Neo City Uol

O que aconteceu após o golpe militar de 17 anos atrás...


    Praça de St. Sebastian

    Compartilhe
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Sex Jul 08, 2016 6:37 pm

    Enquanto olhava para o alto, seu corpo relaxando com o extase experimentado de maneira tão intensa, e sua mente vagando pela infinitude do espaço em pensamento confusos, sentiu a cabeça dela apoiar em seu peito, fazendo-o voltar a realidade. Tocou em seus cabelos esbranquiçados, dedilhando-os, enquanto se perguntava porque ela estava tão quente. Ela iria desmaiar em febre ou se incendiar, logo agora depois da aventura intima ?

    Mas ao inves de parecer doente, demonstrava ter recuperado o controle de suas facultades. Os nanos voltavam a se mover seguindo as ordens mentais dela, de maneira ordenada como quando tinha encontrado-a pela primeira vez. Enquanto tentava achar resposta para essas perguntas o cheiro dela diminuia compassadamente, e sua temperatura voltava ao normal. Isso indicava que eram efeitos de sua excitação. Logo ela ergueu a cabeça, e encontrou o ja olhando para ela. O cumprimento foi um beijo carinhoso, recebido de bom grado.

    - Ainda é dificil acreditar que tenha sido sua primeira vez. Você sabe de tecnicas...avançadas...por assim dizer.

    Pompoarismo não era uma pratica de mulheres leigas. Zaytsev não sabia que tipo de poderes ocultos Nova ainda possuia, de modo que aquela era a explicação mas plausivel para o que ela tinha feito. Sem falar nos movimentos de seu corpo, em sua atitude sensual e segura, em sua boca articulada. Por ultimo, se ela era virgem, porque não houve a presença do hímen ?

    Para seguir observando-a agora, teve que erguer o troco, apoiando-se nos cotovelos. Deleitava-se com a silhueta feminina de costas, tanto que quase não achava estranho a massa de nanos rodeando-a.

    - Se todas as alianças fossem assim o mundo não teria ficado como esta, heh...

    Ergueu-se com uma dificuldade impar, mas pouco a pouco recobrava suas energias. Frente a frente, ambos podiam admirar mais uma vez seus corpos desnudos, os volumes iluminados pela luz da lua. Quando ela mencionou sobre sua liberdade mental, passou a mão pelo pescoço, lembrando da sensação de ter o colar ali por tanto tempo. Foi então até suas roupas, e vestiu primeiro as luvas e os braceletes. Surgiu mais uma vez o teclado virtual, de onde ele inseriu com velocidade outra serie de comandos

    - Pronto, seus nanos estão livres de perigo para subir. E quanto ao que vou fazer agora, vou cumprir com a minha palavra, como tinhamos combinado

    A turret sobre o porta não parecia mais tão ativa, e a parede de energia  que dividia a sala sumiu de uma hora para outra. O elevador tambem desceu naquele instante. Zay não sabia se o que chegava teria a forma de um ser, como Doppel, mas de qualquer maneira o elevador seria uma entrada segura para eles. Apontou por fim para um ponto alem das janelas, continuando sua explicação

    - Esses gritos vem da igreja de St. Sebastian. Eles pegaram alguma coisa para torturar e arrastaram para lá. Já provou o sabor de vampiros ?

    Os nanos batedores confirmariam o que ele dizia. Seguindo o som todo aquele tempo, estavam proximos a igreja, e os gritos inumados certamente partiam de la de dentro, assim como algumas outras vozes muito mais normais e descontraidas.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Qua Jul 13, 2016 12:48 pm

    Nova Sorria gentilmente para ele enquanto ria de sua dúvida sobre ela ser uma experiente amante, ou uma leiga que dera sorte nas escolhas dos movimentos. A duvida já havia sido esclarecida, bataria ele decidir se ela estava mentindo, ou não. Ela sorria sobre a idéia das alianças se formarem através do laço sexual, onde ambos compartilhariam seus desejos, e seus medos e anseios em um momento extremamente íntimo.

    _ Alianças serem formadas assim não parecem uma má idéia....

    Soltava aquela frase no ar, notando a aproximação daquele homem que mal conhecia. Não havia como confiar em alguém que acabara de conhecer certo?...Não era sábio e nem racional certo?...Então por que ela confiava um pouco nele...Nova não entendia sua mente naquele momento. Só por que fizeram sexo, ela confiava um pouco nele...isso era ridículo. Porém alí estava ele...garantindo que seu entregador chegasse em segurança, e mais ainda, informando que manteria sua promessa.

    _O..Obrigada...

    Dizia olhando para ele ainda nua, ela respirava fundo e fazia um movimento com a mão. Dentro do elevador algo entrava nele, pequeno como uma esfera negra. Um pouco menor que uma bola de boliche. Ela respirava fundo e notava a mesma aproximando-se de onde estavam. Nova sorri gentil para aquela esfera, um sorriso de fato carinhoso. Sua feições e jeitos pareciam dizer que ela realmente se importava com eles. A esfera seguia calmamente flutuando até sua mão e ela sorria virando-se em direção a janela.

    _ QUe bom que chegou em segurança....e obrigada por seu trabalho. Ele pareceu calmo quando morreu....acho que fui muito bondosa com ele...bom...pelo menos pude ter um lanchinho.

    Conversava calmamente com a esfera que se abria mostrando um coração... levemente pulsante. Nova observava o mesmo com calma... para ela aquilo não era nada mais do que um prato de comida. Aos poucos Nova tocava em alguns pontos da esfera negra e o coração lentamente parava de bater. Seus olhos ainda observando o coração voltava-se por cima dos ombros em direção a Zaytsev. Olhos levemente prateados olhavam-no intensamente e um leve sorriso formava-se no canto de seus lábios.

    _ Hum...nunca provei vampiros... Devem ter gosto de salada de frutas...uma vez que bebem sangue de outros seres....devem ter uma explosão de sabores...isso me agrada...

    Sorria gentilmente enquanto seus lábios tocavam delicado o coração vermelho. Seus lábios eram manchados suavemente pelo rubro do sangue alí presente. Mais uma vez, ela tinha aquele batom em seus lábios.

    Pouco a pouco o coração parecia se transformar em um pó, uma névoa negra que ia em direção aos lábios e ao corpo de Nova. Uma pequena névoa negra se formava, a medida que o próprio coração era desintegrado e sumia de sua forma física. As bochechas de Nova se contraíam um pouco em uma careta  enquanto ela tampava os lábios suavemente respirando com calma.

    _...blergh....que gosto horrível...um gosto de  huh...horrível...definitivamente preciso provar algo melhor...

    Nova sorria andando em direção a Zaytsev dando-lhe um beijo surpresa na bochecha. Logo atras dela vinham a nevoa e onda de nano robos como uma cauda serpentiforme. Nova colocava sua calcinha e seus sutians, seu short e sua blusa transparente.

    _ Penas que você não está disponível...talvez a igreja se torne um pequeno banquete....
    Vamos nos divertir...Zay, como me prometera antes. Preciso de mais 3 refeições...pois uma eu já tive...


    Nova sorria levemente atrevida piscando para o mesmo enquanto os nano robos cobriam seu corpo formando sua armadura negra. Cada pedaço de seu corpo era coberto, seios, coxas, toda e qualquer área, não deixando nenhuma brecha incluindo sua cabeça. Deixava apenas seu rosto para fora enquanto ainda observava Zaytsev. Os nano robos confirmavam os gritos, de ambas as raças. E se escondiam aguardando ordens. Seus defesas de camuflagem haviam sido ativadas, e suas pequenas agulhas paralisantes também. Ficariam aguardando a ordem de sua "aliada". Nova então percebia por que confiava em Zaytsev. Pois ele não poderia ferir ela...ele tinha nano robos em seu corpo...e com um comando ele morreria ou seria aleijado devido a posição em que eles estavam.

    _ Vamos ver quantos pratos teremos para esta noite...

    Disse divertida enquanto seguia em direção a  janela sorrindo. O comando aos nano robos era dados. um scaner do local, e a quantificação de inimigos. Identificação de armas e defesas. Coletar dados era importante para sua segurança...e caso fosse necessário Kinetic assumiria. O rosto ficava olhando para fora, sem se voltar para Zaytsev enquanto perguntava.


    _ Mas Zay...assim que a promessa terminar...você vai me... ah..haha. deixa pra lá...vamos?


