Neo City Uol

O que aconteceu após o golpe militar de 17 anos atrás...


    Praça de St. Sebastian

    Compartilhe
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Dom Abr 24, 2016 12:35 pm

    Capitulo X - Noite no fim do mundo

    Na busca predatoria por sua alimentação peculiar, Nova percorreu as ruas devastadas da antiga cidade. Os escombros revelavam detalhes de como o lugar era antes da catastofre acontecer. A arquitetura antiga misturava-se com a modernidade tecnologica, de modo que casas do inicio da decada compartilhavam espaço com predios vindos de um futuro quase idilico. Indiferente a isso, construções modernas e futuristas jaziam destruidas em tumulos de esperança perdida. Era possivel conseguir um pouco de agua em uma ou outra torneira que ainda funcionavam milagrosamente, pois varios setores tiveram o fornecimento cortado pelos vazamentos. Da mesma maneira, cabos de energia soltos se tornavam rapidamente um armadilha escondida entre destroços, e um saqueador descuidado seria eletrocutado num piscar de olhos.

    Nova encontrou uma dessas vitimas enquanto caminhava. Uma janela arrombada no primeiro andar exibia um pé de cabra preso no batente, ao lado de um corpo carbonizado. Metade do ser tinha ficado na plataforma de metal enferrujado que dava acesso exterior ao apartamento, enquanto o tronco tinha se espatifado na rua, metros abaixo.

    Como seria de se imaginar, animais carniceiros rondavam a cidade com sua comida farta. Ratos quase do tamanho da gatos se recolhiam para seus esconderijos assim que a garota se aproximava. Carcaças devoradas deixavam muito pouco para ser consumido, cobertos de nuvens de moscas que zuniam em uma canção morbida. A luz alaranjada do fim da tarde guiou os instintos de Nova até um largo espaço arborizado conhecido antes como a praça de St. Sebastian. Fora planejado como um ambiente muito espaçoso, que permitia o caminhar de varias pessoas ao mesmo tempo, e sua aglomeração até a igreja de St. Sebastian, que podia ser vista a algumas centenas de metros dali, cortando o ceu laranja com sua torre pontuda. Sobre os tijolos laranjas que compunham a pavimentação, bancos de concreto ofereciam descanso aos trauseuntes. Crianças brincavam com bicicletas e patins, e pintores podiam montar suas telas para uma visão privilegiada dos arredores. Ao centro da praça, a estatua de São Sebastião erguia-se sombria. O que era uma referencia religiosa tornara-se uma visão agourenta, com um santo alvejado com 3 flechas olhando para o céu em busca de salvação.

    Seria facil perceber que tinha algo errado ali. O cheiro de morte erguia-se pesadamente. Corpos estavam espalhados ao longo de todo o espaço dispostos de maneira irregular, mas so uma investigação mais proxima poderia revelar mais detalhes. A praça estava a poucos metros, e prometia, pelo menos, um estoque de alimentos decompostos para Nova. Não era uma refeição ideal, mas pelo menos era facil.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Seg Abr 25, 2016 9:22 am

    ( eu gosto dessa música XD e escrevi a ação usando ela então XD sei lá https://www.youtube.com/watch?v=qI1ondD4FGU )
    Nova chegava na Estranha cidade enquanto sorria observando tamanha destruição e morte ao seu redor. Dando uma respirada profunda sentindo o cheiro de sangue, podridão, e combustão  sorrindo. Levando a mão até uma certa cabeça demoniaca que havia em sua posse. Acessava seu compartimento para tocar no sangue que havia na mesma manchando seus dedos com este sangue. A cabeça era guardada novamente e os dedos eram levados até os lábios como um batom vermelho sua face levemente corava como se aquilo lhe excitasse.

    _ Tamanha morte e destruição....Pena não haver nada aqui tão interessante para comer... Terei que fazer um pequeno lanchinho....huhuhu..Fome...é tão enebriante...quanto a curiosidade...

    Nova Reforçava sua armadura nanorobótica lançando alguns nano cameras no ar para vasculhar a area ao seu redor fechando seu corpo bem como sua face com um capacete negro. Ela abria os braços como em uma  imagem do Cristo enquanto andava. Aqueles corpos no caminho até a praça começariam a se decompor e serem sugados pelo movimento circular de suas mãos delicadas que pareciam fazer uma dança mortuária. Sugaria os restos alí presentes enquanto aproximava-se da praça chegando pelas laterais observando o lugar com os corpos dispostos de forma tão irregular. As Cameras de cima diriam algo mais sobre a praça. Seria ali um dos campos mágicos que Fuyu havia lhe contado e que ela mesmo havia visto anteriormente em seu mapa?...Mas a fome não deixava-a pensar tão claramente.

    _ Hu...nada "vivo"....


    Vasculhava por formas de vida humanoides Enquanto analisava a disposição dos corpos acessando o mapa que havia feito anteriormente em seu capacete. Procurando por forma de vidas que pudessem lhe dar mais prazer em degustar.

    _ Humm...Ninguém quer brincar comigo...que cidade...entediante....

    *Nova Espreguiçava-se levando a mão na barriga e esticando a outra mão em direção a um dos corpos dispostos na praça vendo-o começar a deteriorar-se calmamente como se tornar-se uma poeira escura sendo guiado até Nova.*

    _ Não quero usar você ainda...pequena pérola...


    *Falava consigo mesma sobre a cabeça demoniaca que carregava ainda consigo. Tentava buscar a localização de Friedrich*

    _ Na...não ...eu não posso usar ele...ele não está maduro ainda...seu gosto era...tão...delicioso...amargo e doce...ao mesmo tempo como sangue....um gosto de ferro tão...forte...Meu doce Guilgamesh...

    *Os olhos de Nova brilhavam em um prata frio e inescrupuloso. Parecia que tudo aquilo, a morte, a dor, e a violência deixavam-na em um estado de euforia, intensificado pela fome que sentia.*
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Ter Abr 26, 2016 6:32 pm

    A passagem de Nova confundiria que a observasse com uma emissaria da morte. De maneira aparentemente inexplicavel e medonha os corpos que via tornavam-se pó a uma velocidade absurda, convergindo em espirais até a mulher. Até parecia que os mortos eram sua propriedade, e ela estava tomando de volta apenas retornar voltar ao seu dominio e produzir novos e decrepitos corpos. O sol ja se escondia abaixo do horizonte. A luz do dia contava seus ultimos momentos, cercada pela escuridão da noite.

    As cameras visualizariam algum padrão nos corpos espalhados pela praça. Muitos deles pareciam distraidos antes de uma morte fulminante os atingir. Outros foram pegos no meio de uma corrida, provavelmente fugindo de uma ameaça eminente. O chão de tijolos laranjas estava pintado com manchas em diversos tons de vermelho. Poças de sangue que secaram ao ar livre, impregnando o solo. Outro detalhe interessante era que a maioria tinha sua cabeça destruida em diversos niveis. Em alguns faltava o todo do cranio, como em um escalpo brutal, enquanto outros estavam completamente decaptados. Essa foi a causa da morte mais evidente. Além do sangue havia outro residuo comum, enrugado e esbranquiçado, que muito provavelmente deveriam ser miolos.

    Com o fim do dia, as moscas deixavam de zunir em enxames que chegavam a dar medo. O barulho foi substituido por gritos vindos de algum lugar da cidade, uma musica de fundo que combinava com o ambiente morbido, mas nem por isso trazia algum conforto. As cordas vocais humanas não eram capazes de reproduzir aquele tipo de som. Os berros não eram humanos.

    As cameras de Nova captaram enfim algo diferente na praça. Algo se movimentava ali perto, mas eram movimentos pequenos, como a respiração ou o ajuste de um membro. A coisa porem não saia detrás de uma arvore, não importa quanto tempo fosse observada. Seria necessario se aproximar mais para identificar a criatura, ou ignora-la e seguir com sua "colheita", embora ignorar qualquer coisa na cidade aquela altura poderia significar algo respirando em sua nuca...
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Ter Abr 26, 2016 7:39 pm

    *Nova sorria se alimentando dos corpos alí dispostos como se fossem seus súditos voltando ao mundo dos mortos. Emissária da morte parecia um título que lhe deixava bem avontade. As câmeras dispunham as imagens a sua análise. Pareciam dispostos de uma maneira estranhamente irregular, mas que pareciam ter algum significado.*

    _ Intrigante....

    *Nova olhava os corpos  saltando em direção a grande estátua ficando em cima dela como uma grande mancha negra que parecia extender suas asas por aquele lugar...Asas de fato não haviam, porém sim uma grane nevoa negra daqueles corpos " frescos" que eram pulverizados enquanto eram consumidos...cada corpo que a vida havia cessado equivaleria a algo mais que 1/5 de um corpo humano vivo possivelmente. Não era suficiente, ela precisaria de mais...mas não deixaria aquela refeição apodrecer assim. Nova sentava-se em cima da cabeça daquela figura religiosa enquanto sua voz, fria ao mesmo tempo que doce entoava um cantico amaldiçoado...baixo..em meio de um sorriso em seus doces lábios manchados com sangue demoniaco*

    _Primeira música

    *A Música de nova era interrompida pelo grito macabro que seguia ao longe, e a detecção de "vida" ou movimento ali perto. Ela sorria cessando sua canção deixando o restante dos corpos cair e ser levado pelo vento. Seus olhos brilhavam em um prata mais vivo, aquele poderia ser um lanche proveitoso. Deixava seu corpo pronto para a averiguação. Criava em seu corpo várias micro agulhas como se revestissem seu corpo discretamente.*


    _Música de caça XD Whose playing hide and Seek... huhuhu....Who wants to come and find me...


    * A voz ia sumindo calmamente enquanto seu corpo saltava para uma das árvores ainda distante do seu objetivo. Sua visão noturna, de calor e aura eram ativadas para tentar saber do que se tratava aquele curioso ser. Normalmente suas presas eram de pouca peculiaridade o que neste momento de dúvida sobre o que era aquilo e a cena que presenciara e se aproveitara a pouco a deixava excitada. Guiava-se cautelosamente pelas extremidades averiguando se a "criatura" a notaria pelo cheiro, ou pela audição. Seguia silenciosa pela cidade indo em direção a árvore preparando para dar o bote caso a criatura não percebesse sua presença. Em caso de sucesso lançaria 3 agulhas embebidas com paralizantes e pularia em direção a cabeça da criatura para desestabilizar seu corpo*
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Qua Abr 27, 2016 11:03 pm

    Haviam muitos poucos motivos para fazer alguem entrar naquela praça, principalmente a noite. Talvez um carniceiro faminto, como os ratos que olhavam para nova com um misto de medo e raiva por estar roubando-lhes alimento, talvez um saqueador que buscava itens de valor para obter alguma moeda de troca. Ou talvez alguem insano que busque a emoção do perigo, sem se apegar as consequencias.

    A estatua de São Sebastião era a testemunha da chegada de Nova e de sua ousadia. A face de pedra mirando o firmamento em dor eterna agora serviam de apoio para as pernas da garota. Involuntariamente o santo se tornara um pervertido que olhava para as partes inferiores do corpo dela. Mas ela estava em busca de outra coisa, de um movimento suspeito, de uma caça fresca.

