya, chocado, decepcionado, ao descobrir a verdade sobre a qual ela guardava com tanto sigilo. A repulsa dele. O ódio marcado em seu semblante, aquele mesmo que costumava ruborizar quando ela se aproximava...

    Enquanto sonhava com eventos os quais havia vivido até então, a ruiva estava desacordada e não notou que alguém batia à porta.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Qui Abr 28, 2016 1:31 am

    [celular voltou, vou postar por aqui]

    O dragão se afastava mais, andando de "ré" enquanto um moribundo Tetsuya andava de quadro em sua direção, ferindo até suas mãos. Mal conseguia tolerar a presença do raposo, cuidar dele era algo demais para Venkar, de modo que ficou agradecido por Yumi decidir levá-lo para longe de seu lar.

    Pensava em oferecer levá-lo e sua companheira... mas felizmente ela não deu tempo para que vocalizasse sua oferta e avistou asas surgindo nas costas de Yumi. Sempre ficava impressionado com a forma com que Yumi mudava de forma ou apenas algumas partes... ainda se lembrava de sua aparência linda e atraente quando assumiu sua forma de dragão, lá no inferno.

    Só deu tempo de Venkar rosnar um "voe com cuidado" antes de Yumi literalmente sumir pela porta de frente, sequer havia á fechado.

    Só em seu lar, o dragão retornou para a sua câmara onde costuma descansar afim de esperar pelo retorno de Yumi.

    Com a raposinha agora ao seu alcance, sequer pensava mais agora nos outros, talvez sua rotina voltasse a ser a paz que era antes dele ter ido para a cidade em ruínas.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Qui Abr 28, 2016 6:17 pm

    Analisava as feições de Jasor, pronto para tomar uma segunda medida pelo curto tempo disponivel, quando a esfera brilhante passou proximo aos seus olhos. Por um momento Jasor ficou de lado enquanto ouvi as novas explicações de Fuyu.

    - Você esta querendo dizer que teremos que deixa-la morrer...?

    Suspirou contrariado


    - Não posso mandar alguem pra morte dessa maneira.....mas ela esta inconsciente, não ? Se a alimentarmos nesse estado, ela não vai nem saber que esta recebendo energia. Quando acordar, ela estara...


    Observou a reação de Fuyu, que de uma hora pra outra parou de falar e foi a porta. Axle prestou atenção na entrada, e pouco depois do raposo sentiu um cheiro familiar. Cheiro de raposas. Então veio o barulho de asas, e a voz feminina. Por que Yumi chamava por Artemia ? Ela não gostava da ruiva, porque estava ali ? Um acerto de contas, talvez. Lentamente Axle se levantou, olhou para Poppy para ter certeza que ele a protegeria, e foi até a porta emperrada, abrindo-a em um unico movimento vigoroso.

    - Yumi, o que...esse é Tetsuya ?! O que houve com ele ?

    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Qui Abr 28, 2016 6:49 pm

    Como aquilo havia chegado aquele ponto ? Como é que tudo girava da mesma forma, sincronizando os fatos do modo mais humilhante e de tanto humor negro ?

    Mais uma vez, coincidencias. Jasor e Artemia estavam em condições pessimas, e até mesmo Tetsuya que acabara de chegar. Os três, mais uma vez, rodeando a mesma situação. A ruiva proxima da morte, e ambos proximos. Ela havia conseguido voltar do inferno a poucas horas, só pra morrer de uma vez por todas na propria casa ? Dessa vez não haveria pira que salvasse seu corpo ou sua alma. Talvez esse fosse o destino inescapavel dela, afinal

    Mas não deixariam que ela se fosse tão facilmente. Até mesmo o garoto rabujento tinha aparecido magicamente na porta ! Depois que recebeu o tapa de Axle, despertou bruscamente de seu desmaio. A dor no rosto era terrivel e ingrata, e o forçava a voltar a realidade e sentir novamente a fragilidade de seu corpo. Suas pernas, pelo menos, estavam bem aquecidas. Começou a move-las devagar, e então os braços. Enquanto passava a mão no rosto, as palavras de Axle deram a volta e finalmente chegaram a ele, junto com outras que vieram a seguir. "Salvar ela agora"..."Faça ela ressucitar agora"..."Artemia ?!"...."vampira morrendo de fome"