    Não completaria sua frase....não se permitiria completar. Nova passava por Zaytsev esperando-o na porta do elevador. Sua face era pensativa. Não havia exatamente um sorriso, porém estava pensativa no por que não queria que ele a deixasse. Por que estava querendo que aquele humano a seguisse, e ficasse ao seu lado?
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Sex Jul 15, 2016 7:10 pm

    Os olhos do homem ergueram-se do teclado para se encontrarem com os de Nova, portando um sorriso malicioso ao ouvir o que ela tinha dito. Não fazia muito tempo que ela tinha chegado ali desconfiada, temendo armadilhas por todos os lados. Agora ela estava despia a sua frente, nua e vulneravel. Assim como ele. Ele tinha que confiar nela para se libertar de suas algemas, e dali para algo mais intimo foi apenas um passo. Realmente devia para ela um grande favor, provavelmente ficaria com aquilo para sempre se ela não tivesse aparecido. So desviou quando o elevador chegou, carregando a "encomenda". Nova parecia particulamente feliz ao ver aquela esfera de nanorobos. O que será que carregavam ? A garota conversava com a esfera como se fosse inteligente, não como uma massa tecnologica ao seu comando. Pelo menos a entidade chamada Doppel tinha um formato humanoide e uma personalidade visivel. Aquela bola tinha ideias proprias ?

    Quando o pacote se revelou, Zaytsev olhou atentamente. Era um coração, que ainda batia. Os nanos estavam mantendo o orgão vivo, por algum motivo. Desviou o olhar para ela quando esta o respondeu.

    - Salada...quem sabe um churrasco, talvez. Varios tipos de sangue irrigando um corpo morto. Mas não estou muito curioso para provar um defunto sobrenatural, ficará a seu encargo essa descoberta.

    Provar uma criatura morta não era exatamente um problema, afinal, animais precisavam serem mortos para serem consumidos. O que o incomodava era que vampiros não eram mortos recentes, deveriam estar podres por dentro. Seu estomago podia ser forte, mas carne podre era demais. Para a garota era mais facil. O coração havia se desintegrado em suas mãos, e ela se alimentara dele assim. Ela não precisava realmente mastigar as fibras de seu alimento, nem suas bacterias e doenças.

    Um beijo veio de repente, expontaneo, molhado. Zay tocou meio supreso a bochecha, e percebeu que estava manchada de sangue. Por isso molhado. Mas não se incomodou. Os labios de Nova estavam impressos no seu rosto enquanto ele tambem vestia-se. Calças e blusa era acompanhados pelos pedaços de armadura, como uma unica coisa. Minunciosamente, encaixava as partes nos lugares certos e umas nas outras. O processo era mais demorado que o de sua companheira, obviamente.

    - Lá dentro tem pelo menos quatro individuos. Mais do que você precisa, uh ? Sera um verdadeiro banquete.

    Os nanos espiões que estavam nos arredores da igreja podiam verificar com relativa facilidade o terreno hostil. Relativamente intocada na parte externa, o interior da igreja estava uma bagunça. Pelo menos metade dos bancos de madeira ainda estavam quase no mesmo lugar, mas o resto estava virado ou despedaçado, fragmentos espalhados por todo lugar. Formava quase um "U" ao redor do altar central, onde estava ausente a estatua representante do santo, ou de jesus. Para compensar outra coisa estava "cruxificada", e viva. Um lobisomem em sua forma completa, fraco e lutando para se libertar, sem nenhum sucesso. Seus braços estavam amarrado a duas pilastras por uma corrente muito grossa, forte o bastante para que nem mesmo o garou conseguisse partir. Principalmente em seu estado atual. Quase todo o seu pelo estava coberto de sangue, assim como uma poça avermelhada no lugar o qual estava ajoelhado.

    Proximos a ele estava um grupo de aparentes baderneiros, seis no total. Vestiam-se com roupas pesadas, jaquetas e botas, mas não parecia pertencer a eles. Todas as jaquetas eram diferentes, umas de couro e outras de nylon, todas gastas em diferentes niveis. Suas camisetas possuiam respingos de sangue seco na altura da gola. Entre eles, um destacava-se claramente. Suas roupas gastas dava-lhe um ar de nobreza esquecida. O blazer cinza estava preso apenas por um botão, e por isso podia-se ver o colete roxo em seu tronco. Um lenço vermelho pendia do bolso do peito, suas calças negras e puidas terminavam com um sapato de couro, de bico quadrado. Sua palidez era evidente. Carregava uma faca afiada em sua mão, manchava com um liquido rubro. Cada um dos outros carregavam mais armas: facão, taco de beisebol, um machado de bombeiro, uma lança improvisada e um cano de ferro. Cada um tinha uma pistola na cintura, sendo que o de jaqueta roxa tinha uma escopeta amarrada no tronco e o de cabelos negros e encebados tinha uma MAC-10.

    Zaytsev ainda olhava pela janela quando ela passou, e se supreendeu quando ela o chamou.

    - Uh ? Quer que eu lhe acompanhe ? Eu poderia dar suporte daq...que se dane.

    Foi novamente até a lona e pegou duas granadas cilindricas, com uma faixa vermelha, e prendeu na cintura. Enquanto voltava, pós seu capacete sinistro na cabeça, travando-o e selando-o ali. A armadura estava completa e isolada novamente. Entrou no elevador enquanto comentava

    - Pelo menos verei a cara deles quando me virem. Eles são uma pedra no sapato a um bom tempo.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Ter Jul 26, 2016 6:40 pm

    Nova sorria de leve com cada resposta dada por aquele ser humano... Havia criado um pequeno vínculo com ele...ele de fato a divertia. E seria uma pena se ele morresse. Os nanos traziam a informação necessária. O mapa do local, bem como a quantidade de inimigos. 6...sendo um deles o possível líder. Não seria nada fácil...porém...a possibilidade de provar o sabor deles deixava nova Extasiada.

    _ São seis indivíduos....além do licantropo que está preso e aparentemente bem ferido...Bom no final ele vai morrer....então talvez eu possa usar ele como uma distração....hum...me pergunto o quão ferido ele está... se eu pudesse curá-lo um pouco...ele seria de melhor utilidade....mas os demais vão me notar....

    Seu mente começava a pensar várias fórmulas, a medida que a ordem de "procriação" era dada para os nano robos. Demorariam um pouco até chegar na igreja, e quanto mais nano robos melhor. Qualquer parte metálica serviria de componente, os novos nano robos seriam apenas para auxílio, não teriam armas ou ataques, mas serviriam para infiltração, enquanto os demais serviriam de ataque. Enquanto isso, junto de Zaytsev Nova fazia um sinal circular com o dedo enquanto pensava. Era possível ver que sua armadura parecia se mexer com cada volta dada pelo dedo....

    _ Suas balas....são precisas.....preciso delas....irei cobrí-las com meus nanos desta forma a cada bala acertada, serão nanos que penetraram o corpo deles e poderão se alojar em seu cerebro ou coração. Nunca tive a chance de estudar a biologia de um vampiro...não se se poderei causar algum dano...mas é melhor que nada....

    Andava de um lado para o outro ajeitando de leve seu óculos. Ela sorria volta e meia enquanto olhava ao seu redor.

    _ Preciso de armas também se puder me disponibilizar...digamos que eu só tenho uma que eu criei hehe....oh...e granadas são uma ótima idéia...e na pior das hipóteses eu chamo Kinetic....aff...sim Kinetic eu vou pedir sua ajuda...só se eu precisar!


    Levava a mão na "cabeça" em um possível comunicador enquanto arecia levemente aborrecida com a conversa.

    _ Eu não preciso de sua ajuda...mas...seria bom...lembre-se que o controle deles é dificil e que você não tem muita pratica....não não estou te chamando de incompetente...estou te chamando de inexperiente...Sim destruir as amarrar do lobsomem com os nanos e deixar que ele cause um estrago maior...

    Corrria de leve até Zaytsev e sorria perguntando.

    _ Ok....me dê suas idéias....pensei em liberar o lobsomem para que ele cause além de uma distração um pouco de estrago. Obviamente aglguns nano robos serão inseridos no corpo dele para que ele não sinta tanta dor e possa cooperar. Os demais nano robos irei em viar até as armas dos 6 indivíduos e alguns para as roupas enquanto a distração ocorre com o objetivo de estragar suas armas para darnos uma maior chance....e Então entramos eu e você atirando para matar...não posso arriscar su...minha vida tente só não matar o lobsomen...quero ele vivo... o que acha?...se..tiver um plano melhor eu sou toda ouvidos...eu...não caço grande grupos...e minhas tecnicas de batalha podem estar meio ultrapassadas.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Dom Jul 31, 2016 1:25 pm

    Não havia pressa na caminhada até a igreja. Nada de urgente existia lá, Nova estava alimentada e Zaytsev preparado. Ainda por cima tinham a vantagem do elemento surpresa, do conhecimento do terreno e da disposição dos inimigos, que não estava particulamente interessados em vigiar o refugio.