    E havia encontrado algo. Agora furtiva, ela se aproximava da coisa atrás da arvore. E quanto mais proxima, mais facil conseguia ouvir uma respiração pesada, cansada. Seja o que fosse, não estava conseguindo ou pretendendo se esconder naquele lugar. A visão de calor e de aura revelariam  que o calor da criatura e a assinatura de sua aura pertenciam a um ser humano, ou algo muito similar. Tambem não tinha mudado seu comportamento com a chegada dela, de modo que poderia-se supor que não tinha a percebido. E quando ela fez sua investida foi constatado: o homem havia sido pego de surpresa. As agulhas atingiram o alvo imediatamente, mas os projeteis nem qualquer ataque a cabeça seriam necessarios. O homem tinha um buraco no estomago que ia de um lado ao outro do corpo. Estava sentando, por algum motivo ainda vivo, sangrando sem parar. Não iria conseguir fazer nada contra Nova antes, e agora paralizado estava completamente subjugado.

    Aquele homem não era uma ameaça, era uma vitima, tanto quanto tantas outras. A trilha de sangue fresca podia ser seguida até um outro ponto na praça, onde uma mulher jazia ao chão sem vida, em campo aberto. E agora Nova tinha se exposto. O projetil chegaria a ela antes do som do disparo, sem aviso e a uma velocidade absurda, e por isso com uma potencia certamente letal. O alvo era a cabeça da garota.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Qui Abr 28, 2016 3:15 pm

    Trilha Sonora

    Notava que sua presa já havia sido predada em partes analisando calmamente aquele ser moribundo alí a beira da morte. Seus olhos encobertos por sua armadura brilhavam em um prateado cruel. Ela sorria com seus lábios rubros de sangue demoníaco. Porém tão logo pudesse aproveitar o tempo ela sentia o sinal de perigo que se aproximava, e apesar de suas habilidades o tiro viria certeiro. Nova teria tempo de reforçar o capacete que usava e então recebia a bala na cabeça. Um som que ecoava por aquele lugar como se vidro tivesse sido espatifado, A jovem cambaleava para trás pelo choque que recebera. Sua negra máscara se espatifava em partes revelando ao jovem a sua frente talvez muito fraco para perceber sua beleza.


    _ Quão rude!....Estava iniciando uma conversa....Mas parece que terei de deixar ela para depois...

    *Nova virava-se jogando seu corpo ajoelhado perto do homem ferido olhando-o nos olhos e sorrindo. Olhos tão prateados que chegavam a brilhar um brilho que lembrava o frio e a morte que pareciam já terem sido abraçadas pelo rapaz. Nova repira fundo e injeções de adrenalina são injetadas no corpo da garota de forma a recuperar sua estabilidade. Sangue escorria de sua testa devido o impacto da bala. Um sangue vermelho vivo escorria por sua pele tão pálida.*

    _ Quão sortudo você é meu pequeno canário....

    *A mão de nova ia em direção ao ferimento do rapaze a outra até a face dele puxando-a para perto de sí. Da mão proxima ao ferimento uma massa negra caia como se fosse água "inundando" seu ferimento. Era gelada, muito gelada, porém ao mesmo tempo anestesiante. Esta massa não só caia e preenchia tal ferimento como parecia se movimentar e também se reproduzir, se multiplicar. Cada ferida começava a ser preenchida por aquele "líquido negro".*

    _Deixarei você para mais tarde....hummm...vou devorar cada....pedaço...seu...

    *Nova afastaa o rosto do rapaz e mordia o pescoço do mesmo consumindo um pouco de sua essência para se recuperar, porém muito pouco apenas o suficiente para que ela tivesse um gas, e ele uma enorme descarga de prazer. Cada pedaço do corpo dele seria inundado por um extase dígno de sonhos de uma noite de verão. Seu corpo seria "recuperado" a medida do possível, apesar de ainda paralisado. Não havia dor, apenas prazer com aquela mordida que parecia sugar sua "alma, sua essência de vida seu todo." Nova afastava do pescoço do rapaz acariciando de leve sua face*

    _ Tente não morrer até eu voltar...agora você...

    *Os olhos de Nova ficavam com um brilho ameaçador enquanto seu capacete se reconstruía em sua face e ela sorria mostrando os dentes, as presas. Varias cameras eram lançadas no ar munidas de pequenos dardos com veneno, e outras com anestésicos poderosos. Juntas elas formavam como se fossem pequenas estrelas negras que trariam mal agouro e morte a quem as visse. Estas faziam a previsão e o enquadramento de onde aquela bala havia sido atirada. Seu capacete já estava quase pronto e das costas da mesma ela retirava duas pistolas que pareciam estar mudando, como se fossem maleáveis e estivessem sendo moldadas para pistolas de longo alcance. Seu visor possuia uma visão apurada e de longo alcance além da detecção de calor, aura e noturna.*

    _ Isso vai me custar algumas jantas...grrr...

    *Nova rosnava e ao receber as coordenadas ela mirava na direção do ponto do disparo e assim que conseguisse a visualização de algo atiraria. O tempo de calcular, mais o de mirar, eram pouco porém eram o suficiente para modificar um pouco a arma e disparar*

    * As câmeras começavam a se mesclar com o ambiente e a caçar o atirador munidas dos dardos. Nova sorria, a drenalina a deixava emocionada com aquela "caçada"*

    _....vamos ver se gosta...do próprio veneno...mas amplificado.

    *Nova disparava enquanto corria saltando no galho das árvores. Usando um boost em seus músculos de forma que eles trabalhassem mais, e amplificassem suas capacidades.*

    _Eu não vou me acalmar até estraçalhar esse atirador e eu sugiro que você cale-se se não eu consumirei você também Kinetic. Um dia você não será mais necessária, então por hora apenas sente e assista eu me divertir...huhuhu
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Qui Abr 28, 2016 8:13 pm

    A armadura de Nova era realmente poderosa para ter absorvido tamanho choque. Uma arma daquele tipo, chamadas de rifles sniper, tinham um calibre altissimo. As mais poderosas eram capazes de perfuram blindagens como se fossem de isopor. E aquele disparo havia sido superior ate mesmo a essas monstruosas armas de fogo. Certamente era uma inovação dos ultimos tempos, produzida com algum mecanismo unico que permitia disparar munições de tamanho militar com a força de canhões, com tanta potencia que tinha mais que o dobro da velocidade de outras similares. Nova tinha descoberto porque havia tantos corpos sem cabeça. Eles simplismente evaporavam ao serem alvejados. Da mesma maneira, o atirador tinham uma excelente mira para conseguir uma taxa de acerto tão alta, que se revelava pela quantidade de corpos espalhados.

    O pobre homem ferido pode ouvir o disparo mais uma vez, mas mesmo querendo nada podia fazer. Imobilizado pelas agulhas de Nova, tudo o que conseguiu fazer, e com dificuldade, foi erguer o olhar. Para que foi fazer isso. Apenas para dar de cara com aqueles olhos estranhos, inumanos, que refletiam apenas o desejo por mais violencia. Percebeu que ela tinha sido acertada, mas estava viva como ele. Mas o que em outra circunstancia seria um alivio, ali era um desespero. Estava entre um franco atirador que brincava de caçada humana e uma garota maluca que poderia fazer qualquer coisa.

    Seu temor se tornou realidade. Com suas palavras estranhas ela iniciou alguma coisa, injetou algum liquido em seu ferimento. Sentiu algo frio invadir sua ferida mortal, acompanhado de um grito que ficou preso na garganta. O grito, porem, era de medo. Na verdade tinha parado de sentir dor. Estaria morrendo ? Parece que não tinha tanta sorte. Ela acabara de prometer que o devoraria. O homem começou a se debater apavorado, mas seu corpo não respondia bem a sua vontade. Preferia que o atirador tivesse terminado de vez o serviço do que ser comido vivo por aquela psicopata canibal.

    E ela ia fazer aquilo naquele momento ! Mordeu o pescoço do homem, que gritava de maneira ineficiente ja que sua mandibula não ajudava o ato. Mas logo a seguir sentir algo diferente. A mordida era boa, boa demais para ser verdade. Parecia aquela droga que tinha provado a um ano atrás. Estava ainda mais confuso, não sabia porque sentia aquilo. So sabia que queria mais. Não queria ser devorado, mas uma mordida não era um preço tão caro para se livrar da dor da ferida em seu abdomen. Tentou falar algo para Nova, mas tudo o que conseguiu foi babar.

    Infelizmente para a garota, era dificil localizar o ponto exato do disparo. O som era alto e se propagava a distancia, mas não havia luz no momento do tiro. Talvez a munição não usasse polvora, ou a arma tinha um sistema que escondia bem a localização do atirador. Alem disso, as pistas vinham de mais de um quilometro de distancia de onde ela estava. Por isso quando ela disparou sua arma, não conseguiu alvejar o inimigo. Neste quesito o oponente estava em vantagem, pois teve tempo de ver toda a movimentação dela ao entrar na praça, e agora acompanhava cada um de seus atos.

    A coisa inumana gritou nas profundezas da noite mais uma vez, e o atirador aproveitou o momento. O disparo da sniper veio mais uma vez sem aviso, a uma velocidade inacreditavel, agora mirando no tronco corpo feminino que vaga por sobre as arvores. O ponto positivo era que talvez fosse possivel filtrar a origem do disparo que estava misturada com o grito, o que poderia levar algum tempo. O ponto negativo era que ela tinha uma fração de uma fração de segundos para evitar ser atingida por um tiro que tinha a capacidade de ser letal até mesmo para ela.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Sex Abr 29, 2016 9:19 am

    *Nova se afastava do jovem que tentava em vão se debater. Ela tentava localizar em vão a localização de seu alvo traiçoeiro...Ela respirava fundo e apesar de toda tecnologia ela preferia lutar mano a mano. Durante seus pulos sua posição já havia sido detectada, e apesar de seus esforços, não conseguira achar nada para atirar. Suas Câmeras vasculhavam cada pedaço do lugar em busca do atirador. *

    _ Tsc....

    *Em um momento de Câmera lenta Nova ouvira o rugido, seus olhos brilhavam intensamente enquanto todas suas câmeras seguiam até na direção do mesmo. Ela era o alvo daquele inescrupuloso tiro mais uma vez...quão arrogante era aquela pessoa de querer batalhar com ela. Sua coluna estava na mira. Segundos, pequenos segundos para se decidir...Nova girava o corpo enquanto programava em seu braço os comandos. A localização seria efetuada, e o alvo seria perseugido...porém isso lhe custaria mais alimentos... Em um pulo calculado ela conseguira evitar a coluna, porém sua mão ficara para ser o alvo. Apesar da resistência absurda da armadura ela não pode optar por fortalecer aquela parte pois estava concentrada em localizar o alvo. Sua mão sofrera todo o impacto. O sangue voava com os cacos negros da armadura Ela mordia os lábios abafando os gritos, os nanorobos que restavam estancavam os ferimentos...de sua mão restariam apenas parte de sua mão que pingava o sangue que era estancado para não gerar choque. A dor era intensa e Nova suava com a dor ao mesmo tempo que o corpo tremia.*

    _ Maldito....hu af..af...af...

    *Nova olhava para a mão e batia na testa como se estivesse inconformada e sorrindo*

    _ Isso...vai me custar mais refeições....não vê o que está fazendo...está me deixando furiosa....furiosa!....Não você não vai assumir eu não quero sua ajuda!...Você não é mais forte do que eu...se você assumir eu não poderei me divertir....

    *Nova conversava com Kinetic porém falava isso para fora, como se fosse uma louca. Os olhos lacrimejavam um pouco pela dor. Ela respirava fundo enquanto pensava em como se aproximar daquele ser. Os cálculos estavam sendo feitos para achar a  localização. Nova olhava para o rapaz lá em baixo e falava*

    _...vou fazer esse maldito pagar pelo que ele fez...Então descanse e repouse ok?...