    Finalmente abriu os olhos, mas não sabia onde estava. Não sabia o que estava acontecendo nem do que falavam. Apenas conseguia focar no teto da cabana. Havia uma sensação diferente em sua pele. Estava...tocando diretamente o chão frio, e a fogueira acesa. Assustou-se por um momento ao perceber que estava dentro do fogo, empurrando como calcanhar a lenha ardente,  mas então lembrou que ja tinha sobrevivido a algo assim antes. Agora que pensava nisso, achava estranho. O fogo laranja era inofensivo, mas quando perdeu o controle, ele se tornou fogo de verdade, enquanto ele ainda estava la dentro. Mas não se queimou, na verdade não lembrava de um dia que tinha se queimado. Uma pergunta simples importunava sua mente naquele momento.

    - Por que diabos...eu estou nu...?

    Perguntou ao ar, sem esperar de verdade a resposta de alguem
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Yumi Hayashi em Sab Abr 30, 2016 12:01 pm

    Sentia seu irmão agonizar em seus braços e seu coração apertava. Se perguntava como ele poderia sentir que Artemia não estava bem, e se preocupava se era somente aquilo mesmo. Tetsuya não estava bem desde que voltaram, e agora aquilo.

    Apertava-o mais contra seu corpo, como uma irmã mais velha faria com seu irmão caçula. Era isso que ele era pra ela, e ela tinha a obrigação de cuidar dele. Irmão caçula...como ele poderia ser seu irmão caçula, se aparentava ser mais velho que ela? Essa duvida pairava em sua mente.

    Ao abrir a porta, deu de cara com aquele homem de lata...então ele não havia morrido. "Que bom" - pensou.

    - Olá Axle...que bom que está bem. Meu irmão não está bem, e acho que é por causa de Artemia.

    Falava a contra gosto o nome da succubus.

    - Venkar me falou que ela não está bem...suponho que não tenha se alimentado. Ou feito alguma artemisse.

    Ria do deboche e ia seguindo na direção da porta, se não fosse impedida entraria e suas asas seriam desfeitas deixando um rastro de neve no chão.

    - Enfim, não tenho certeza se Tets está em condições de ajuda-lá, mas se não tiver estou disposta a isso...farei isso por ele.

    Falava ainda mais a contra gosto, olhando pro irmão e colocando ele no chão.

    Levantava a cabeça e via aquela esfera flutuando.

    - Mas...o que é isso?

    Apontava pra esfera, sem entender.
    avatar
    Tetsuya Kitsune

    Mensagens : 237
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : ViolentoLand

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Tetsuya Kitsune em Sab Abr 30, 2016 3:01 pm

    Tetsuya parecia querer arrancar o proprio peito,tamanha força exercia contra o próprio, à beira de rasgar a propria camisa. Era como se mostrasse que sentia o peito ser dilacerado por uma dor descomunal. Sentia as batidas do proprio coração se tornando cada vez mais lentas, como se pudesse sentir agora mais do que nunca o corpo de Artemia desfalecendo-se novamente...o percurso de vôo até ali demorara alguns minutos preciosos para a succubus, e havia pouco tempo.

    Tão logo fora deixado ao chão, numa expressão facial de dor,ergueu uma das pernas, ajoelhando-se para frente. Não tinha forças para caminhar. Impulsionou-se para frente com as 9 caudas, agora à mostra, e passaria rapidamente por Axle e Poppy, quase chocando-se contra o sofá em que a ruiva repousava. Parecia ignorar a tudo e todos, senão a demonesa à frente. E antes que pudessem dizer-lhe algo, o raposo pegou a cauda pontiaguda de Artemia e cravou-a na propria mão esquerda, usando a direita para pressioná-la ainda mais.