    - Seis, e a coisa que grita é um lobisomem. É um feito impressionante, terei capturado uma criatura tão perigosa, devem estar orgulhosos, cheios de si, se achando invenciveis. Será uma vantagem para nós.

    Zaytsev perceberia o movimento sutil da nuvem de nanos, e a deteriorização de metais ao redor, mas imaginava que faziam isso para recuperar energia. Veiculos abandonados, depenados até restar ate a carcaça vazia, seria uma fonte de recurso junto a vigas enferrujadas e latas de refrigerante amassados.

    - Não acho que vão sobreviver a um disparo direto de meu rifle, você viu a potencia dele na pele. Talvez o chefe deles consiga, é improvavel, mas é o mais perigoso ali. Então, so vai ser preciso uma bala para isso. Concentre o que planeja nela

    Tirou o rifle das costas, puxando a alavanca de recarga. A bala que estava na agulha saltou e o homem a capturou no ar, entregando-a para Nova logo a seguir. A munição era completamente diferente de uma outra qualquer vista em outro lugar. Era metalica, repleta de ranhuras que formavam desenhos longelineos que iam da ponta a base, grande o bastante para servir como uma adaga e mais pesada tambem.

    - Você quer uma arma ? Mas você estava atirando em mim com duas delas, você as perdeu ?

    Retirou de um coldre de suas costas uma pistola, a famosa desert eagle. Ela havia sido lixada e pintada de cinza e verde para que seu classico tom platinado não chamasse a atenção de inimigos. Não parecia haver nenhuma modificação alem daquela. Não que precisasse, uma pistola daquelas naturalmente ja eram perigosas o bastante. Mostrava para ela a arma, se realmente precisasse, e espiava de lado enquanto ela conversava com sua outra personalidade. Contanto que fosse confiavel, não tinha problema para ele. Seria a tal Kinect confiavel ? Pelo menos a pequena corrida dela era comica e seu sorriso posterior cativante. Ate mesmo quando revelou se preocupar com ele, mas se corrigiu logo a seguir. Refletiu um pouco sobre o plano dela, e então falou

    - Libertar o lobisomem é uma boa ideia, mas é bom não ficar perto dele quando isso acontecer. Precisa de uma boa quantidade de nanorobos para estragar uma arma, não ? Talvez eles percebam isso. Ou talvez não. Ve aquela janela ?


    Apontou para umas das altas e estreitas janelas de vitral que estavam na altura de um primeiro andar.

    - Ficarei posicionado ali, onde tenho vantagem. Com eles distraidos, duvido que consigam evitar meu primeiro tiro. Eu posso atirar nas amarras do lobo, ou atirar em um deles. Você decide, ja que você vai ficar mais exposta. Pode se comunicar naquela frequencia. A igreja tem duas saidas secundarias nas laterias e uma porta no fundo para o alojamento do padre. E leve isso

    Entregou a ela uma das granadas com uma faixa vermelha ao redor.

    - Granada incenciaria. Se eles tentarem sair, eu bloqueio a passagem com a que estou levando.

    Supunha que ela conhecia o medo dos vampiros ao fogo. Se fosse bem usada, aquela granada poderia ser uma vantagem definitiva contra os inimigos.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Qui Ago 04, 2016 9:25 am

    _ Oh...sim...um feito impressionante...tendo demandado 6 para capturar 1...diria que foi uma luta no mínimo injusta para o lobsomen...então por hora estou no lado dele...afinal...


    Os lábios sorriam ao mesmo tempo que levemente eram mordidos no canto de sua boca rindo dele. Suas bochechas de coravam levemente com a excitação do momento e seus olhos brilhavam em um brilho prateado fantasmagorico e digno de um predador.

    _ Nunca provei....licantropos antes...e nem vampiros....devem ter um gosto único....

    Nova Notava a confiança de Zaytsev em suas habilidades, e agora ele não caçava por obrigação, mas por diversão. Nova sorria gentilmente enquanto tocava na cabeça onde sentira a primeira bala e arrepiava-se sorrindo. Um misto de Excitação e uma leve pontada de medo correndo em direção a ele e dando um leve soquinho no ombro.

    _ Foi a primeira vez em muito tempo que eu senti que poderia morrer...foi de fato excitante... Oh...não exatamente perdi as armas...mas entende elas são feitas de Nano robôs...eu as criei na hora da batalha...logo se torna dificil criar coisas caso eu esteja muito ocupada ou focada em algo...._

    Pegava a arma analisando-a com cuidado e pegando a bala mostrada por Zaytsev. Pouco a pouco a núvem de nanos começavam a "comer" os metais permitidos alí presentes...aumentando-se. Uma pequena parte dessa núvem seguia até a bala de Zaytsev embebendo-a como em um líquido negro, porém apenas alguns no máximo uns 50. fazia  o mesmo com sua pistola de modo que o acrescimo dos nanos não prejudicassem o balanço da bala.

    _ Verifique o peso e o formato e me diga se ela está ok em atirar. Apenas quero que ao acertá-los eles estejam com nano robos dentro de si...por assim poderei brncar um pouco com eles huhuhu....my my litle puppets.

    Sorria parecendo de fato feliz com aquela situação. Não só ganharia um lanche como uma boa diversão para o momento de tédio e de pessoas certinhas que os antigos MH eram. Intediante de fato...porém ainda tinha que levar presentes para se desculpar por quase tê-los comido.

    _ Atire nos vampiros, pois o lobsomen eu irei libertar. Darei a ele um pouco de conforto para que lute melhor.....afinal de contas essa é uma das minhas especialidades. Ele está muito ferido e sentindo dor. Vamos seguindo...preciso enviar o comando para os nanos apenas se infiltrarem um pouco nas armas... não irei quebrá-las isso seria muito complexo...mas elas são feitas de metal...posso consumir um pouco delas. No caso ,ais específico, consumir o mecanismo interno para que quando atirarem algo dê errado...como uma bala que mascou...acontece sempre. Já o lobsomen eu irei estancar os ferimentos e dar a ele um pouco de anestésico para a dor e um boost de animação.

    Sorria seguindo em direção ao elevador aguardando por ele enquanto olhava bem para o seus arredores sorrindo por ter feito um "aliado" em uma situação bem louca. Estava apreensiva, mas isso não diminuia sua animação...de fato aumentava. Os vampiros veriam algo novo, de fato algo que nunca viram antes. Qual seria a reação deles ao tentar enxergá-la.

    _ Já pegou tudo? Já comer algo? Não quero você desmaiando no meio da batalha...e aquela sua gosma alí....você come ela né. Vamos achar algo mais saboroso para você comer...algo como carne de verdade e chocolate ^^ E alcool obviamente...Acho que vai se dar bem com a Kinetic...ela é a que bebe. ok falar nesta frequência...Espero não morrer lá huhu...seria uma pena.

    O comando era dado aos nanorobos. Pouco a pouco eles migrariam para as armas em pequeninas quantidades, e começariam consumir seu mecanismo interno pouco a pouco, de uma forma sutil que não danificasse tanto as armas. Já um outro grupo de nanos seguiam em direção ao lobsomem. E fariam o que fosse necessário quando Nova e Zaytsev estivessem posicionados. uma parte começaria a estancar os ferimentos que sangravam, ao mesmo tempo que dariam um bom anestésico para o lobsomen e um boost de adrenalisa. O terceiro grupo se encarregaria das amarras, que se fossem de metal melhor ainda pois lhe dariam materia prima, e se fossem de pano, seriam mais fáceis de serem arrancadas. A ordens estavam dadas, só era necessário aguardar o posicionamento.