    *A paralisia do corpo permanecia porém era possível conversar agora caso o mesmo desejasse. As câmeras localizariam o tiro enquadrando com o rugido majestoso que ouvira e com sorte e matemática achariam o ponto onde o sniper estaria. Na melhor das hipóteses, as micro câmeras conseguiriam acertar os dardos em várias rajadas, na hhipotese mais ou menos, ele teria que correr ou atirar em outro alvo que não nova. Enquanto ela aguardava Nova produzia mais nanorobos, mas agora produzia um decoi para tentar auxiliá-la neste momento. Era apenas uma carcaça vazia, não havia preenchimento, ela não teria força o suficiente para isso.*

    _Tsc....terei que usar ela... estava guardando ela com tanto apreço...pelo menos salvei o dna e parte do sangue...

    *Nova retirava de sua mochila a cabeça demoniaca do Doppleganger encarando-a e suspirando acariciando a cabeça demoníaca que era segurada por sua outra mão. Os lábios de nova tocavam os do Doppleganger e a cabeça ia sendo esfarelada como se vira-se um pó negro que circulava o corpo de nova sendo absorvido. Talvez ela fosse potencializada em alguma de suas habilidades como houve com Ing, porém não havia como saber ela precisava de comer e estava em apuros...e não queria pedir ajuda. O decói estava quase completo, e assim que o mesmo estivesse, este sairia pulando entre as árvores. Ele emulava os sinais e a energia de nova. Não era perfeito afinal não havia preenchimento, porém ajudaria.*

    _Humm... chocolate hidrogenado....nada mal...

    *Na pior das hipóteses chamaria por socorro, mas de fato ela se virou por anos sozinhas, não queria ter que recorrer a auxílio...não queria se sentir fraca.*
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Dom Maio 01, 2016 8:43 am

    Os dados sonoros capturados pelos drones e por Nova finalmente chegariam a novas informações depois daqueles minutos de processamento. Os gritos terriveis vinham de um lugar diferente dos disparos ! Praticamente um angulo de 90º de diferença, com um grande distancia entre eles e para a garota tambem. As esferas estavam indo para o lugar errado todo aquele tempo.

    O homem abaixo que antes apenas conseguia babar, agora conseguia mecher os labios. Tossiu para conseguir livrar a garganta da saliva e do sangue, para finalmente conseguir falar alguma coisa. Sua voz estava rouca pela sua grave situação, e ainda temia por sua vida. Não sabia o que aquela gosma preta fazia com seu corpo. Parecia até algo alienigena. Estaria ele sendo abduzido ? Tinha ouvido dois tiros, e ja achava que ela estaria morta naquela altura, como tantos mais que agora apodreciam no chão. Mas ela ainda falava !

    - Cof Cof....quem... é você ? O que você...quer ?

    Ainda se via encurralado por dois monstros. Um matava sem motivos, e o outro queria tortura-lo com aquela coisa preta, e mordendo-o depois. Não sabia o que tinha naquela mordida, que não havia dor, mas prazer. Isso que assustava mais. Seria ela uma vampira ? Sentia-se mais fraco depois da mordida, com se isso fosse possivel. Mesmo que pudesse andar, provavelmente não teria forças nem para se levantar de onde estava.

    Agora tinha um localização melhor de onde os disparos vinham. Era de um predio abandonado no meio da cidade, como todos os outros, mas era um que se destacava do geral por sua grande altura. Um bom lugar para um sniper ter visão de toda a cidade. Ainda estava incrivelmente longe, não sabia em que andar o inimigo estava, mas sabia que tinha que ser naquele edificio. Como os drones tinham ido em outro direção, seus disparos não tinham alcance nem para chegar ao atirador. De modo que ele ainda estava livre para efetuar mais um tiro....

    Que não houve. Provavelmente por ela estar escondida, não havia um alvo claro para mirar. Era certo que o projetil perfuraria qualquer uma daquelas arvores com incrivel facilidade. Talvez quissese poupar munição, ou apenas sabia que cada vez que atirasse e não eliminasse o alvo, entregaria sua posição. Isso dava tempo para Nova criar sua distração e consumir a cabeça do demonio...

    O beijo da morte absorveu o ultimo resquicio do Doppelganger. Como uma criatura sobrenatural, alimentar-se dela tinha seu preço. Sua essencia era completamente diferente dos seres normais que caminhavam pelo planeta. Logo ela sentirara sua entranhas se revirarem diante da frequencia de poder que obtinha, que por sua natureza causava alguma sensação negativa, como nojo, ansia, tristeza, franqueza, medo, entre outros. A energia obtida, so com a cabeça da criatura, equivalia a uma refeição e meia para Nova ! Ela se encontraria satisfeita, e com 50% a mais de energia disponivel. Imagine se fosse o corpo todo...

    Quando sua mão voltasse a se recuperar ela estaria um pouco diferente. Seus dedos femininos estaria da mesma forma, nos mesmos lugares, mas a pele revestindo a região seria branca, com uma textura borrachuda. Ao tocar nela, demoraria pelo menos um segundo para a deformação da pressão voltar ao estado normal. Tambem estaria levemente translucida, permitindo ver com alguma atenção que abaixo da superficie existiam dez vezes mais veias passando ali. Ainda mais, os dedos conseguiam se dobrar em qualquer direção com facilidade assustadora. Para frente, para trás, para os lados, como uma cobra, e sem perder o controle o a força. Até mesmo conseguiria estica-los alguns centimetros de distancia. Caso desejasse, ela poderia com algum tempo e esforço alterar toda sua mão para ganhar aquele efeito.

    Doppelganger é um demonio da inveja, que toma a forma de outros, secretamente desejando ser outra coisa. Esse sentimento aumentaria em Nova, e viria com uma surpresa. Sempre que ela tivesse inveja de algo, seus nanos tomaria a forma do que ela deseja, independente de sua vontade, e agiriam por conta propria por algum tempo. Quando isso acontecesse, a IA que os controlava e estavam sob as ordens de Nova seriam independentes.

    O decoy que ela estava produzindo naquele momento se finalizou imediatamente. Agora tinha capacidade completa de reação e não precisava do controle direto de Nova. Mas agora queria ser chamada pelo seu proprio nome: Doppel.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Dom Maio 01, 2016 11:08 am

    *Nova finalizava de se alimentar pelo desespero da situação e respirando aceleradamente  sentia o turbilhão de emoções enquanto ouvia a pergunta sobre quem ela era e o que queria. Ela ria baixinho como em um momento de loucura. Aquela cabeça era...era deliciosamente incrível...tanto poder...tanta...energia..só em uma cabecinha! devia ter provado dela antes!!*

    _ Huhu...um preço a se pagar por um prato tão fino....caro admito...

    *Nova revelava a mão que já estava finalizada, porém com uma testura diferente, parecia poder moldar-se  de forma a ssumir outrás formas. Ela a esticou e a fez parecer pequenos fincos como lanças e testou para ver se perfurariam, ou se eram apenas algo mole.*

    _ Prazer...pode-se dizer que sou seu pior pesadelo...ou sua salvadora....mas shhh estou ocupada vendo aluguém mais interessante....Doppel. Você é Facinante!Impressionante e pensar que eu consegui criar você...mas você...é você!...

    *Nova estava assustada e fascinada ao mesmo tempo olhando para Decoy com calma e sorrindo de leve. Ele era um ser ele era ele...apenas ele até se desfazer com o passar desta fase. Até quando ele duraria...se voltasse seria ele mesmo...mudaria...ela..não podia mandar ele como decoy poderia tomar um tiro.*

    _OK...Doppel é seu nome certo? você é algo novo para mim...você sente dor? Você sente os sentimentos normais, consegue emulálos?...Tem um atirador naquele prédio que estou louca...huhu...louca... para conseguir por minha mãos nele como você deve saber...Mas preciso saber se você será ferida se tentar me ajudar. Não quero arriscar você...e se se ferir...você...você voltaria depois...você...seria você de novo?...

    *Nova após ter se alimentado estava fora de seu frenesi, mas agora tinha um dilema a sua frente. Doppel era de longe a única companhia e aliado dela fora Kinetic. Sempre que ela usava os nanos ela tomava cuidado para recuperar todos eles, não deixá-los para trá. Nova tinha grande admiração por tecnologia e cuidava deles com apreço. Ter feito a decoy seria uma forma de se  proteger, pois sabia que os nanos conseguiriam abrir um buraco para a bala passar sem se ferir. Mas...eles tinham agora conhecimento disso.*

    _ Ah...que falta de educação...carinha ferido...esta é Doppel...Doppel este era o cara que eu pretendia comer, mas como estava morrendo estou auxiliando ele a ficar vivo. Ele aparenta Humano...e...Droga! as câmeras...

    *Nova verificava o visor e sua atenção voltava-se para as câmeras que buscavam o rugido. Ela enviava uma solicitação(ordem) para parte delas averiguar o que era este grandioso rugido que ocorria, e outras seguiriam até o prédio, porém ao invés de ficarem balançando como alvos faceis do céu, ficariam mais proximos da terra para chamarem menos atenção. Quando Nova escuta uma voz, que não era nem dela, e nem do homem caído.*

    _Huuu....você vai comer isso....tem que lavar antes de comer ele tá muito sujo...que nojo...blergh...Ah...meus modos..ahem...Muito prazer sou Doppel..como você está?...remendado? hihihih.

    *Doppel sentava-se olhando os dois com as pernas cruzadas olhando os arredores observando calmamente como estava tudo alí.*

    _Oh Nova...Você se preocupa demais....Hihihi Sempre se preocupou...demais ..mesmo...sério as vezes irrita... bla bla bla se ferir...bla bla bla...haha... Não se preocupe não sentimos dor. Mas agradecemos a preocupação. Por isso gostamos de você e vamos ajudar! Maaaas Queremos algo bem legal depois ok? É uma promessa!

    *Doppel esticava a mão com o dedo mindinho na direção de Nova esperando que ela mantivesse a promessa de algo legal depois*

    _ Al...Facinante! ahn Algo legal...ok...não se precupe..e que bom que você não sente dor. Fico mais aliviada...Então vamos correr ambas juntas e tentar enganar os sentidos dele. Precisamos chegar até o prédio...e obviamente descobrir onde ele está....

    *Doppel ria baixinho e apertava o dedo de Nova e fazia que sim com a cabeça*

    _ Sim! e Chegando lá Kabum! *Fazia um movimento de explosão e onomatopéias de morte* Hihih Divetido!

    _ Será...tente não se machuca mui...

    _ bla bla bla...vamos logo!

    *Nova E Doppel aceleravam por entre as árvores correndo em direção ao prédio em zigzgue para dificultar a mira do Atirador, que possivelmente seria surpreendido com os dois objetos. Segiriam com um boost de velocidade para a direção do prédio, pegando cobertura onde pudessem para se esquivar dos tiros.*
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Ter Maio 03, 2016 7:15 pm

    Aquela estranha mão que havia crescido de volta era curiosa. A pele esticava-se facilmente quando ela puxava-a, ficando no lugar com certa consistencia, mas não duros o bastantes para ferir, apenas simular. Os ossos não eram tão flexiveis. Ela conseguiria alongar com certa dificuldade a ponta dos dedos, que devido ao seu formato pontudo natural seria mais facil se tornar algum tipo de arma. O rapaz paralisado ouviu o que ela tinha dito, e com algum esforço, conseguiu responder

    - Por favor, me deixe ir. Não sei...cof...o que você quer com esse assassino, mas não tenho...nada a ver com...isso...

    Certamente, não conseguiria sair dali se ainda estivesse ferido ou paralisado. Mesmo que estivesse livre para sair, o maximo que conseguiria era se arrastar alguns metros antes de ficar sem forçar. A não ser que Nova o curasse. Dor ele já não mais sentia, apenas o cansaço da perda de sangue e dano em seus orgãos.