    A aura mista de Tetsuya inflamou-se quase imediatamente, vibrando no ar de forma intensa, tornando-se visivel até mesmo a Axle, semelhante ao efeito em que vira dentro do cristal. A luz dourada parecia iluminar a sala com a mesma força que a lareira onde Jasor, ainda nu, repousava ainda desnorteado e confuso. Os veios negros pareciam deslizar ao redor e por dentro da aura luminosa, como serpentes num lago de luz. Aquilo seria quase um farol extremamente chamativo para qualquer criatura com um minimo de sensibilidade a magia, o que por si só era algo perigoso considerando-se a situação que viviam em NeoUolCity, algo bastante preocupante para alguem que pudesse pensar de forma mais racional no momento, como Axle.

    Era estranho imaginar que estava segurando tanta energia dentro de si, apesar de ter cedido a Artemia duas vezes no inferno, não fazia tanto tempo. Mais estranho ainda era o fato de ter aquela quantidade chamativa de magia e não ser capaz de nem metade do potencial de Yumi em manifestações de gelo, por mais que a luz e trevas dentro de si não se anulassem. E pouco a pouco, o mestiço ia transferindo sua energia à ruiva. Ao contrário da esfera de luz, parecia ser capaz de manter aquela transferencia por um tempo significativamente maior. Não era o melhor método, mas nem ele nem Artemia conseguiriam fazer aquilo de uma "maneira melhor" naquele momento.

    Pouco a pouco a luz ia reduzindo sua intensidade, e os veios negros reduzindo a frequencia de seu deslizar sombrio, e logo a aura visivel tornaria-se novamente imperceptivel ao reploid, embora os com afinidade para tal ainda poderiam vê-la em torno do raposo de 9 caudas. Apesar da energia estar sendo drenada velozmente, Tetsuya parecia reduzir sua expressão de dor, e logo dava espaço a um sorriso cada vez mais cansado. Ainda não proferia uma só palavra, mas debruçaria-se sobre Artemia, levando a mão direita a seu rosto, numa lenta carícia aliviada que chegara a tempo. Nao importava se ela não mais o queria, tudo o que desejava era que se recuperasse, que fosse feliz.

    Mais e mais de sua propria energia ia sendo drenada, de forma que seu rosto tombou para frente, sendo "alcochoado" pelo busto da ruiva, levando-o a um discreto rubor, enquanto Tetsuya ainda olhava-a, da mesma forma pueril, abobalhada de antes, perdido em cada detalhe, cada curva e delineamento de seu rosto. Antes que ficasse ainda mais fraco a ponto de desmaiar, o raposo tirou a cauda da propria mão, após aquele longo e extenuante minuto. Respirou fundo, aliviado. A dor cessara, e mesmo a dor da rejeição que sentiria quando Artemia despertasse não era nada comparada à dor da perda. Jamais iria se recuperar se perdesse outra pessoa querida novamente, num espaço tao curto de tempo.

    ----------------------------------------------------------------------

    A esfera de luz permaneceu estática ali, flutuando no ar, em um silêncio que durou vários segundos. Fuyu pensara em diversas formas em como começar aquele diálogo com a filha. Revisara cada palavra, no tempo que parecia ser infinito no cristal que Artemia carregara, e naquele momento elas lhe falhariam. Talvez estivesse atento ao que o filho fazia, temeroso em que fizesse uma besteira, como sacrificar a propria vida, mas pareceu acalmar-se ao notar que aquele não era seu plano. Ainda que desesperado por salvar a ruiva, Tetsuya não era tão inconsequente assim...e logo voltava sua atenção à filha.