    MÚSICA
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Sab Ago 13, 2016 8:39 pm

    Zaytsev era muito atento ao seus arredores e aos detalhes, traços necessarios para um sobrevivente naquelas condições. E por isso ele notava o leve rubor dela com a expectativa de alimentar-se de novas criaturas. Deveria ser um momento de prazer para ela, e de curiosidade. Alem disso, provavelmente nenhum alimento faria mal a ela, ja que não mastigava ou engolia suas refeições. Alem disso, o local onde tocava na cabeça era exatamente onde tira atirado nela. Teria sido uma pena se a bala tivesse cumprido seu objetivo. Mas Nova parecia bastante animada com a lembrança por algum motivo, lhe dando ate um soco cordial no ombro

    - Deixarei essas iguarias em suas mãos capazes. Voce é mesmo uma caçadora de emoções, gosta de lembrar do momento de adrenalina. Então seja qual for o resultado desse embate, vai gostar do momento.

    Ouvi-a explicar sobre a concentração e armas, e pegar a sua pistola. Nunca achou que ela precisaria de armas tão "retrogadas", comparadas a nanos, mas conectou imediatamente a tudo que ela precisaria fazer dentro da igreja sem que percebessem. Isso exigiria uma bela concentração. Ao pegar a peculiar munição de volta, olhou ao redor e balançou em sua palma

    - Uma pequena variação no peso não vai fazer diferença a essa distancia. O mais importante é manter as ranhuras na superficie intactas. Para a munição da Desert Eagle sua ideia pode funcionar melhor, eles podem sobreviver dependendo da região do tiro, e ai estarão "contaminados". Quando receberem um tiro do meu rifle, provavelmente não vai sobrar muita coisa para contar a historia

    Após uma ultima olhada pos a munição na sniper e puxou a alavanca, carregando-a na agulha.

    - Vampiros, afirmativo. Quando tiver visão deles, escolha o primeiro alvo e me passe pelo comunicador. Ele não vai saber de onde veio o tiro. Depois disso irao ficar atentos em mim, e ai que você pode aproveitar. Mmmm, carne de verdade seria uma boa pedida. Ainda estou bem alimentado, não vou desmaiar tão facil. Ja estive em condições piores, e fugindo.


    O tempo da conversa foi o bastante para chegar nas proximidades da igreja. Zaytsev aproximou-se furtivamente pela lateral e aproveitou mais um grito para camuflar o disparo do arpão de escapada de seu bracelete. Fincado quase no telhado, começou a puxar seu usuario até o nivel da janela que tinha apontado antes. Enquanto isso os nanos invadiram o local. Enquanto moviam-se separados e devagar, era muito dificil percebe-los. Mas precisavam fazer varias coisas ao mesmo tempo. Uma parte seguia para as armas dos inimigos, consumindo molecula por molecula do materias das peças internas, o outro fazia o mesmo nas correntes de grosso metal que prendiam o lobisomem, e uma terceira ainda por cima iam se infiltrar no garou. Três coisas ao mesmo tempo exigia uma alta concentração, o que poderia fazer com que todas fizem seu trabalho em um tempo muito mais longo.

    O lobisomem foi o que aparentemente percebeu a movimentação microscopica. Seu braço direito estava severamente ferido, com partes do osso visiveis entre os pedaços de carne arrancada. Sua regeneração parecia ter chegado ao limite, e aquele era um momento que o lider dava um tempo para ve-lo sofrer. Mesmo em agonia, o lobo farejou o ar, e virou lentamente a cabeça para um lado. Estava incomodado com algo mais além da tortura que sofria, mas não sabia o que era. Quando os nanos começaram a cuidar das feridas, o processo não foi tão efetivo. O proprio organismo da criatura parecia reagir ao tratamento como se fossem um veneno, reduzindo pela metade a eficacia deles.

    Mesmo assim, os baderneiros perceberam que o lobisomem parecia mais calmo. O lider socou o focinho do prisioneiro, contrariado, debochando de sua situação

    - O que é cadelinha ? Não foi o bastante para você uh ? Quer mais, quer ?

    O lobisomem avançou com as presas arreganhadas na direção do atacante, mas as correntes o seguraram no lugar sem que pudesse se mover mais que meio metro. Sua recompensa foi uma facada que abriu um corte profundo em seu nariz

    - Fica no seu lugar cadela ! Senta ! Senta !

    Os outros gritavam e levantavam as armas diante da humilhação. Ainda demoraria um pouco mais antes que os 3 atos de Nova tivessem algum efeito util. Por isso foi preocupante quando o careca com um bigode curto que descia ate o queixo se afastou do grupo, caminhando na direção do portão da igreja segurando seu facão em uma mão e apoiando a outra no cabo da pistola na cintura. Não tinha pressa, mas não dava para saber se ele tinha percebido algo ou não.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Ter Ago 23, 2016 4:33 pm

    Sorria de leve para ele enquanto se concentrava em cada coisa que tentava fazer. De fato era muitas ordens para uma única mente aguentar. Nova era de fato excepcional, porém ela notara que alguma coisa teria de ser parada para acelerar o processo das demais. Nova suspirava enquanto mudava os padrões de suas ordens.


    _ Esse garou.....Zay mudanças de planos, parece que um vampiro está se direcionando para o lado de fora tentarei me esconder, caso ela perceba minha presença o elimine.... Este garou está dificultanto meu trabalho.


    Nova notara a aproximação atraves dos nanorobos. Muitas ações, sua cabeça começava a latejar de leve porém ela sorria.

    _Prioridade conseguir recuperar o Garou.. Nanos das armas apenas fiquem em stand-by o pequeno dano que fizeram já nos darão uma vantagem. Nanos das correntes migrem para os ferimentos .....eu precisarei me retirar um pouco... Zaytsev você conhecerá Kinetic...ela é diferente de mim, mas se darão bem...não se preocupe eu estarei perto, muito perto.


    Nova respirava fundo parecendo cansada pelas ordens e esforço que fez...ela queria estar alí, porém seu corpo seria muito drenado...e naquele momento Kinetic era o melhor soldado para aquela situação. A Mudança era feita gradativamente, não podendo de fato ser percebida, apenas pelo tom de voz que mudara....Olhou ao redor da igreja e pela localização do garou tentou se direcionar para este local.

    A igreja estava aos pedaços, e ela iria aproveitar isso para se infiltrar. Seu corpo pulava em silencio e flutuava até uma das aberturas ficando alí parado. Tao logo achava um local seguro para se posicionar...seu corpo pouco a pouco começava a ficar transparente mimetizando as cores e formatos do local.


    _ Yoho...Zay! Muito prazer sou Kinetic...Espero nos darmos muito bem... Fico extremamente feliz que Nova tenha feito um aliado "Humano" ohoho...mas vamos brincar um pouco aqui e nos concentrar não é mesmo?...Elimine o vampiro do lado de fora e eu irei liberar o garou....quando atirar e o eliminar vamos começar nossa festa.


    O corpo de Kinetic se movia com cuidado pelo local e ficava proxima ao garou, porém no alto enquanto observava com cuidado o local. Kinetic estava mimetizada com o ambiente, seu cheiro, aroma eram dificeis, de serem detectados, não impossíveis, mas dificeis. Quando Zaytsev atirasse ela agiria.  Seu mimetismo seria quebrado, porém no lugar dele uma barreira telecinetica iria envolver o garou e kinetic e outra em Zaytsev ( dividindo-se em dois pontos como um cilindro.). Falava com Zaytsev pelo comunicador.


    _ Você está com uma barreira de proteção, mas não seja descuidado ela não irá atrabalhar sua visão e nem mesmo suas balas. Apenas impedira que algo te acerte.

    Sorria de lado e falava com o Lobsomen alí preso.

    _ Yo...você é dificil de curar hein...estou aqui para te libertar, então não mate o mensageiro ok?....claro que isso terá um preço, mas discutiremos isso depois...eu não conseguirei matar todos eles sozinha precisarei de sua ajuda...e aí topa?


    Caso a resposta fosse afirmativa kinetic Cortaria as correntes com uma lâmina Telecinética e libertaria o garou. Caso negativa ela iria apenas deixá-lo assim e partir pro ataque.

    MÚSICA DE BATALHA
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Qua Ago 31, 2016 6:39 pm

    - Afirmativo, alvo definido. Travando no alvo.

    Respondeu Zaytsev ao receber a mensagem pela frequencia combinada. Em seu recanto escuro das alturas, fez o rifle deslizar cuidadosamente pela brecha na vidraça colorida, ajustando a mira no inimigo que começara a fazer uma ronda.

    - Kinect ?


    Não havia disparado ainda, mas prestava bastante atenção nas atitudes do alvo. A pergunta veio quase tão rapido quanto a resposta. Logo lembrou que esse era o nome da "aliada" de Nova. Não sabia dizer ao certo se era um outra pessoa, uma outra personalidade ou algo totalmente diferente. Em poucos instantes chegaria a conclusão de que era um caso de multiplas personalidades. A voz era diferente, e ela se movia de uma maneira diferente tambem. E ela podia ficar invisivel ! Por que não tinha feito isso antes ? Será que apenas Kinect tinha aquela habilidade ?