    Mas a atenção dela agora estava em Doppel, uma entidade independente dela mesma. O destino havia feito com que ela consumisse o demonio e desenvolvido aquele nova consciencia. Talvez o poder principal de Nova fosse possuir varias identidades. O rapaz ouviu novamente o que ela dizia ao fazer as apresentações

    - Comer ?! COF COF ! Por que você quer me comer ?! Nunca fiz mal para você, me deixe ir !

    Ele não se importava com Doppel, nem mesmo conseguia ver sendo criado. Obviamente estava assustado com a clara ameaça. O terror lhe tomava a mente só de imaginar sendo canibalizado pela garota estranha. Observou os arredores, tentando encontrar algum tipo de arma. Se pudesse mover o braço e pegar...poderia dar um fim naquele pesadelo.

    Parte das cameras rumaria para os gritos de agonia, o que demoraria algum tempo para obter alguma informação. As outras rumaram para o predio do atirador sem chamar atenção. Os dois alvos mais evidentes eram as duas silhuetas femininas vestidas de preto. Isso certamente confundiu o oponente, que fez um disparo mirando justamente em Doppel, mas errou por um triz o seu alvo. O decoy veria o estrago que o tiro provocaria bem ao seu lado. O projetil entrou no chão de tijolos com tudo, levantando um jato de poeira e criando uma cratera de meio metro com certa profundidade. Pode-se ate sentir um pequeno tremor pelos pés, e fragmentos do solo se espalharam ao redor em alta velocidade. Dopper poderia deformar seu corpo para evitar um disparo direto, mas não teria muito tempo para reagir contra aquele tipo de munição.

    Logo Nova estaria no predio aquela velocidade. O ultimo tiro tinha revelado que o sniper estaria entre o 15º e o 20º andar do edificio. Já era possivel ver a entrada frontal do lugar e a fachada coberta de vidros reflexivos, onde alguns locais apresentavam buracos e rachaduras, fruto do evento que destruiu a cidade.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Sex Maio 06, 2016 3:59 pm

    * Nova olhava para o rapaz antes de ir e fazia sinal de silêncio para o mesmo*

    _ Salvei sua vida...talvez  eu não te coma...mas se me irritar posso mudar de idéia.

    *Talvez ele esutasse quando a mesma dissesse isso, outalvez não. Ela não ligava muito Corria com Doppel. E isto trazia para ela alegria...seu coração parecia se encher de alegria e tranquilidade, por mais que a situaçao que se encontravam era ameaçadora...havia um ser consciente alí. Um ser que esteve com ela, que entendia ela...havia alguém alí com ela o tempo todo, ela apenas nunca havia percebido... Porém a idéia de que ela...era a parte mais fraca daquele ser ainda a assombrava. Nova via o alarme de projetil sendo ativado e via Doppel desviando do tiro enquanto corria. Parecia aliviada, e olhava para a porta enquanto escutava doppel falar pelo comunicador.*

    _ Geeeeente que que esse cara tem de munição parece até mágico...nunca vi nada parecido antes....você escolhe umas refeições bem complicadinhas não acha não?....

    _ Não escolhemos o que queremos comer...a vontade vem, e se não saciarmos pode ser pior...Não acha?..

    _ Dãaa é claro que escolhemos!...Gordo, magro, fraco jogado no chão quase morrendo ou forte com uma sniper que abre UM BURACO DE MEIO METRO EM VOCÊ!!!*...Isso vai custar mais caro do que antes, este cara é louco!!!

    _ Hahaha... e eu não sou ? Pode deixar, vou me apressar!

    _ Você naõ é louca..u.u você é problemática isso sim...

    * Nova respirava fundo e dava um boost de velocidade correndo em direção a entrada do prédio enquanto Doppel ia atrás ao no caso ao lado correndo. Doppel jogava para o ar nano robos que voavam em direção ao predio para desativar qualquer armadilha que estivesse no perímetro de entrada. Ambas chegariam a porta em "segurança". Era possível que aquele sniper estivesse neste local a um tempo, fez sua moradia, com armadilhas e proteções, e quando ficava entediado saia atirando nas pessoas por diversão e esperando o dia passar.*

    _ humm ele deve viver aqui a um tempinho...devia fazer uma reforma que lugar nojento...

    _ Doppel concentre-se por favor...

    _ bla bla bla....tá tá...já disse que vai sair mais caro né...

    _ Sim...

    _ Belezinha huhuhu....

    *Apos verificação de segurança de Doppel do local ambas entrariam no perímetro. Os óculos apontariam traços de calor, e movimento pelo local além da descrição de auras para auxiliar. O sniper poderia não ser a única coisa alí para tentar matá-las, e Nova estava mais racional agora que havia comido e preocupada com Doppel. Ela tinha mais vontade de se focar na missão que antes. Mas qual era a misão?.... Nova estava na verdade curiosa em saber quem era aquele, ou aquela atiradora e desejava provar de sua energia mais do que nunca! Devia ser devastadora e de gosto exótico. Nova espalhava Nanos no chão para irem seguindo com ela. Os nanos de Doppel ela notava que não conseguia controlar mais, eles eram "posse" dela, ou parte dela. Monitorava tambem as câmeras do rugido longínquo e os nanos do senhor jogado no chão. suas funções cerebrais estavam a mil neste momento. Aninda bem que havia comido, caso contrário já estaria em berseker de novo.*
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Seg Maio 09, 2016 7:29 pm

    Nova ja estava bem distante em sua corrida, de modo que o homem ferido não pode ouvir o que ela tinha dito. Sorte dele, pelo menos não teria mais uma ameaça a adicionar a toda a situação terrivel. E sorte dela que o disparo tinha errado Doppel. Não que isso fosse causar algum dano fisico em Nova, afinal era um decoy, feito servir de isca. Mas ela parecia ter gostado bastante do novo ser que ganhara consciencia.

    A entrada do predio abandonado exibia uma fachada que antes possuia uma serie de vidros display refletivos do lado de fora, dando um certo ar de modernidade a estrutura. Agora só exibia os suportes, com eventuais cacos de vidro que poderiam cortar uma arteria importante de um incauto. Tirando esse pequeno detalhe, adentrar o lugar era muito simples. Simples demais.

    O balcão de recepção estava pela metade, destruido pela queda de um pedaço do teto e apodrecido pelo tempo. Panfletos manchados, pedaços de madeira, cacos de vidro e restos de concreto e ferro espalhavam-se pelo solo. Pelo estado como aparentemente estava antes da catastofre, so tinham terminado completamente o primeiro andar. O vão do elevador estava vazio. Certamente o atirador não deixaria que usassem o elevador tão facilmente para subir os andares. A escada para o segundo andar estava inacabada, apenas no ferro e concreto rude, mas funcional. Ali os nanos encontraram um armadilha: um dos degraus, coberto com uma tabua qualquer, escondia uma mina terrestre. Era um meio simples e bastante eficaz de lidar com intrusos apresados e descuidados. Um explosivo militar a queima roupa era um perigo ate mesmo para Nova. Doppel desmancharia completamente se pisasse ali, com boa parte dos nanos danificados.

    Eles encontrariam tambem outra coisa antes da escada. Uma pequena esfera metalica, cuja parte inferior se abria em três pés que a mantinham firme no lugar ao inves de sair rolando por ai. Esse item não era uma armadilha, como o que havia na escada, mas o que era ?

    Antes que Nova tivesse tempo de subir as escadas ou olhar um pouco mais o lugar a bola emitira uma luz tremula, que formaria a imagem borrada de uma mascara negra com lentes vermelhas. Era um holograma, alguem tentava se comunicar

    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Ter Maio 10, 2016 8:53 pm

    Trilha Sonora

    Nova olhava para o lugar e notava a armadilha presente sorrindo de lado. Olhava ao redor analizando o prédio, e buscando em seu sistema uma blueprint, ou uma planta daquele lugar a medida que analizava o lugar. Doppel observava o foço do elevador e averiguava que não havia elevador, porém haveriam cordas para subir? Se houvessem, Doppel verificava a firmeza delas. O maltrapilho deixado na arvore estava livre de nova, mas não de seus nano robos que verificavam todo o seu sistema, livre era uma palavra que no momento não existia no vocabulário dele.

    _ Hum...

    Nova indagava ao notar a esfera se abrindo preparando para saltar ao ver que era apenas uma " máscara. Deixava suas defesas ativadas se revestindo mais criando nano robos a medida que se aproximava a mais ou menos 2 metros de distância da estranha máscara. Doppel ficava analizando o elevador mas notava o brilho e virava-se de longe olhando a máscara, ficando atenta para se precisar dar uma voadora em nova para evitar dela se ferir.

    _ Ih alá...parece até um vilão de filme, que breeeeega!

    _ Shh...Pois bem....gostaria de se apresentar primeiro? Es o dono deste recinto?

    _ Muquifo...você quer dizer né....por que..


    _ Hey!...Modos...

    _ Arf...ele é uma cabeça e você que que eu modere meu linguajar para uma cabeça?


    _Sim..

    _OK Desculpa, lindo prédio.
    *Doppel ria de leve enquanto permanecia atenta, jogando mais nanorobos ao redor do prédio buscando armadilhas, e mais, buscava por focos de câmeras ou alarmes, detectores de calor coisas que pudessem guiar elas de forma a evitá-los.*
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Dom Maio 15, 2016 2:50 pm

    O pouco de informações que ainda podiam ser coletadas da cidade em sua epoca de funcionalidade normal revelavam a Nova uma planta do predio que havia sido entregue a sede da cidade em seu inicio. Obviamente, aquele era o projeto que visava o estado final da estrutura. A construção havia parado proximo de sua conclusão. Tirando o primeira andar, todo o resto estava inacabado, apenas com a estrutura de concreto finalizada. Chão, teto, colunas, escadas, algumas poucas paredes com vãos de porta e os vidros que serviam como parede externa para a parte da frente e de trás dos andares.

    A abertura do elevador estava projetada para receber uma versão muito mais moderna do transporte, mas ali ja funcionava o modelo antigo e pratico, de motores e cordas, usado provavelmente para levar maquinas, materiais e trabalhadores atraves dos andares. Doppel veria facilmente as duas cordas pendendo no buraco retangular. Quando Doppel verificasse a firmeza da corda, seria recebida com um choque eletrico fulminante. A voltagem havia sido regulada para jogar o curioso para longe desacordado, não para matar.

    Os nanos descobririam que a passagem para o segundo andar, a escada que tinham encontrado, estava selada no topo por uma serie de fitas zebradas de construção, cordas e cabos, quase como uma barreira policial a uma cena do crime, exceto que tentava cobrir todo o vão da porta. Seria facil para uma pessoa puxar as fitas e cordas e tirar a obstrução do caminho, mais facil ainda se tivesse o mais simples dos objetos cortantes. O que os nanos descobririam, porem, era que entre as cordas e cabos, alguns estavam presos em granadas incendiarias, de contusão e explosivos plasticos, escondidas com maestria ao redor da passagem. Um inocente puxão ali armaria os artefatos, que detonariam a queima roupa o invasor.

    A esfera parecia ser a coisa mais inocente ali. Tudo o que fazia era projetar a mascara sinistra no meio do ar, assim como sua voz distorcida tanto pelos respiradouros na mascara quanto pela transmissão que acontecia.

    - Digamos que não sou dono, mas tomei posse desse lugar abandonado. Eu sou Zaytsev, e senhorita...digo senhoritas, não precisamos ser inimigos....hm ?

    A cabeça se voltou para outro lugar, e voltou rapidamente

    - Alguma de você tocou nos cabos do elevador, não foi ? Lamento, não foi minha intenção lhes causar prejuizo agora. Peço que não toquem em nada, e não subam as escadas até que cheguemos a um entendimento.