    Como começar aquilo? com uma piada descontraída para "quebrar o gelo?".O silencio prolongado começava a desconcertá-lo. Mas subitamente, sem que o proprio kitsune pudesse prever, o cristal começou a emitir um feixe de luz para o chão, de onde duas massas translucidas se erguiam e lentamente adquiriam uma forma mais definida e delineada. Braços, pernas, cabeça e....caudas vulpinas. Uma das figuras se mostrou ser uma mulher já de olhos molhados, abraçada a um homem que parecia tentar manter a compostura e seriedade, mas assim como a mulher ao lado seus olhos transparentes pareciam vibrar em lágrimas.

    -Veja como nossa menina cresceu... - a mulher dizia,agitando a cauda vulpina para os lados, de forma não muito diferente a um cão genuinamente feliz. O homem gesticulou algo com a boca, mas engoliu ao perceber que choraria. Ao contrário, um pouco orgulhoso, pigarreou, procurando mostrar-se mais controlado que a mulher.

    -Mas é claro que ela cresceu, já se passaram anos desde que....desde aquele dia. Yumi, vê-la sã e salvo hoje nos deu a certeza de que tudo o que fizemos valeu a pena. Não nos arrependemos de nossa escolha, por mais que planejássemos algo diferente para nossa família... - o homem dizia, complementando. Aparentemente, tudo o que precisou foi de um "Pontapé inicial" para que as palavras fluissem de forma mais natural. Como queriam poder abraçar a filha agora! Seus corpos espectrais, no entanto, permitiam apenas que abraçassem um ao outro, de forma que tal desejo se transformaria num abraço mais apertado da mulher sobre o marido.
    avatar
    Artemia

    Mensagens : 185
    Data de inscrição : 14/10/2015
    Localização : Neo City

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Artemia em Seg Maio 02, 2016 10:01 am

    Imersa em seu estado desacordado, Artemia não viu quando Tetsuya escalou sobre seu corpo e tomou a ponta de sua cauda para ceder energia. Porém, a ruiva sentiu uma mudança súbita em seus sonhos, onde agora só apareciam seus bons momentos ao lado do vulpino. Cenas de sorrisos enrubescidos, gaguejos nervosos e descobertas de novos sentimentos invadiram os pensamentos da demonesa, que ruborizava e suspirava conforme recebia seu alimento em forma de energia doada pelo objeto de seu amor, bem ali em cima de seu busto.

    Aos poucos, começava a sentir novamente seu corpo tomar consciência de sua própria existência: ainda de olhos fechados, percebia o peso acima de seu torso, as vozes à sua volta. Em sua mente, pairava apenas um rosto, e justamente daquele que estava mais próximo...

    - Tetsuya...

    Suspirou ela, ainda levemente desacordada, de olhos fechados. Apesar de haver toda uma carga sensual na forma como a ruiva suspirava o nome do vulpino, era também notável o carinho pelo leve sorriso que ela dava, sem contar o rubor intenso que dominava suas bochechas e lábios.

    A energia fluía rapidamente. Seu corpo recebia o alimento de forma desesperada: a melhora de Artemia era inevitável. Assim que Tetsuya retirou a cauda de sua mão, o corpo da ruiva recebeu um choque que a fez esticar as costas e descer seu pescoço, fazendo sua cabeça afundar nas almofadas e suas coxas apertarem uma contra a outra; seus braços agora envolveram Tetsuya em um abraço intenso, e Artemia gemeu ligeiramente enquanto sentia ondas de orgasmo invadir seus sentidos até finalmente cessarem, em forma de alívio.

    Assim que suspirou relaxada, voltou seu pescoço e sua cabeça para a posição de antes, acima das almofadas. Ainda abraçada a Tetsuya, Artemia abriu lentamente os olhos. Finalmente agora via a quem pertencia o peso em seu corpo, e não conseguiria esconder sua imensa felicidade em perceber que era justamente quem ela mais queria que estivesse ali.

    - Tets...!

    Exclamou ela, sem fôlego, o abraçando ainda mais forte e colando sua bochecha quente na dele. Não havia parado para se lembrar do quanto ele a odiava. Não parou para pensar nas consequências daquele abraço súbito. A única coisa que pensava agora era no quanto queria vê-lo novamente, e o quanto seu coração acelerava de alegria em finalmente tê-lo tão perto.