    - Kinect, bem vinda ao campo de batalha. Tambem me alegra saber que tenho duas aliadas pelo "preço de uma", por assim dizer. Se você sabe tudo o que foi planejado com Nova, execute seu movimento. Eliminando alvo 01

    O homem alto e careca caminhava na direção da entrada, desviando desleixado de pedaços de madeira, concreto e vidro que acumulavam-se no chão. Suas botas de couro ecoavam seus passos por dentro da enorme camara interior da igreja, praticamente anunciando a todos constantemente que tinha alguem andando no meio daquela bagunça toda. As veias do braço direito, aquele que agarrava o facão, eram naturalmente saltadas, dando-lhe o aspecto de alguem forte e preparado. Exibia seu bigode com imponencia, provavelmente julgando como um simbolo de masculinidade indubtavel.

    PFVVVVVVM !


    Um oculos escuro fez piruetas no ar, sem um rosto para apoiar. Uma massa avermelhada, viscosa, pontilhada de pedaços brancos e fragmentos espalhou-se pelo chão da igreja como um balão de agua estourado. A bota de couro ainda deu um passo, de maneira inexplicavel, e então o corpo caiu sem uma cabeça por sobre os ombros.

    Aquele barulho definitivamente não era de nenhuma arma que ja se tinha ouvido, soando muito estranho aos ouvidos. Alem daquilo, o som era baixo demais para seu calibre, mas o bastante para alertar uma sala fechada como aquela. Os quatro baderneiros cobriram as cabeças e apertaram os olhos com o susto, e agora olhavam na direção do som, embora não pudessem ver claramente o que estava ali.

    Purple punk: - Que diabo foi isso ?

    Red Leader: - Na janela seus imbecis, tem alguem atirando ali !

    Mal sabiam que alguem tinha a cabeça estourada, tudo o que fizeram foi puxar suas armas e disparar naquela direção

    Naquele meio tempo, Kinect havia usado sua camuflagem para se infiltrar praticamente imperceptivel. Quando Zaytsev disparou, nem era preciso muita coisa para conseguir passar entre eles sem ser percebida, todos estavam atentos em outro lugar. Inclusive o lobisomem, que ergueu a cabeça para a janela, mas logo a seguir notou uma presença proxima. Rosnando, tentou se virar para Kinect com os dentes arreganhados, mas sem sucesso devido ao modo como estava preso. Não seria dificil para Kinect perceber que o garou estava mantendo sua furia a todo custo devido ao seu estado debilitado. Se desmaiasse, poderia voltar a forma humana, o que tornaria um alvo facil. Era por isso que mal conseguia raciocinar as palavras dela, considerando-a um novo vampiro para atormenta-lo. Os nanos faziam um grande esforço para cura-lo, mas o proprio corpo do garou lutava para expulsar os nanos, tornando o processo muito dificil. A enorme ferida no braço direito continuava aberta, com a carne e o osso vivos escancarados ao ar livre, e o corte no nariz pintava  seu focinho de vermelho.

    O lider percebeu rapido que algo estava errado ao seu lado. A faca esguia girou em sua mão, e com a lamina na direção oposta do polegar agarrou o cabo e desferiu um golpe brutal contra o lobisomem. A pancada contra o escudo de Kinect era muito forte, aquele vampiro tinha usado de força sobrenatural naquele movimento. Viu então a mulher ali, intrusa em sua comemoração

    Red Leader: - O que temos aqui, é uma outra lobinha é ? Veio completar a minha coleção do canil ?


    O escudo de Zay estava sendo atingindo por uma rajada de balas. As duas pistolas dos baderneiros travaram, e eles apressados tentavam faze-las voltar a funcionar. Sobravam a MAC e a escopeta, as duas mais perigosas, que faziam chover chumbo no sniper.

    Zay: - Tem certeza que o escudo aguenta ? - Disse escondendo-se na parede ao lado da janela
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Ter Set 06, 2016 3:05 pm

    Kinetic observava cada ação como se fosse em câmera lenta. A inexistência da cabeça era notada por todos criando a perfeita distração para a jovem. A comunicação com aquele Lobo era inútil, bem como a nanotecnologia que tentava curá-lo. Não estava funcionando...e o pior. Quem estava no comando era Kinetic e não Nova. A ordem fora especificamente dada por nova...não teria como sobrepô-la. Kinetic mordeu o lábio de leve ao sentir a Pancada na barreira. Uma força de fato monstruosa...aquilo estava ficando perigoso.

    Kinetic observava as armas de pesado calibre sendo utilizadas em direção a Zaytsev. Seu raciocínio estava a mil por hora naquele momento. Quando escutara a pergunta do vampiro em direção a ela. Tolo era ele achando que ela era apenas um Lobsomen...Talvez o plano falhasse...talvez ela morresse alí mesmo. Mas caso o plano fosse bem sucedido ele iria compreender que Kinetic era seu pior pesadelo.

    ""_ Ohohoho...ahn...segura as pontas por hora...vou tentar te ajudar aí...quando a distração ocorrer atire para matar nestes que estão lhe acertando....Ahh As vezes eu tenho inveja da Nova e esse controle nano robótico absurdo dela....""

    Olhava o Lider e sorria de lado ainda na parte mais alta do local. Kinetic Deferia golpes certeiros na corrente com suas lâminas telecinéticas. A força era algo em torno dos 100kg. Os cortes era dados nas correntes, devido sua precisão poder falhar devido as várias ações que sua mente tentava controlar. O mais seguro era quebrar as correntes e não a parte metálica que prendia o pulso do Garou.

    _ Hummm Lobinha...este nome é novo e incorreto. Eu sou uma slutadora da justiça e do Amor! Ohohohoh mas eu lhe pergunto vampiro...who let the wolf out?....

    O objetivo era quebrar a corrente libertando o lobo... e seu alvo primário estava bem a sua frente...Se tude desse mais ou menos certo as seguintes ações seriam tomadas:

    1- Com o lobo liberto, a proteção telecinetica se tornava agora uma prisão, invertendo os "polos" e  migrando para envolver os vampiros com o armamento mais pesado seguidas juntamente de 2 granadas incendiárias dentro do cilindro que os aprisionaria.

    _ Zaytsev agora!

    2- Saltava para o lado, circulando a igreja se direcionando para atacar flutuando envolta em um escudo...porém este escudo não fora ativado, bem como sua flutuação fora cancelada. Kinetic sentira uma forte pontada no corpo como se sua energia estivesse sendo sugada. Seus olhos procuravam o culpado deste feito...mas não conseguia encontrar a fonte. Ela  caia em direção ao chão e segurava-se em uma das pilastras.

    _ Mas...que merda é...essa...

    Do outro canto da sala uma massa de nano robos começava a ser recolhida, inclusive uma parte vinda do próprio lobsomem o qual Kinetic não conseguira fazer parar de curá-lo. Alguém conseguira tomar controle daqueles nanorobos. Kinetic não entendia o que estava acontecendo e isso lhe preocupava. Quem estava controlando seus nano robos? Quem seria capaz disso? Junto ao comunicador de ambos uma voz que Kinetic reconhecera no subconsciente e Zaytsev reconheceria na hora. Doppel parecia ter se criado sem a "autorização" de sua "aliada" e ficava escondida em um canto da sala.


    _ Yohooo hahaha Eu Voltei. Oi Zay zay como está?...tá chovendo aí em cima? Hihihi Nossa que festa é essa e eu não fui convidada?....oh...não se preocupem eu vou ajudar vocês a comemorarem ela...hihihi Oh...você é nova...pera hahaha não você NÃO é Nova..você é Kinetic não é? Muito prazer sou Doppel...Uhuuu festa festa festa!!!!


    Doppel tomava controle de uma parte dos nano robos que estavam agindo apenas como câmeras ao redor e partia para cima dos 2 vampiros o qual as armas estavam travadas. As cameras foram ordenadas para começarem a atirar pequenos dardos tranquilizantes nestes dois alvos apenas.

    _Arf...arf...wow...isso foi uma quantidade enorme de energia...great...so consigo manter 2 escudos agora e não consigo flutuar...
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Qui Set 15, 2016 8:02 pm

    - Entendido Kinect, aguardando a distração. Em urgencia, dê um sinal que eu providenciarei uma distração secundaria para sua fuga da area de combate.