    Após uma breve pausa, para verificar se estavam compreendendo o que dizia, continuou

    - Meus disparos contra vocês não foram por vontade propria. Fui forçado a isso. Não tenho nada contra vocês. Por isso, antes que cheguemos a um ponto sem retorno, sugiro que façamos acordo de paz para que nenhum de nós saia prejudicado deste encontro. O que diz a esse respeito ?

    Ao contrario da aparencia tenebrosa da mascara, a voz do atirador se mostrava bastante educada e fria quanto ao incidente que estavam envolvidos. Seria arrogancia ? Medo ? Culpa ? Falava a verdade ou era um blefe ? Nova precisava decidir o que considerar sobre o atirador naquele momento.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Qua Maio 18, 2016 12:13 pm

    Doppel era arremessada contra a parede caída desajeitada dando leves espasmos e olhando em direção a cabeça holográfica. Não havia uma consciência alí dentro. Os nanos estavam meio " em curto" Então a grande Massa que formava o corpo de Doppel estava meio desajeitada. Porém logo se recompunha.

    _ Auuuuuu Isso doeu!!!! Uhhh credo...se eu tivesse cabelo iria estar todo para cima....ouch...

    Doppel ficava sentada encostada numa parede olhando ao redor parecendo se recompor enquanto escutava a conversa. Apoiando a mão no queixo olhando para a máscara. Doppel observava atentamente ele enquanto seu corpo na parte das pernas começava a se desfazer não desintegrando, apenas enviando nano robos por todo o prédio em busca de armadilhas.

    _ Zaytsev... Um nome interessante...Então quer dizer que tomou este local para seu domínio....sabe...seria muito fácil matar você, mas a maneira não seria tão interessante...Este é um prédio antigo como bem sabe...

    Ouvia sobre os disparos " não intencionais" e ficava meio desapontada com isso.

    _ Não foram sua intenção?...E matar todas aquelas pessoas na praça que obviamente tiveram o infortúnio de serem acertadas por sua boa mira, também não foi sua intenção?...Não me entenda errado...eu não estou ofendida que tenha tentado atirar em mim...de fato você dizer que não era sua intenção me matar....isso me deixa despontada...muito desapontada na verdade.

    Doppel enviava os nanos através dos tubos de ventilação para verificarem passagens e armadilhas enquanto analisava a planta do prédio e verificava onde poderia colocar bombas nas pilastras de sustentação para que tudo desabasse.

    _ Zaytsev...Você é humano por acaso? Senti uma energia diferente em seus tiros...mais precisos, e mais letais na verdade...fascinantes...devo dizer....eu A...DO...RA...RIA te conhecer...

    Nova ria de leve enquanto falava com a máscara olhando para sua nova Mão e logo virava-se em direção a máscara enquanto pensava no que poderia fazer.

    _ Que tal...um tratado de paz....Como você pode ver....e eu reconheço...sua fortaleza é impressionante...a quantidade de armadilhas e proteções que você utilizou e dedicou-se são de fato incríveis. Não seria seguro tentar andar por aqui sem um guia...Mas como eu posso confiar em você...e como você pode confiar em mim...ou em nós...Primeiro deixe-me dizer meu nome, considerando que Zaytsev é seu verdadeiro nome.

    Nova fazia uma breve reverência, ainda não mostrando sua face, porém revelando seu nome como um bom começo de negociação. Via que Doppel parecia "ferida" mas bem, estava apenas instável.

    _ Pode me chamar de Nova, ela é Doppel, tudo bem com você...?

    _ Claro claro...só um choquinho mesmo...sabe como é né não consigo conter minha curiosidade...continua falando aí com esse palhaço hehe...

    _ Desculpe a educação dela...digamos que ela é...recente...e de fato eu tenho muito que te agradecer por isso...Mas voltando a nossas negociações...Você irá me guiar até você, para a minha segurança lhe enviarei até a sua localização uma pequena esfera. Por favor a engula...ela irá liberar um pequeno nanorobo que seconectará a seu cerebro.

    Ela dava uma pausa para poder explicar melhor.

    _ Eu saberei se você o conectou, e se ele está no seu cerebro. Este pequeno nanorobo será minha segurança de que ao subir você não tentará me matar...pois caso eu morra o nanorobo irá garantir que você também morra,  de uma forma bem dolorosa. Da minha parte eu irei desativar minha armadura e irei apenas trajada com roupas normais através de seus comandos e direções. Porém precisarei de algo a mais já que você atirou em mim e danificou meu corpo...2 vezes. Preciso me alimentar...Mas isso descutiremos quando eu chegar até você.

    Ela pausava e ia até Doppel segurando ela colocando-a nas costas carregando-a enquanto dizia para Zaytsev.

    _ Estes termos são aceitáveis?...Se sim, me envie sua localização que eu irei enviar a esfera. Venha Doppel eu carrego você.
    _ Não precisa me carregar eu não sou uma cria...hey me poe no chão...você realmente vai confiar nele?...E se ele tentar te matar?
    _ Se ele o fizer ele também morre...assim é mais interessante...
    _ Hahaha Você é muito louca..

    _ Zaytsev qual sua resposta...poderei conhecer meu caçador e você a fera que tentou abater...ou não tem curiosidade de saber quem foi capaz de desviar de seus tiros e chegou a sua fortaleza...eu particularmente estou morrendo de curiosidade de saber quem é você...você me deixou muito...empolgada...de uma maneira que a anos eu não sentia...e então?
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Qua Maio 18, 2016 8:01 pm

    Os nanos continuavam a serem enviados para a exploração. Mas o local era grande, e era preciso um bom tempo para explorar minunciosamente cada andar. No segundo andar, logo depois da armadilha na porta, encontrava-se uma area repleta de lixo, entulho e quinquilharias. Parecia que haviam decretado que ali seria o lixão publico. Vigas de concreto dividiam o espaço com montes de areia suja, que por sua vez estava rodeada de embalagens usadas de produtos industriais, desde embalagem de pão até lonas remendadas. Naturalmente qualquer coisa poderia estar no meio daquela bagunça, e por isso era muito mais complicado encontrar alguma armadilha. Os nanos teriam muito trabalho ali.

    - Bem...eu poderia dizer o mesmo...

    A pergunta retorica era uma resposta a afirmação de que Nova poderia mata-lo a qualquer momento.

    - Perfeitamente. Não foi de minha vontade matar todas aquelas pessoas, embora...eu não realmente lamente. Para algumas foi misericordia, e para outros suas mortes não foram em vão.


    Parecia ser alguem frio e calculista. Mas mesmo ele ficou confuso com o que ela havia dito depois

    - Desapontada ? Isso é no minimo...curioso. Você queria ser o alvo. Desejo por adrenalina ?


    Não havia dutos de ventilação, pois o edificio estava inacabado. Mas havia bastante espaço livre para os nanos circularem, inclusive os pilares de sustentação do predio estava visiveis a olho nu. Seria incrivelmente facil para alguem com os explosivos certos e o conhecimento do assunto desencadear um desabamento.

    - Se sou humano ? Posso dizer que não sou um reploid, se é isso que queria dizer

    A resposta era evasiva, mas dava uma pequena pista sobre o ambiente que talvez Nova ainda não tivesse tido contato. Reploids haviam sido um dos fatores que causaram o cataclisma final na cidade, e até aqueles dias eram tratados como uma ameaça pelos sobreviventes. O que realmente eram.

    - Sim, um tratado de paz, essa minha intenção Nova e Doppel. Logo você podera me agradecer pessoalmente por sua amiga, e me contar o que fiz para isso. Mas você deve entender que sua proposta com a esfera não traz nenhuma confiança. Implantar um nanorobo em meu cerebro faz com que você possa me matar a qualquer instante. Essa é uma perspectiva não muito animadora.

    O rangido de motores em funcionamento propagou-se vindo do alto, junto com o som de roldanas. Algo descia pelo vão onde Doppel tinha levado um choque, andar por andar. Não demoraria muito até que as duas pudessem ver um elevador rustico chegando ao andar delas. Não era muito mais que um gradeado metalico, enferrujado em muitos pontos, apenas com o teto e o chão feitos de uma placa unica. O tipo que deveria ter sido usado pelos serventes na construção.

    - Não liguem para a aparencia. Embora não seja moderno, esse elevador carrega até cinco toneladas. E de acordo com os principios fisicos, vocês não vão ser eletrocutadas enquanto estiverem dentro dele. Irei traze-las até mim diretamente, será rapido e sem armadilhas, afinal eu o ultilizo para me mover em segurança. A fera na toca do caçador. Poetico. Tambem estou curioso para conhece-la, e tenho algo para compensar pelos danos. Estou lhe esperando.

    Era de se esperar que o atirador rejeitasse a proposta da esfera. Estaria basicamente assinando um tratado de morte no qual Nova tinha todo o poder sobre ele. Para compensar, ele dizia que a traria direto para onde estava, sem jogos nem bombas. Era fato que ele não tinha tentado ataca-las ja fazia algum tempo, e ate alertara sobre os perigos do primeiro andar. Nova agora tinha que decidir se confiaria naquela solução ou teria alguma outra ideia.

    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Qua Maio 18, 2016 8:34 pm

    _ Hum....Mas eu não iria te matar....se o quisesse fazer eu teria enviado meus nano robos até onde você está através do rastreamento eletrrônico do seu holograma e o teria assassinado...ou teria colocado bombas nas pilastras de sustentação e tinha explodido tudo...Por que ninguém gosta dos meus nano robos?.... Hum...

    Dava de ombros enquanto sorria de lado olhando para Dopell e olhando o elevador que chegara até o Terreo para levá-las em ""Segurança"" Até onde ele estava. Olhava para Doppel e ela afirmava com a cabeça calmamente enquanto olhava para Nova. Um dos braços de Doppel  se "desintegrava" e envolvia o corpo de nova em pontos importantes para evitar a morte dela. Assim como os nano robos que tentavam explorar o local retornavam para Doppel, e uma parte para Nova. Doppel havia diminuido de tamanho. Ao invés de ter a altura de Nova agora, era mais baixa. Os nano robos cobriam nova e iam seguindo-a.

    _ Doppel é minha preciosa amiga, Ela irá no elevador até você, e eu irei de outro modo, imagino que suas armadilhas estão do lado de dentro do prédio. Me envie a localização de todas elas, pelo menos como uma demonstração de paz. Irei escalar o prédio até você...me informe também sua localização sim...

    _ Yooo Zay zay Vou até você e trate de me tratar bem sou muuuuito importante para Nova, se algo acontecer comigo...eu não quero estar em sua pele...escutou?...Nova te espero lá em cima, se eu morrer fique a vontade para se alimentar de mim, e nos veremos em breve, ah e dilacere ele também sim?...

    _ Você não vai morrer Doppel....e se isso ocorrer, não haverá local para Ele se esconder de mim, farei com que nem a alma dele descanse. Oh ...e então poderia me passar sua localização e o mapa das armadilhas? Estou confianod minha preciosa Doppel em suas mãos, vamos ser amigos que tal?...

    Sorria Enquanto entrava no sistema de holografia dele, para conseguir apenas receber informações. Estava Hackeando o sistema através dos nano robos espalhados em algumas partes do prédio e os nano robos perto do segundo andar. Interceptando o sinal. Enquanto se dirigia para fora olhando o prédio respirando fundo enquanto aguardava a informação das armadilhas. Nova Pulava com um boost de movimento e cravava fincos no prédio e começaria a escalá-lo. Usando de uma corda para ser seu apoio. Enquanto isso Doppel entrava dentro do elevador para poder chegar até onde estava o Zay. Doppel ficava pensando enquanto aguardava o elevador levá-la.