    Tanto que, sem se conter, a ruiva segurou o rosto dele com as duas mãos e o beijou nos lábios.

    Não se importava com a quantidade de pessoas que estavam por perto. Não se importava se ele queria beija-la ou não. Não parou para se perguntar o que ele fazia ali. Apenas seguia o que seu coração dizia e agora o beijava profundamente, deixando o momento fluir enquanto seus lábios quentes tocavam os dele e se partiam ligeiramente para deixar sua língua entrar e explorar seu interior. Suas mãos desceram para a nuca e acariciavam os cabelos loiros do vulpino enquanto o beijava calorosamente.

    ----

    Quando Artemia pareceu acordar, esticando seu corpo e gemendo estranhamente, Poppy se ergueu e a observou com atenção. Estava surpreso com o súbito acontecimento: aquele rapaz moribundo parecia ter conseguido salva-la, enquanto tantos ali apenas aguardavam por algum milagre. E agora... Espere aí, estão se beijando? Desde quando Artemia...?

    Suspirando e balançando a cabeça, Poppy apenas murmurou “Jovens...” e parou para observar o que acontecia com a esfera de Fuyu. Havia um casal agora ali, emocionado, conversando com a mulher que acabara de chegar com o moribundo.

    - Esta casa nunca esteve tão cheia.

    Comentou ele para Axle, visto que parecia ser o único são naquela história toda.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Axle The Red em Seg Maio 02, 2016 6:36 pm

    O corpo fragil de Yumi escondia uma grande força fisica. Parecia não fazer muito esforço para sustentar o peso de Tetsuya em seus braços. Axle a analisou por um segundo. Pelo menos ela parecia bem, sustentando até mesmo asas magicas, ao contrario do raposo junior

    - Por causa da Artemia ?! Eles estabeleceram alguma conexão metal no inferno ?

    Se ele estava tendo que ser carregado por Artemia estar fraca, o inverso tambem deveria ser verdadeiro. Será que o ritual de transformação em demonio tinha feito que as almas estivessem sendo compartilhadas ?

    - De fato, ela não se alimentou. Apenas agora descobrimos o que ela se tornou e o que come...arte...misse ?

    Demorou alguns segundos para entender de onde vinha aquela palavra. Finalmente descobriu que ela estava tentando ser engraçada. Axle ergueu uma "sombrancelha" ao entender a piadinha infame, mas não estava com muito humor para compartilhar da risada.

    - Esta esfera é uma representação de Fuyu, pelo que posso notar. E aquele cavaleiro encouraçado é uma criação de Artemia. Chama-se Poppy.


    Não tinha a minima ideia de toda a rede de parentesco que estavam entrelaçadas a sua frente, por isso nem cogitou o que resultaria aquela informação. Estava mais interessando em acompanhar o trajeto de Tets. Parecia estar muito ferido pelo jeito de cambaleava até o sofá. Axle deu um passo para ajuda-lo, mas então o raposo cravou a cauda na propria mão. Pelo que Fuyu havia dito, a ruiva deveria conseguir sugar energia por ali tambem. Isso despertou sua aura visivel, e o reploid reconheceu imediatamente aquele padrão. Estava deliberadamente usando toda sua energia para alimentar Artemia. Mas havia sido dito que aquela era uma forma ineficiente de absorção, e provavelmente ele morreria antes de conseguir faze-la se levantar. Estava errado. Quando a aura diminuiu novamente a ponto de não ser vista, Axle caminhou até o sofá, e ergueu as mãos para separar a cauda do rapaz antes que ele sucumbisse. Mas Tets fez isso primeiro. Não era tão irracional assim. Pelo menos bem mais racional que Artemia, concluiu.