    Disse em seu habitual tom militar que usara desde o começo do combate, olhando de relance para a janela, ainda receoso que o escudo falhasse a qualquer momento. Devido a ele, a janela de vidro ainda continuava intacta, e a unica forma de Zaytsev olhar para dentro era atraves da fresta no qual tinha efetuado o primeiro disparo. Não deixou de perceber a reclamação dela, que dava a noção para o sniper que a versão Kinect da garota não tinha a habilidade para controlar os nanos. Sabia tambem que quanto mais tempo ela ficasse la dentro, maior seria a chance dela ser vencida pelos numeros do inimigo.

    A lamina psionica chocava-se contra a grossa corrente, soltando um som estridente e deixando uma marca na superficie, que ia ficando cada vez mais profunda. O problema é que as correntes estavam separadas minimamente pela envergadura dos braços do garou, de modo que ela teria que se mover de um lado para o outro para acertar as duas partes.

    Red Leader: - Justiça e amor ? De que manicomio você saiu ? Você quer libertar sua amiguinha é ? Que tocante, mas não vai conseguir ! Você é fraca e logo estara com uma bela coleira em seu pescoço, uhm !

    O vampiro mandou um beijinho de provocação antes de acertar uma segunda vez a barreira com sua força estrondosa. O inquieto lobisomem grunhia e se balançava cada vez que uma pancada acontecia nas correntes, avido por fugir por qualquer maneira que fosse. Quando a corrente do braço esquerdo deu o sinal que estava mais fragilizada o garou usou toda a forma do braço, rugindo e jogando seu peso para o lado oposto em um esforço desesperado. E as forças combinadas arrebentaram com um elo, libertando uma das amarradas que prendiam a criatura lupina. Embora sem esperar aquilo, o vampiro lider conseguiu se afastar um pouco, o bastante para que as garras mortais rasgassem seu peito apenas. A corrente quebrada, porem, acertou um dos atirados do bando, que caiu inconsciente no mesmo momento.

    Isso chamou a atenção do grupo, que se virou assustado e testemunhou o lobisomem se libertando. Sem pensar duas vezes, começaram a atirar aterrorizados no lobo, se afastando do mesmo. O garou grunhiu de dor ao ser alvejada com as balas e fez o impensado: mordeu o proprio braço criticamente ferido, e amputou-o no mesmo momento. O sangue jorrou vivido, mas a criatura não esperou para ve-lo caindo no chão, ela partiu para cima do grupo como um estouro desgovernado, abocanhando a cabeça do baderneiro vestido de roxo com a shotgun, e arrastou seu corpo consigo enquanto fugia pela porta da frente. Os outros cairam com o choque fisico e psicologico, sem conseguir reagir diante daquela cena brutal.

    PFVVVVVVM !

    Um deles jamais teria a chance de se recuperar, agora que sua cabeça tinha sumido do lugar com um tiro certeiro do rifle sniper. O grupo estava quebrado, mas como se não bastasse, uma granada incendiaria estourou na frente deles, que nem poderia correr pois uma barreira tinha surgido ali. O fogo espalhou-se para todos os lados e começou a consumir ferozmente os dois ainda brevemente vivos. Gritaram em agonia, batendo na barreira em busca de clemencia, jurando por tudo de mais sagrado que nunca mais machucariam uma mosca se os salvassem. Fariam qualquer coisa, absolutamente qualquer coisa, para que aquilo parasse. O cheiro de carne humana queimada se espalhava pela igreja.

    O lider era o unico que tinha restado, testemunhando a obliteração de seus subordinados por ataques vindos dos lugares mais inesperados. E como se não fosse o bastante, começara a aparecer mais um daqueles malucos. O fogo que detonou ali perto atiçou um medo profundo, e aproveitando que Kinect parecia ter enfraquecido, fez como o garou e lançou-se em uma ombrada violenta no intuito de destruir o escudo e pressiona-la contra a parede

    Red Leader: - AHHHH !

    Os tiros dos drones de Doppel nem seria necessarios aquela altura. A gangue tinha sido vencida em um rompante subito. Zay reconheceria a voz, e buscou nos cantos da igreja ate encontrar o aglomerado de nanorobos tomando a forma humanoide.

    - Doppel, você novamente ?! Ung, a Nova ! Digo...Kinect ! Proteja-a !
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Venkar em Qua Set 28, 2016 12:01 pm

    Talvez Zaytsev em seu ponto elevado seria o primeiro a notar algo, que não tinha nada a ver com o combate que havia acontecido a poucos instantes na igreja.

    A brisa normalmente calma e silenciosa se transformou de repente em fortes ventos, como se um tufão ou tornado estivesse para ocorrer em instantes. Mas ao olhar para o céu escuro, não havia nuvens. Como poderia surgir algo assim sem nuvens? Logo em seguida o homem e talvez os que estivessem lá embaixo poderiam escutar um ruído surdo e que se repetia a intervalos de tempo. Parecia ser asas? Mas que coisa produzia um som tão alto assim? Talvez havia morcegos nos andares superiores do prédio onde estava?

    Finalmente o silêncio relativo da noite foi preenchido por um rugido ensurdecedor, capaz até mesmo de estilhaçar os vidros mais frágeis da vizinhança.

    Ao olhar para o céu, Zaytsev veria o que provavelmente consideraria uma miragem.. ou pesadelo. Uma criatura gigantesca voando e se aproximando da cidade. A criatura pareceu mergulhar, lá distante mesmo e de alguma forma espalhava fogo pelos edifícios por onde passava. O brilho logo ficava evidente que quarteirões inteiros agora ardiam em chamas incandescentes.


    P/ Yumi.

    Venkar rapidamente ficou fora do alcance de sua visão, mesmo ela seguindo voando atrás dele. Suas escamas negras eram perfeitas para que ficasse oculto na escuridão da noite, dando para ver apenas sua silhueta se afastando mais e mais, seguindo diretamente para a cidade em ruínas que ficava próximo do lago. Por alguns instantes ela poderia pensar que perdeu o "rastro" de seu amigo furioso. Mas logo a escuridão era iluminada por um brilho incandescente, e Yumi podia ver com mais nitidez a origem, o dragão passava voando baixo por sobre os prédios e estruturas periféricas da cidade, espalhando fogo em tudo o que encontrava.


    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Yumi Hayashi em Qui Set 29, 2016 8:37 pm

    -"onde você está?" Ela pensava com ela mesma, e desceu das nuvens para tentar contato visual. Nada, apenas a escuridão da noite. Mas, pouco tempo depois essa escuridão foi invadida por uma luminosidade longe dali...Ventar estava colocando fogo em tudo.

    Com pressa, bateu as asas mais forte e acelerou chegando à cidade. Era tão ínfima a probabilidade de ver um Dragão...quem dirá dois rompendo o céu. O segundo Dragão que rompia o céu era menor e tinha uma coloração azulada, as escamas do seu corpo brilhava como cristais de gelo.

    Yumi abriu a bocarra e baforou fragmentos de gelo nos prédios em chamas, finalmente avistou Venkar e se aproximou dele lançando a rajada de gelo nele. Provavelmenteisso não havia sido inteligente, levando em consideração o quanto ele estava irado. Mas, ela estava pronta para o caso dele revidar.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Qua Out 05, 2016 6:14 pm

    O Caos estava instaurado, não exatamente como o planejado por Nova ou mesmo Kinetic. Para a tristeza de sua outra metade seu jantar havia fugido restando apenas um braço para poder saboreá-lo. Não haviam nanos no lobo para que pudesse rastreá-lo depois o que a deixou sem muitas opções. "" Nova não vai ficar feliz."" Pensava consigo mesma. Como se não batasse esta trágica escapatória um ser que ela pouco conhecia surgia para "auxiliá-los". Kinetic sentia sua energia ter sido sugada em parte, e sua fome aumentar. Notava rapidamente os inimigos que ia sendo abatidos. Notava tambem o grito por clemência dos  vampiros que queimavam. Não via mais necessidade de manter o escudo para Zaytsev.

    " Bom trabalho Zay, seu escudo está sendo retirado."

    Finalizando sua fala usava se sua telekinese para apagar ou retirar o fogo presente nos vampiros, porém mantendo-os ainda encarcerados... Concentrada neste fato não notara a investida do líder em sua direção sentindo apenas depois o impacto emseu corpo. Escutava um crack em seus ossos devido a força daquele ser. Ao Doppel ser criada seu escudo havia sido desfeito deixando-a vulnerável. O grito pode ser ouvido  com a pancada, porém os escudos continuavam ativos.