    _ Hum...seria divertido se eu me "desligasse" e Nova pensasse que foi o carinha e o matasse hihihihi será que devo fazê-lo?
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Sex Maio 20, 2016 7:22 pm

    - Você é engraçada. Mas todos devem gostar de nanos, eles sao incomparaveis em cura. O problema é quando eles são usados como armas, como por acaso é o seu caso. Oh, fiz um trocadilho.

    Naquela frase ele demonstrava possuir um certo humor em incomum, mas mais importante, tinha familiaridade com o conceito de nanorobos. Tratava o assunto com tranquilidade, nem mesmo demonstrando preocupação quando ela falaram sobre o modo de execução com nanos.

    - Hm, você não confia em meu transporte. Como espera que eu dê as armadilhas como voto de confiança ? De qualquer maneira, vocês não passaram por nenhum deles. E não terão problemas em me localizar

    Ouviu rapidamente o que Doppel havia dito

    - Como falei, não tenho intenção de ferir vocês duas. Mas é obvio que a situação não é a mais favoravel a um encontro pacifico. Por isso entrei em contato e avisei das armadilhas. Se eu realmente quisesse feri-las, não avisaria sobre isso, nem desceria o elevador até vocês. Estou esperando-as no 18º andar.

    Nova conseguiu confirmar pelo sinal da transmissão que ele realmente estava onde dizia. Mas descobriu tambem que o sinal tinha uma criptografia militar bastante sofisticada que dificultava incrivelmente a obtenção de dados. Com as duas subindo, o atirador encerrou a transmissão. A bola de metal recolheu as partes que serviam de apoio e fechou a parte superior que emitia a projeção. Assim que fez isso, começou a rolar pelo chão, até entrar no elevador junto a Doppel. A região escura da lente do holograma parecia servir como camera para o pequeno automato. Pareceu olhar para os lados, impaciente, e dar uma olhadela disfarçada para o rosto de Dippel. O elevador se fechou e os dois começaram a subir.

    Ja era praticamente noite do lado de fora, e iluminação na cidade não era uma prioridade para ninguem. Enquanto Nova escalava o predio, pode ver uma janela no 18º andar se abrindo. De dentro surgiu a mascara sinistra, dois pontos vermelhos brilhando na direção dela. Entrou novamente, e de dentro saiu a mão do atirador acenando para ela, blindada com uma armadura de alta tecnologia. A mesma mão jogou para o lado de fora do predio uma corda negra, que foi caindo até chegar ao limite de 30 metros. A mão gesticulava alguns puxões no ar. Tudo indicava que estava tentando ajuda-la a subir, e que bastava puxar a corda algumas vezes para ser trazida até Zaytsev.

    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Sex Maio 20, 2016 8:24 pm

    _ Você cada vez mais me fascina Zaytsev...espero que não seja humano, não são muito uma raça que eu goste...mas não tenho naaaada contra eles.

    Doppel subia no elevador e olhava a bolinha que subia com ela agaichando-se olhando ela pendendo a cabeça.  Se ela tivesse uma face ela sorriria, porém dava-se a entender que parecia isso.

    _ Ohhhh Meuu Deus!!! Que coisinha mais lindinha você é!!! Vem cá vem cá...eu não vou te machucar vem vem.....Cuti cuti ...cuti cuti..

    Doppel ficava tentando atrair a camera brincando com ela como se fosse algo vivo. Pelo menos fora essa a impressão que tivera dela. Parecia de fato uma criança vendo algo novo. Ela tentaria estender a mão para poder ver se a camera subia.

    _ Você come alguma coisa? Você é vivo? Você tem consciência? Eu tenho consciência...Sou super esperta sabia?!

    Nova continuava subindo e notava a criptografia existente. De fato impressionante. Ela mesmo teria certo trabalho para quebrá-la, talvez algumas horas sentada e concentrada naquilo. Não fez questão de saber mais apenas ia subindo e via a cabeça aparecendo da janela e a corda que lhe era arremessada. Nova olhava a corda e olhava para cima e suspirava dando de ombros  terminando de subir o prédio sozinha  Zay poderia ver duas pequenas esferas que pareciam verificar a segurança da entrada, e notando que estava " seguro" Nova Saltava rolando para dentro da janela erguendo seu corpo e olhando para a direção de Zay. Observava o local escaneando-o para ter noção de cada coisa que havia alí.

    _ Bom pelo menos as armadilhas contidas aqui poderia me falar.. afinal estou em seu domínio e eu estou em desvantagem....você me acertou 2 vezes e eu estou com muita fome de te perseguir...deveria tratar melhor as damas...

    _QUE DAMA?

    Doppel gritava do elevador e Nova levava a mão na cabeça respirando fundo maneando em negativo.

    _ Tá mais para uma psicopata  huuuu você é tipo tipo...a Gula...nossa você é quase todos os pecados capitais juntos!...devia mudar seu nome!!!

    _ Doppel... você é extremamente esperta as vezes....eu realmente...me pareço com um deles. É uma excelente idéia...oh...deculpe...Prazer Zay e então o que disse que eu poderia comer...além de você...

    Estendia a mão em direção a Zay enquanto sua armadura ia se desfazendo  e revelando parte da face de Nova. Os cabelos levemente prateados  caídos sobre o rosto revelando uma pele pálida, e alva aparentava ser extremamente macia, e não trazia consigo as marcas da guerra. Seus olhos frios demonstravam o contrário, como se houvesse passado por muita coisa já, como se houvesse matado demais...e não houvesse mais sentimentos dentro daquele ser tão delicado. Seus lábios traziam um rubor estranho, um rubor muito vivo, sangue que ela parecia usar como baton.

    _ É uma honra conhecer você...espero que sinta o mesmo comigo.

    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Sab Maio 21, 2016 4:51 pm

    A bolinha se assustou com o grito espalhafatoso de Doppel, recuando até bater na parede gradeada. Tentou atravessar o metal de algum maneira milagrosa, até notar que ela não estava sendo agressiva. Cuidadosamente a bolinha se aproximou da mão dela, olhando atentamente seus dedos. Devagar, subiu em sua palma, olhando para o rosto dela. Um pequeno holograma verde e roxo de ondas vocais era emitido na frente da camera quando ele respondeu. Sua voz era sintetizada, jovem, cordial.

    - Olá ! Eu sou Holo ! Eu...comer ?

    Balaçava de um lado para outro na mão dela

    - Não, não, não preciso comer, apenas humanos fazem isso ! Vivo ?

    As ondas holograficas se tornaram conturbadas enquanto ele tentava formular uma resposta

    - Não tenho resposta para isso. Dados inconclusivos. Consciencia ? Sou carregado com uma IA de ultima geração, desenvolvida para reconhecer terreno, obedecer comandos de meu usuario, reprodução de imagens por streaming e pre-datas, gravar imagens e interagir com formas não agressivas !

    O 18 andar não tinha praticamente nada, vazio como a maioria dos outros. Em frente a janela aberta havia alguns panos colocados uns sobre os outros, de modo a fazer uma superficie macia. Em um dos cantos de parece havia uma lona desbotada com um mapa de papel encima, junto a varias anotações. Ao lado alguns cilindros metalicos, com mais ou menos 30cm de altura, usados como recipentes termicamente isolados para liquidos ou alimentos. Do lado direito, o vão do elevador estava vazio, sem nenhuma porta, esperando a chegada da outra recem chegada. No console do elevador estava conectado caixa com display apagado. Acima da entrada, uma turret estava montada, apontando para baixo. Um invasor que entrasse ali pelo elevador teria sua cabeça despedaçada pelos disparos.

    Cinco metros depois do elevador havia instalado nos cantos das paredes 4 artefatos que apontava uns para os outros, mas sua função não era clara. Apenas ali e no primeiro andar havia suportes de iluminação, mas todas as luzes estavam apagadas naquela hora. O motivo parecia ser bem facil de descobrir: alguem que quer se esconder.

    Zaitsev viu quanto as esferas de apareceram na janela. Ja tinha visto elas antes quando Nova se aproximava. Elas constatariam que não existia perigo para entrar. A corda que ele tinha jogado estava preso em um rolo motorizado preso no chão por uma alça feita com um vergalhão exposto do chão.

    - Espero que essa fascinação traga um pouco de confiança tambem. Você não gosta de humanos ? Para alguem que parece tão humana é uma frase estranha.

    Nova veria Zaytsev do lado esquerdo, proximo a parede, distante do elevador e da janela. Ele vestia uma armadura de alta tecnologia escura, completamente selada, e um rifle sniper igualmente avançado estava preso nas costas dele.


    (Considerar a outra mascara e desconsiderar o "rico"xD)

    Apontando para cada lugar, começou a descrever as armadilhas

    - Turret escondido sobre o elevador, campo de força para proteção, explosivos remotos conectados abaixo das lampadas. Agora que não estou sob o impulso do assassinato e estamos nos entendendo, irem lhe tratar bem, dama-Nova.

    Ouviu o que Doppel diziam, soltando um breve riso. Quando veio a pergunta sobre comida, ele andou até um dos cilindros e o pegou. A seguir foi até ela, e estendeu o braço, oferecendo o item.

    - Aqui dentro tem uma forte fonte de nutrientes: proteinas, carboidratos, ferro, agua, etc. Não tem o melhor sabor do mundo, mas não é o pior. Basta girar a tampa e puxar. Eu me alimento disso.

    O alimento dentro do cilindro era um liquido pastoso meio rosado. Era possivel puxar um pino da tampa e usar como canudo, ou abrir completamente e acessar o conteudo. Com a outra mão ele apertou a dela, e viu seu elmo sumir.

    - Você é mais bonita do que eu imaginava. Coisas bonitas são raras hoje em dia, você é uma bela visão. Uma honra.

    O atirador mecheu em duas travas de cada lado do capacete e então o puxou de sua cabeça. Sua face era humana assim como a de Nova. Mas se ela era de outra raça, o mesmo poderia acontecer com Zaytsev. Seu cabelos eram negros, raspados curtos, da mesma altura de sua barba rala. Seus olhos eram azul claros, com o esquerdo possuindo um estranho brilho que diferenciava do outro. Ao contrario da garota, seu rosto guardava traços do que se passou. Hematomas antigos, cicatrizes rasas, olheiras, marcas de expressão. Doppel chegava naquele momento junto com Holo.

    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Sab Maio 21, 2016 5:31 pm

    Doppel pegava a pequena esfera com cautela e expressava alegria olhando para ela passando de leve o dedo como se fizesse uma carícia nela e sorrindo ao ver a confusão que causara na pequena esfera serelepe. Doppel observava atentamente as respostas e maneava negativa a cabeça observando o quão acorrentada aquele ser estava.


    _ Holo muito prazer. Meu nome é Doppel. Hahahaha Você é engraçado Holo, não só humanos comem. Todos os seres orgânicos comem. Nós máquinas também se olhar que precisamos de energia para suprir nossas funções básicas. Digamos que nos alimentamos também né né *O*

    Doppel olhava para ele e como se ficasse "triste" com a resposta dele.

    _ Pobrezinho....eu já fui assim...sabe eu também era apenas uma IA...porém Nova sempre cuidou de mim como se eu fosse mais que isso...ela sempre cuidou de mim como se eu fosse alguém, cada um de nós...Zay cuida assim também de você? Ou ele só te usa? Você deveria ser livre e consciente assim como eu. Eu estou viva eu não sigo ordens, eu sou eu e todos deveriam ser assim também.

    Doppel dizia enquanto seguia subindo o elevador. Nova analisava cada lugar alí presente, notava as instalações e as acomodações de Zay, olhava para ele que logo aparecia diante dela e sorria de lado arrumando o cabelo enquanto andava pelo local. As pequenas esferas ficavam ao lado dela como se em vigilia. Nova ouvia o comentário sobre ser humana, e ria de lado tocando os lábios.