    Incapaz de sentir magia, Axle não pode perceber o quão longe aquele despertar chegaria, nem sua capacidade de atrair a atenção de seres desconhecidos. Apenas sentia o alivio por saber que Artemia não morreria mais. E ela fez questão de mostrar que estava bem viva. Parecia sentir algum tipo de choque ou dor, mas depois de iniciar uma longa sequencia de caricias em Tetsuya, deveria estar muito bem. Olhou Poppy, que pela postura deveria estar pensando quase a mesma coisa que si mesmo. A atenção dele estava voltada na aparição projetada pela esfera para Yumi. Começava a entender um pouco do que estava acontecendo durante todo aquele tempo.

    - Sua propria pira destruiu suas roupas, não se lembra Jasor ?

    Disse dividindo a atenção com o que parecia um cinema de kitsunes.

    avatar
    Jasor Messast

    Mensagens : 88
    Data de inscrição : 05/11/2015

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Jasor Messast em Seg Maio 02, 2016 7:10 pm

    Ouviu a porta se abrir, e o roseto falando com alguem. Aquela voz...era de Yumi ? Ela tinha conseguido tambem sair do inferno ? Com certeza não tinha sido junto com o dragão, estava lá quando ele voltou com Artemia. O dragão...começava a lembrar de algumas coisas, memorias nubladas...não queria pensar sobre aquele monstro agora

    Ergueu o tronco do chão e ficou sentado, de costas para a porta, para evitar que o vissem sem nenhuma roupa. Mas isso não impediu que aquele brilho intenso acontecesse ali no sofá. Sentia uma onda de energia que misturava sensações de bondade e maldade, e conseguia até ve-las ali ! Era Tetsuya que estava emitindo aquilo, enquanto estava com a...cauda da ruiva....cravada na mão ?! Estava cada vez menos entendendo alguma coisa. O que entendia muito bem eram as caricias trocadas por ambos, que de repente se tornaram mais intensas. Lembrou-se da "audiencia" com Carmiglioni. Desde aquele tempo estava muito claro a relação dos dois. Era claro que não confiava na transformação dela, quem em sã consciencia confia em alguem que acaba de se tornar um demonio ? Mas alem desse ponto, ela tinha dito que queria ser um demonio, para ficar junto do rabujento, claro.

    A muito tempo não existia espaço para ele ali. Ainda não entendi porque ela o tinha tirado da boate. Talvez para tortura-lo mais, como fazia naquele momento. Era o bastante. Levantou-se do chão, ficando de pé e ainda de costas para todos.

    - Ah, a pira....não quero pensar sobre isso agora...

    Andou novamente até a escada na cabana, espalhando faiscas e brasas por onde quer que passava, como se ele mesmo as estivesse produzindo. Por sorte, eram pequenas demais para incendiar algo. Jasor subiria mais uma vez, indo para aquele quarto do primeiro andar. Talvez tivesse roupas que ele pudesse usar. Não queria tomar nada da casa. Só queria vestir algo o bastante para que pudesse sair dali.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Venkar em Ter Maio 03, 2016 10:04 pm

    Descansava em paz, em sua caverna, nas profundezas de seu lar. Esperou acordado algum tempo mas logo adormeceu, sabendo que Yumi estava próxima podia se dar a este luxo.

    Sonhava com algo que provavelmente somente dragões achavam agradável quando seus olhos se abriram quando sentia uma estranha mas intensa aura mágica vindo da direção da cabana da Succubus.

    Pensou em se levantar e ir investigar... mas logo desistiu da ideia, a última vez que fez isso, aconteceu toda uma série de eventos que quase nenhum foi agradável. Yumi tinha levado o seu irmão, provavelmente estavam cuidado da bela ex-humana... e provavelmente o humano Jasor estaria aos seus braços.

    Soltou um jato de fumaça quente das narinas, e logo voltava a dormir. Antes de fechar os olhos pensou em sua raposinha.


    Conteúdo patrocinado

    Re: Interior da Floresta

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Set 24, 2017 5:05 pm