    _ Ahhhh!!! Hey...a..ahau.....isso doeu....Você não devia ficar tão próximo de mim...afinal você é comida para mim, apenas não sabe disso. Vocês aí apresionado fiquem sentados e não pensem em fugir caso contrário me deixaram muito brava e morrerão...entenderam eu já fui gentil de deixarem vocês viverem....

    " Zay mantenha eles na mira. Qualquer tentativa de fuga mate eles. Vou desativar a barreira."

    Doppel notava a vitoria certa para aquela pequena e bagunçada investida. Batendo o pé no chão como se estivesse desapontada. Tão logo uma nova oportunidade surgia a sua frente o líder havia investido contra Kinetic e a acertado. E logo uma "ordem" Vindo de Zaytsev era escutada.

    _ Ei...Vamos deixar claro voce nao manda em mim. Mas como estou entediada agora vou brincar com ele! Entendido? Hihihi Oh Yooohooo

    Todos os drones eram redirecionados até o vampiro líder e uma "chuva" de pequenas agulhas eram lançadas contra o mesmo para neutralizá-lo enquanto a figura negra e de tamanho proporcional a um Adulto de 1.57 corria saltando no ar dando uma voadora de lado na cabeça do vampiro.

    _ Twinkle twinkle giant FOOT! Hihihi

    Saltava em direção ao peito com uma voadora que tinha no lugar dos pés normais um finco para perfurá-lo no coração. E o finco de fato brilhava como se fosse brilhos de arco-iris.
    O Fogo ao redor dos serviçais havia se apagado, e eles conseguiriam agora com grande dificuldade se regenerar. Kinetic notava o ataque criativo de sua "aliada" Doppel no chefe  porém algo chamara sua atenção a grande sombra e o rugido de uma enorme criatura.

    _ Venkar?

    "Zaytsev entre para dentro da igreja imediatamente e tome cuidado, se  for quem estou pensando é um conhecido meu, mas não parece estar muito amigável no momento. Argh esse cara... esse cara é mesmo forte..ah ah...minha costela... "
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Qui Out 06, 2016 6:54 pm

    Zaytsev ouviu claramente o alerta dela e não demorou mais de um segundo para que o escudo psiquico sumisse de sua frente sem deixar vestigios. No proximo momento a barreira que enclausurava os dois inimigos incendiados se moveu e ondulou, cresceu e diminuiu, até que as chamas tivessem subtamente desaparecido. Não sabia como ela tinha apagado o fogo violento de uma granada incendiaria, mas o motivo era o que mais o surpreendia: ela estava com pena deles. A mesma garota que tinha arrancado o coração de um homem por puro capricho. Quando achou que tinha a entendido, ja não sabia mais de nada.

    Os dois membros da gangue que havia sido vitimas da granada estavam no chão, incapazes de se levantar. Um deles estava claramente inconsciente, ou morto, enquanto o outro tinha espasmos de dor com queimaduras que chegavam até a terceiro grau. A carne queimada parecia que tinha se tornado liquida por um tempo, e agregado no tecido carbonizado de suas roupas. Trechos de gordura e tendões, ate mesmo ossos, expostos ao ar livre. Tudo o que conseguia fazer era babar e gritar de maneira desconexa de tempos em tempos, incapaz de pensar em qualquer coisa a não ser se livrar da agonia insuportavel, mesmo que fosse respirar de uma maneira diferente.

    O sniper sabia que nenhum dos dois conseguiria nem ir ate a porta sem um esforço colossal, por isso não se preocupava com eles. Mas Kinect havia sido atingida pelo vampiro, e o pior, Doppel parecia não gostar de receber ordens. Sorte que ela havia escolhido enfrentar a ameaça clara.

    Red Leader: - Olhe para mim cadela ! Eu vou te fazer em pedaços, olhe para mim !

    O vampiro que pressionava Kinect contra a parede agarrou a face dela para força-la a encara-lo. Buscava olhar no fundo de seus olhos, talvez para aterroriza-la com seu aspecto sobrenatural. Era certo que suas feições agora estavam mais animalescas, vincos profundos que moldavam o rosto de uma maneira quase não humana, veias escuras que tomavam o rosto irado. Mas Doppel se fazia bem presente ali. A chuva de agulhas que o acertaram não causavam nenhum efeito especial exceto deixa-lo mais transtornado.

    Red Leader: - Vocês querem me vencer com acupuntura ?! Alguem comeu o cerebro de vocês ?!

    Vendo o ataque eminente de Doppel, o vampiro agil astutamente e puxou Kinect para frente do corpo, usando-a como escudo contra a voadora da AI rebelde. Os pés afiados cravariam no meio do tronco de sua criadora, causando um ferimento provavelmente fatal....

    PFVVVVVVM !

    Um disparo desmanchou a rotula do vampiro, que sem apoio algum de uma perna desequilibrou-se para o lado. Era impressionante que a perna não tivesse sido amputada pelo disparo certeiro ao inves de abrir um rombo no joelho, mas de qualquer maneira isso tinha exposto o inimigo para o chute voador. Kinect não sairia completamente ilesa. Seu braço ficaria no meio das estacas arco-iris, que atravessariam primeiro sua carne antes de atingir o coração do vampiro.

    Red Leader: - AHHHRRGGGG !

    Cuspindo sangue, o vampiro iria ao chão com um buraco no peito, formando uma pequena poça vermelha no chão. Parecia estar agonizando, grunhindo e gemendo, mas ainda estava "vivo" e se mechendo. Seu rosto palido salpicado com o proprio sangue virava-se para as duas inimiga. As presas expostas como um animal feroz, duas adagas de marfim vermelho. Os olhos possuiam o tom apagado de um morto, mas ao mesmo tempo moviam-se inquietos para todas as direções possiveis.




    Fim do capitulo X - Noite no fim do mundo



    (obs.: Renata, caso não tenha notado, era essa a "lista" que você tinha relatado do meio tempo da Nova se alimentar xD)
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Qui Out 06, 2016 7:31 pm

    Capitulo XI - Fogo e sangue

    Os uivos sofridos silenciaram, junto com as vitimas da noite. Culpadas, assim como seus algozes. Um combate rapido e sangrento, uma resolução violenta. Dois jaziam ao solo tremulos, acariciados pelo fogo faminto. Um tentava se levantar, mesmo com um buraco no peito. Um dia aquilo foi uma igreja, um lugar santo onde as pessoas vinham se purificar, livrar-se de seus pecados. Mas para onde iam os pecados ? Eles sumiam como fumaça ? Ou se acumulavam nos cantos, esperando a luz sumir para rastejarem como um enxame de vermes buscando uma fragmento de alma para macular ?

    Aquela noite não estava destinada a ser silenciosa. Quando finalmente a paz se instaurou e a quietude reinou sob o céu escuro, o urro de uma outra besta cortou o ar. Algo maior, que viajava no vento e fazia chover terror. Zaytsev ouviu o barulho e imediatamente se assustou, mesmo que a distancia que estava mais parecia o vento cortando entre as fissuras e arranha-ceus (skyrim reference). Nem era preciso falar para ele entrar na igreja, ele ja estava descendo na corda de rapel a toda velocidade. Assim que entrou pela porta lateral fechou-a atras de si.

    - Não sei qual o pior, a coisa la fora ou você conhecer a coisa. Como você esta Nov...Kinect ?

    Prestava atenção não somente a garota, mas ligeiramente a Doppel e principalmente ao vampiro, que ainda se movia. Era muito facil ele saltar em qualquer um e sugar todo o sangue do corpo.

    - Como prometido, aqui esta toda a refeição que puder consumir. Bonnapetit


    Dizia referindo-se ao bando despedaçado dentro da igreja.


    _________________________________________________________________________________


    A cidade mais se parecia com uma metropole abandonada, uma selva de pedra que lembrava ao longe a imponencia da arquitetura e engenharia humana agora esquecidas. Sombras de uma era gloriosa ruiam em ferrugem e mofo. Ossos vermelhos e quebradiços sustentando corpos de pedra, nervos de cobre e veias de plastico. Um organismo não vivo, e ainda assim, em decomposição. Nos limites e nas areas mais arboreas, a vida natural ja começava a se espalhar livre da interferencia humana, agregando o verde no cinza do concreto. Incendios espontaneos surgiam provocados pela fiação eletrica abandonada. Poças e fluxos de agua que desciam as ruas rachadas intrigavam um observador: era agua limpa ou esgoto ?