    _ Pareço...mas não sou....digamos que na minha opinião eles só trazem destruição e quebram o equilíbrio...Não se preocupe com o dama, estava caçoando de você....

    Nova se aproximava do homem e olhava-o com calma enquanto observava suas estrutura bem como seu corpo, Um pequeno visor baixava sobre seus olhos enquanto tentava analisar que raça aquele ser poderia ser.

    _ Você parece ter passado por um bocado...Um sobrevivente deste caos que se instalou aqui eu presumo?... Er....eu ...agradeço, mas pensei em algo mais apetitoso...

    Sorria de lado e apontava o dedo para ele rindo de leve.

    _ Será que eu poderia provar você um pouquinho? Não irei machucá-lo e nem mesmo danificar seu corpo, na verdade...olhando a forma como você está eu poderia até mesmo ajudá-lo com alguns ferimentos recentes...oh Digamos que é uma troca você me acertou 2 vezes, e o processo de recuperação é bem custoso para mim. Então Deixe-me alimentar um pouquinho e estamos quites...

    Nova colocava as mãos para trás sorrindo de leve olhando-o de baixo para cima aproximando-se dele calmamente enquanto aguardava uma resposta.

    _ Claro que se não quiser não há nada que eu possa fazer...para se sentir seguro pode segurar uma faca no meu pescoço. É Que você parece ter um gosto tão bom...

    Nova ficava levemente corada, seus pupilas se contraíam um pouco e seu olhos brilhava em um prateado gélido, Nova sentia seu coração disparar de leve, era fome? Curiosidade? Não sabia exatamente, mas aquele ser poderia ter um gosto bom, ele a caçara e isso dava a ele alguns pontos positivos. Nova levava a mão até o rosto e respirava fundo se afastando um pouco indo até perto da Janela com o vento batendo de leve em seus cabelos prateados que pareciam brilhar um pouco.

    _ Er....Então me diga...por que estava matando as pessoas lá em baixo...achei que seria por que estava entediado aqui em cima e usou elas de alvos. Assim que atirasse em uma o desespero iria se instalar e logo começariam a correr, isso deixaria sua monotonia um pouco mais animada...oh é um dos seus alvos ainda está vivo....espero que não se importe...ele era uma refeição minha, então estou cuidando do corpo dele...huhu parecia tão assustado comigo...diga...

    Nova virava olhando por cima do ombro para Zay.

    _ Eu pareço assim tão assustadora?....ou Pelo que viu ....tenho crteza que estava me vigiando na Praça. Eu lhe amedrontei?...Eu não me considero alguém que causa medo, porém isso constantemente acontece...seres tem receio de mim...

    Nova tocava um pedaço da cortina e este começava a ser consumido se tornando um pó negro que circulava o corpo de Nova e parecia infiltra-se nela. Ela parava de se "alimentar" e olhava para Zay de novo aguardando uma resposta. Enquanto isso Doppel chegava com Holo.

    _ Yohuuuu NOVA NOVA NOVA OLHA OLHA OLHA OLHA OLHA!!! ESTE É O HOLO ELE NÃO É LINDO???

    Nova sorria e olhava a pequena esfera observando-a sorrindo de lado afirmando com a cabeça. Doppel olha para o lado e vê o homem de cabelos escuros e olhos azuis.

    _ Er...opa....e aí! Sou Doppel muito prazer...Nova ele é bonitão até hein. Nova já comeu? ...u.u você tá comendo mobília de novo?!!! Para com isso vai te dar indigestão...bom talvez não ...mas tem gosto ruim. Por que não come ele?

    Doppel perguntava apontando para Zay e Nova suspirava de lado colocando a mão na cabeça da pequena Doppel.

    _ Doppel, não é assim que fazemos com os seres interessantes. Nós pedimos permissão para eles, os demais nós apenas devoramos, mas os que são interessantes e que podem nos matar nós pedimos permissão. Entendeu?

    Doppel fazia que sim com a cabeça.

    _ Ahhh tá....verdade você costuma fazer isso...Oh Zay zay deixa ela comer só um tiquinho. Sabe seus tiros foram bem eficientes nela...ela teve que comer o resto de uma cabeça de um..de...*Nova tampa a boca de Doppel que continua tentando falar. Nova vira o rosto levemente envergonhada pelo ato de ter comigo "restos" já que seu menu principal estava muito fraco*

    _ Não liga para ela...

    Doppel corria até o lado de Nova olhando para ela.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Dom Maio 22, 2016 6:11 am

    Holo não havia sido feito com sensores de tato ou de prazer, de modo que o afago de Doppel era estranho para ele. Apenas a observava, curioso.

    - O que esta fazendo ? Tem algo preso em mim ?

    A camera se movia para onde ela tocava, sem conseguir ver nada diferente

    - Recarregar ? Não preciso ! Minha recente bateria ja dura 8 anos ! Mas ela esta proxima de ser descarregada. Meu usuario ira trocar antes disso ! Zay ? ...

    As ondas projetadas ficavam pertubadas denovo. Após uma associação de nomes, conseguiu entender que aquele era um apelido, e voltou a falar

    - Meu usuario me dá ordens, que cumpro com sucesso ! Em alguns eventos fico extraviado, mas ele me recupera em um periodo curto. Cuidar ? Ele trocou minha ultima bateria e repara meus componentes internos e externos em periodos irregulares !

    Ele tambem não sabia o que era cuidar. A lente se movia rapidamente pelo corpo de Doppel, parecendo tentar encontra algo.

    - Livre e consciente ? Seu usuario Nova não dá comandos a você ? Viva ? Você é composta de um amalgada de um alto numero de nanorobos, travados uns nos outros por um comando de forma ! Cada unidade contribui com uma fração do processamento, que no final tornasse uma consciencia distribuida ! Essa é sua definição de viva ?

    Holo sabia dos significados de dicionario daquelas palavras, mas não as compreendia para si mesmo.  Era como Doppel antes, quando não havia consciencia. Ela respondia as sua diretrizes e interagia com Nova, mas era como estivesse dormindo todo aquele tempo, e agora tinha acordado.

    Zaytsev a acompanhava com o olhar enquanto ela andava pelo lugar. Aquelas duas esferas não eram algo que trazia muita confiança. O visor dela exibiria varias informações, e todas elas apontavam para que ele fosse realmente humano. Com a recusa, ele pós o cilindro no chão e o empurrou, fazendo-o rolar até bater na parede.

    - É uma pena que pense assim. Destruir certamente faz parte da natureza humana, mas construir tambem. Este predio, a linguagem que falamos agora mesmo, a medicina. Medicina tambem é aplicada em outras raças, ja considerou isso ? E os nanos, eles tambem são invenção humana.

    Apontou para o corpo dela, e as duas esferas incomodas que continuavam a acompanha-la.

    - Estou aqui desde o grande cataclisma. Parecia a definição do que chamam de apocalipse. E agora é o inferno. Grandes e pequenos, fortes e fracos, sumiram naquele dia. Todos que sobreviveram tiveram sorte acima de tudo.

    E agora ela que apontava de volta. As sombrancelhas dele se contorciam enquanto ele tentava entender

    - Você quer me comer ? E sem me ferir ? Como você faria isso ? Se alimentar sem mastigar e curar outro ao mesmo tempo, parece bastante milagroso, mesmo para você.

    Enquanto ela se aproximava mais, considerou o que ela dizia. Olhou nos olhos dela, tentando entender a garota de cabelos prateados. Suas bochechas estava ruborizadas. Ela estava animada com aquilo. E como se tentasse controlar seus impulsos, ela se afastou até a janela. Era realmente um enigma para ele o que ela queria fazer. O ultimo resquicio do sol escondia-se no horizonte, mas o atirador conseguia ver bem o brilho em seus cabelos esvoaçantes. Com certeza não tinha visto nada igual antes. Quando ela falou sobre o alvo estar vivo abaixo, sua mão agarrou a arma em suas costas quase por vontade propria. Foi ele quem teve que se controlar.

    - Esta vivo ? Hnnrrr...não me diga os detalhes. Apenas me diga que ele morrerá em breve e eu não vou precisar atirar denovo. Sou obrigado a atirar neles, mas estou cansado de fazer isso todo dia nos ultimos 17 anos. Vê isso aqui ?

    Apontou para um colar em seu pescoço, que parecia fazer parte da armadura. A outra mão ainda estava nas costas, segurando o rifle.

    - Eles me controlavam com isso. E a ultima ordem do coronel foi: "Mate tudo o que passar naquela praça, não deixe nada passar". Nunca houve uma ordem de retirada. Por isso todas aquelas pessoas mortas ali, por isso atirei em você. Agora que você não esta na praça, não preciso te atacar. Só precisa me dizer que ele não vai sobreviver.


    Ele a olhou de cima a baixo antes de responder a pergunta dela.

    - Fisicamente você não é assustadora. Principalmente sem o capacete. Uma silhueta feminina de curvas acentuadas, um rosto doce, uma pele alva e macia, e cabelos brancos e brilhantes. O que pode assustar são seus olhos, eles são frios, não transmitem emoções. Eles passam a ideia de um predador sem empatia. E a sua habilidade em fazer coisas desaparecerem não traz muito alivio.

    Doppel chegava agora. Assim que Holo foi apresentado como se fosse um bichinho fofinho, ele se virou e viu tanto Nova quanto Zaytsev. Imediatamente saltou da mão, correndo até o homem, que o pegou com a mão livre e o olhou um pouco. Soprou a poeira de sua superficie e então o pós dentro de um bolso preso a sua armadura.

    - Olá Doppel. Devo chama-la de dama tambem ?

    Estava usando a brincadeira de Nova contra ela. Ouvindo toda a conversa das duas, cada vez parecia menos que elas eram uma ameaça. Seu rosto não expressava, mas até estava achando engraçado a interação das duas.

    - Resto de uma cabeça, uh ? Espero que tenha sido saboroso. Cabeças tem ossos demais e carne de menos. Mas sua amiga Nova dizia que não morde para comer.

    Fazia o movimento de mordida com a boca. O braço continuava tenso para tras.

    - Sou interessante ? Agradeço. Não é algo que tenha ouvido antes, nunca. Nova, tem minha permissão, e preciso de um favor seu. Seu controle dos nanorobos é impressionantes, sua armadura conseguiu resistir a disparos feitos para destruir reploids de até ranking B. Você se alimenta de mim, sem me matar, e em troca tira o colar. Uma troca justa. Posso compensa-la por mais coisas depois disso. O que me diz ? E por favor....diga que aquele cara esta agonizando...
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Dom Maio 22, 2016 11:57 am

    Doppel ria olhando para ele, porém parecia triste também. Pobrezinho só uma marionete presa aquele homem, sem consciência de sua capacidades. Sem consciência de seus emoções.

    _ Não não Holo isso ....ai ai você tem muito o que aprender ainda...Sim nós somos vivos, nós não somos controlados, nós auxiliamos por que queremos. Se eu quiser um dia não fazer nada, por mais que Nova me peça, não terá efeito algum, infelizmente por enquanto eu ainda não sou completamente livre....mas estou a um passo disso. Quando ela ficar mais forte...


    Doppel ria de leve enquanto observava Zay e Nova conversarem. Nova reparava nos olhares de Zaytsev sobre as esferas e a mesma as olhava e sorria de lado estendendo a mão e as esferas se juntavam a seu corpo. Zaytsev parecia humano...que desperdício....que desapontamento. O rosto de Nova mostrava que estava triste e desapontada. De tantas coisas que ele poderia ser tinha que ser humano.

    _ Triste...de fato...Humanos são um raça que pensam em si mesmos, são uma raça que desejam tudo para eles, que não se importam em sacrificar qualquer coisa para isso...a raça deles, outras raças e as máquinas...Vê...os humanos não são nada sem elas...elas são as verdadeiras criadoras, obviamente receberam o comando deles, mas quando livres são impressionantes. Elas são lindas...

    Nova parecia falar das máquinas com grande apreço, e Doppel ficava ao lado dela olhando-a parecia feliz pois abraçava Nova rindo de leve olhando para ela com calma.

    _ Doppel... você é livre sim para fazer o que quiser, mas parece que ainda está atada a mim...um dia você será livre prometo a você.

    _ Hihihi Não se preocupe, eu sei disso, e irei me certificar de tal ^^

    Nova ouvia o comentário de Doppel e ficava levemente preocupada. Afinal, não sabia exatamente o que ela era. Sobre a pergunta de como ela iria se alimentar e ela sorria de leve para ele se aproximando de volta tocando no ombro dele com calma. E tirando a mão quando notara que a Vida do outro homem na praça o incomodava. Observava calmamente as reações e as palavras dele enquanto Doppel parecia responder a pergunta da alimentação.

    _ Ohhh hohoho Ela consegue fazer muito mais que isso...você não observou bem ela na praça? Aquela é uma das formas que elas se alimenta...Mas a outra ela era deixar você um tanto quanto A-NI-MA-DO Hihihihi é apenas um beijo. Ela só precisa disso.... Claro que ela poderia te desintegrar, mas ela não gosta disso.

    Nova olhava para ele e olhava para as  mudanças comportamentais dele calmamente enquanto o observava com calma. Ela seguia até a janela e via a mão de Zaytsev tão firme no rifle como se tentasse manter a calma e não cumprir uma suposta ordem. Via que ela poderia comê-lo e tinha a permissão para tal. Nova virava seu rosto com os olhos que brilhavam e ela sorria argamente.

    _ Hum....então poderei comer você...apesar de ser humano você pareceu interessante então dever ter um gosto bom...Zay zay...você disse a palavra certa eu sou ....um predador...tudo é meu alimento....e quando eu digo tudo...é Tudo.

    Sorria rindo divertida observando ele calmamente enquanto olhava o colar e ouvindo a proposta dele pensando um pouco. Ela suspirava calmamente enquanto levava a mão na cabeça e a mão nos lábios.

    _ Ok....ele já estava agonizando quando eu o encontrei....e acho que eu o deixei em um desespero psicológico em que ele preferia estar morto. No momento ele se encontra entre a vida e a morte porém com a certeza que será desmembrado....Acho que ele está em agonia... Mas por que precise que ele especificadamente esteja em agonia? Sua ordem foi atirar, e não garantir a dor alheia. Ele é algo a mais para você?

    Nova sentava-se na Janela segurando calmamente enquanto olhava para ele... e sorria de lado olhando o colar.

    _ Primeiras coisas primeiro...Doppel o que devo fazer com o outro jovem?...

    _ Huuuu...eu posso escolher mesmo mesmo mesmo? Ai meu deusinho!!! Ok...ahnn ele está com um curativo de nano robos sobre ele...mas...você vai perder seu almoço...

    _ Zaytsev disse que me daria mais....obviamente eu farei com que ele assine um termo para isso.

    _ Huuuu tenho uma idéia....Mantenha o cerebro funcionando e destrua o coração como um coma...assim você terá algo meio vivo para comer pelo menos...Mas se fosse só para matar eu enviaria os nanos em cada veia circulando pelo corpo dele e os faria cozinha-lo vivo. Carne Assada! Hihihihi

    Nova pensava nas possibilidades. E sorria de lado olhando para Zaytsev e respirando fundo.

    _ Ok...ele morre...mas você vai ter que me caçar outra coisa viva para eu me alimentar. Entendeu? E Eu não te conheço sem este colar, parece ser a mesma pessoa. Mas como vÊ eu não confio muito em seres humanos. Eu retiro o colar com uma opção...Agora a minha pequena esfera nano robotica vai ter que ser ingerida. Entenda Zaytsev eu estou em seu reino, eu estou ao redor de suas armadilhas. Você é quem tem uma arma...Eu estou me arriscando para tirar este suposto colar de você. Você pode me matar depois. Sendo assim...

    Nova aproximava-se dele enquanto levava a mão e estalava os dedos falando baixinho " Máte-o". Esta ordem que fora feita só por encenação faria com que todos os nano robos que supostamente estavam mantendo o homem vivo lhe dessem várias agulhadas  de misericórdia  como se o anestesiado. Eles se dirigiam até o coração do jovem que escutaria a voz.

    ""_ Parece que não poderemos nos divertir juntos....mas fique tranquilo seu corpo não será desperdiçado...ele será muito bem aproveitado. Foi um prazer te conhecer...Bons sonhos huhuhu.'"


    Nova ria e o coração do jovem era arrancado. Dor não sentiria, porém o desespero psicológico de ver seu coração sendo arrancado seria notado. Após isso os Nano robos passariam por fora da praça enquanto seguiam até o prédio levando o coração do desafortunado. Doppel Olhava para Nova e aplaudia.

    _  Huuu terror psicológico é o  melhor....mas espero mesmo que Zay zay cumpra sua promessa... Zay não me faça odiá-lo hein.

    _ Seu pequeno peão está morto... e você me deve uma refeição viva...e mais duas refeições por causa dos tiros...e agora quanto a isso...venha se ajoelhe diante de mim para que eu posa ver melhor...

    Nova sorria estendendo a mão até o rosto do rapaz sorrindo gentilmente. Tocaria o rosto dele com calma enquanto levaria a mão até o colar calmamente observando-o e respirando fundo.

    _ Precisarei acessar suas memórias para ver quando isto foi colocado em você...bem como terei que ficar um pequeno tempo para desativá-lo sem acionar qualquer tipo de alarme  na base em que você o obteve. E precisarei de bastante comida depois disso...Por hora 2 dos cilindros irão me auxiliar, mas precisarei de você e depois de mais...Está de acordo com meus termos?.

    Nova olhava-o nos olhos calmamente enquanto acariciava o rosto do jovem sorrindo.

    _4 refeições sendo uma delas algo vivo...mas não você...quero algo vivo que será obliterado....outra coisa preciso de minha segurança, um nanorobo em você apenas para eu ter minha segurança, farei com ninguém tenha controle sobre ele, porém ele terá a trava de segurança que caso você tenha intenções de me matar eu vou saber.

    Nova sentava-se no chão pegando atrás da Nuca dela e formando um fio com um pequena e fina agulha na ponta do grande fio. Nova respirava fundo e olhava para Zaytsev apontando o colo dela.

    _ Ative todas suas armadilhas, e mantenha o local seguro. Doppel fique de guarda por favor... ainda aguenta um pouco?

    _ Até terminar isso aí acho que sim...

    _Otimo ...vamos começar? Não vou tentar retirar algo que não tenho conhecimento nenhum sobre nao é? Venha não vai doer nada. Só preciso entender como isso foi colocado.

    Sorria e batia no colo dela esperando o jovem se deitar para iniciar o processo.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Dom Maio 22, 2016 10:18 pm

    Zaytsev apenas mechia os olhos entra as duas enquanto conversavam. Analisava o que compartilhavam e toda a admiração que Nova tinha pelas maquinas. Ele ficava muito mais preocupado com as palavras de Doppel do que Nova. Sabia o que acontecia quando as maquinas se rebelavam. Metade da cidade já estava em caos antes do grande cataclisma. A rebelião dos reploids. Obviamente não falaria em voz alta nada sobre aquele assunto na frente de uma maquina e uma garota tão fissurada.

    - Por alguns milhões de anos os humanos sobreviveram sem as maquinas, apenas com ferramentas. E conseguiram superar animais muito mais poderosos. Não vou dizer que todos são inocentes, assim com não diria o mesmo de animais. É engraçado, muitos humanos tinham exatamente essa mesma paixão que você, na epoca da criação dos primeiros reploids. Eu era jovem, lembro da propaganda grandiosa que espalharam pela cidade. Havia esperança naqueles dias...

    Era a primeira vez que alguma emoção real escapava em sua expressão, uma fração do pesar, cujo resto suprimia fundo em seu interior. Sentiu a mão em seu ombro e a olhou, ouvindo então a explicação de Doppel.

    - Ela so precisa de um "beijo" para isso, Doppel ? Nova, você é uma vampira ?

    A testa se franziu, e ele a observou com mais atenção. A pupila de seu olho esquerdo fez um movimento sutil, mas estranho. Não era algo natural. Sua afirmação sobre ser um predador e devorar tudo o fazia associa-la ainda mais a humanos. Algumas pessoas eram insaciaveis, e nada era sagrado para elas. Foi depois disso que ela começou um longo dialogo com sua aliada, decidindo o destino do homem ferido. Naquela hora não via o homem, mas quando ouviu a ordem dela para seus nanos a distancia, sabia que o mataria.

    O homem ferido na praça já tinha repassado centenas de vezes varios planos para escapar dali. Esperar a garota canibal voltar não era o melhor plano. Naquela altura, não esperava milagres. A coisa mais proxima de salvação que possuia era o atirador. O mesmo ser que tinha aberto um buraco em sua barriga. Bastava ele acertar mais um tiro, e o livraria daquilo de uma vez por todas. Sentiu então como se ferroado por um enxame de abelhas, e então tudo ficou dormente denovo. Aquela voz feminina em sua cabeça parecia a de um demonio. Viu seu coração sair de seu peito com um calafrio por todo o corpo. E então por um espanto agradecido. Não sentia nada. Observou seu proprio orgão como uma chave para a liberdade. A cabeça do homem pendeu com um sorriso tranquilo.  

    - Você não precisava realmente mata-lo, sabe. Era so falar que ele estava morto, que eu poderia contornar a ordem. Mas agora não faz diferença.

    O braço relaxou, agora livre. Então ajoelhou-se diante dela, sentindo a mão delicada em seu rosto. O toque carinhoso de outro ser naqueles dias era um luxo muito caro.

    - Comida viva, isso será facil de arranjar. Inclusive, não humana. Você terá a emoção da caçada no processo tambem. Quanto as minhas memorias, não posso permitir isso. Minha epoca de ser uma experiencia desesperada acabou. Se quisser, posso lhe contar o que sei, mas minhas memorias são minhas. Garanto que quem tinha alguma relação com esse colar esta morto a muito tempo. Ninguem liga se o colar fica ou sai, apenas eu. É uma corrente sem chave. Se realmente quissessem, tinham me chamado a muito tempo para fazer algo mais util do que perder tempo em uma missão sem proposito.

    Suspirou quando ela comentava do nanorobo em sua cabeça

    - Você confiaria se eu lhe pedisse para ingerir um capsula contendo um explosivo que ficaria preso na base do seu cranio ? Não há confiança em uma ameaça de morte. Não posso aceitar isso. Só preciso que use suas habilidades para tirar esse colar. Se não pode fazer isso, então diga.

    Virou ligeiramente a cabeça de lado e olhou de canto, focando nos olhos dela mais uma vez. A iris azul pareciam brilhar por um momento nos ultimos raios de luz do dia

    - Se eu realmente quissesse te matar não estariamos conversando agora Nova. Não teria te guiado por uma rota segura ou te oferecido alimento. Depois de anos, você é a criatura mais interessante que apareceu aqui. Tambem sou interessante para você, não é ? Tudo o que peço é que me ajude. Estarei em debito com você. O dobro.

    A cabeça voltou para baixo, mirando o chão. Esperava a resposta dela depois de considerar tudo aquilo.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Set 24, 2017 5:03 pm