    Tudo o que o dragão queria ao chegar era causar destruição. Um conceito sempre presente ali. Não houve gritos nem o clamor por herois para derrotarem a besta. Não havia ninguem nas ruas naquela hora. Provavelmente para Venkar, aquilo era um diversão gratuita. "Destruir" uma cidade humana sem nenhuma consequencia. As nuvens invisiveis contra o firmamento rugiram de volta, quase como em um desafio.

    A criatura de cristal que desceu sobre a cidade logo depois não carregava raiva consigo, mas preocupação. O bafo sobrenatural que despejava pela sua boca apagava o incendio do primeiro dragão, tentando de alguma forma apagar seu erro. E por fim sobre ele, para quem sabe "apagar seu odio" ? O tapete escuro sobre suas cabeças iluminou-se em um flash. Um relampago saltou de uma nuvem para outra, brincando fugaz como uma criança animada.

    Uma fração de segundos antes, Venkar sentiu algo estranho. Vinha de uma região um pouco mais distante da cidade. Era um misto de sexto sentido com algo no ar, um cheiro, um ruido, um formigamento na base das escamas. Por algum motivo algo o levava a crer que era um dragão dentro da cidade. Um verdadeiro. Não igual a transformação que a kitsune havia feito, e que agora cobria-o como um manto branco de cristais de gelo com seu o sopro gelado.
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Venkar em Sex Out 07, 2016 3:06 am

    Yumi podia ver que mesmo chamando o seu amigo dragão, ele não a respondia, parecia tê-la bloqueado novamente. Talvez isso não fosse de propósito, talvez em seu estado de dor e fúria sua defesa era bloquear tudo e todos e descarregar a frustração em alguma coisa... qualquer coisa.

    Seu couro negro escamoso realmente não o tornava tão visível durante a noite, o que dificultou a princípio sua amiga o encontrar. Mas logo quando os primeiros edifícios começaram a arder, seria fácil localizá-lo. O grande dragão descia em rasante, escancarando a bocarra e expelindo seu hálito destruidor por tudo o que encontrava no caminho. Fez isso em dois, três quarteirões.

    Devido a ausência de pessoas para queimar, ou talvez pelo fato de Yumi ainda estar drenando sua energia, necessária para que ela pudesse ficar em sua forma draconiana, a raiva foi se esvaindo aos poucos. Podia agora observar melhor as ruínas, notando com a sua visão aguçada os detalhes dos edifícios em ruínas. Estranhava as estruturas, pareciam finos ossos vermelhos sustentando pedaços de pedra e o que pareciam ser paredes, ou lajes. E onde estariam as pessoas? Desejava sentir o gosto quente de sangue fresco, o adocicado da carne humana em sua língua...

    Havia sentido ou imaginado a presença de um outro dragão, a uma direção um pouco distante de onde estava, porém tudo isso sumiu de sua mente no momento que Yumi expeliu sobre Venkar seu hálito congelante.

    Enquanto sobrevoava o quarto quarteirão foi quando sentiu um frio terrível atingir parte de sua asa direita e suas costas. Estava sendo atacado? Instintivamente e com uma agilidade incrível para o seu tamanho girou o corpanzil em pleno ar para ficar de frente ao seu oponente. Devido á proximidade com o solo, o movimento poderoso de suas enormes asas produzia uma enorme nuvem de poeira que refletia o brilho dourado das chamas que haviam escapado do hálito frio de Yumi. A nuvem conferia um aspecto terrível e amedrontador ao seu amigo escamoso, como se fosse uma aura malévola o envolvendo. Pessoas comuns desmaiariam diante de tal visão.

    Não rugiu, pois só o fazia antes de começar um combate, havia sido atacado gratuitamente por um semelhante, provavelmente a mando do pai de sua companheira. A cor do oponente lembrava o elemento e o poder de Yumi. Mas sabia que ela jamais o atacaria. Não bastasse o bastardo ser a causa da morte de todos os que conhecia... mandara outro para finalizar o trabalho... O ódio de Venkar voltou a queimar em seu peito, evidente pelo brilho dourado entre os vãos de suas placas ventrais no pescoço. Partiu imediatamente para o ataque: escancarou a bocarra e expeliu seu mortal hálito flamejante em direção ao dragão azulado. O sopro se espalhava quase como em um cone, a partir da mandíbula aberta da fera negra, a envolvendo por completo caso não saísse da frente.

    Caso ela mergulhasse para escapar, ele estaria logo atrás, por pouco não fechou os dentes no finalzinho da cauda fina de Yumi. Ela podia ver que os olhos do macho estavam vermelho brilhantes, tal como ocorrera na boate, no momento que seu meio irmão tentara feri-la com a chave das pernas. Estava possuído pelo desejo de vingança e por isso não a reconheceu neste primeiro momento.

    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Yumi Hayashi em Sex Out 07, 2016 6:44 pm

    Yumi não tinha a intenção de feri-lo, não passou pela sua cabeça que seu amigo era extremamente vulneravel ao gelo assim como ela era ao fogo. Apesar de esperar uma reação dele, apesar de saber do risco que corria, achou que um "banho gelado" o acalmaria a ponto de, ao menos, perceber que era ela.

    Quando a atacou, ele a olhou diretamente...ele já a tinha visto naquela forma antes, então ele sabia que era ela. Mas a atacou com força e determinação...estava querendo matá-la? Pelo erros do seu pai!? 

    Para os que viam a cena do chão, viram que a dragonesa, desajeitada demais para um dragão, tentou em vão apagar aquelas chamas com sua propria chama congelante, mas era forte demais para ela. Ao ver que não teve efeito, Yumi mudou a rota do voou, mas não a tempo suficiente. Aquele fogo tocou em cheio na sua asa esquerda. Ela rugiu de dor, desnorteada, perdeu o equilibrio e foi caindo na direção dos prédios.

    - "Venkar..." 

    Ela tentava em vão chamar por ele, enquanto lutava para continuar voando. Mas a cada movimento que tentava fazer com a asa esquerda, a dor parecia aumentar. Yumi, ao contrario do irmão nunca foi boa em luta corpo a corpo, sua resistencia conseguia ser pior. 

    - "Não aguento mais..."

    Falou para si e fechou os olhos, se fogo a fazia mal, fogo mágico era 10x pior. Estava fraca e sendo perseguida pelo seu melhor amigo, que parecia determinado a mata-la.

    - "No que estava pensando, idiota...."

    Soltou um sorriso, no momento que desistiu de voar e começou a cair em queda livre. A magia foi se desfazendo, no instante que começou a perder a consciencia. A dragonesa na verdade era uma kitsune de 5 caudas. Nova/Kinect não havia a conhecido...mas poderia se perguntar como era possivel encontrar duas kitsunes em um espaço tão curto de tempo.

    Para surpresa e talvez horror de Venkar, era Yumi. Talvez ele se perguntasse porque ela fez aquilo, talvez o sangue tenha falado mais alto e ela estava ali a mando do pai. Talvez ela só estivesse tentando chamar a atenção dele. Era uma kitsune, a queda não a mataria...mas aquilo doeria e muito. Ela poderia ser capturada por seja lá o que tinha naquela cidade. Talvez fosse muita coisa para pensar e decidir em um espaço tão curto de tempo. 

    O braço dela estava com queimadura de terceiro grau, mas ao menos ele sentiu que sua vitalidade parecia voltar um pouco...mesmo ferido, afinal ela não estava mais conectada a ele.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Sex Out 14, 2016 2:51 pm

    Kinetic Notava a investida da "aliada" em cima do vampiro ao mesmo tempo que o rapido movimento do mesmo a fez ser o alvo daquela investida. Se não fosse por Zaytsev o estrago teria sido muito pior. Ao perceber que seu corpo estava " Salvo" e apenas seu braço seria perfurado Kinetic desativava a armadura naquela area fazendo com que a carne fosse facilmente penetrada. O Grito era abafado pela dor sentida saltando e se afastando do grandioso vampiro. Agora apenas um ser revolto de ódio por seus "agressores".

    _ Opps....Espero que não tenha ficado marca ohohoho desculpe ainda estou aprendendo o que posso fazer...Tá...tudo bem?...ma...mas a culpa foi sua por ficar na frente né...e do ZAyzay por não pensar rápido..é a culpa foi dele por que... ele não atirou antes ta vendo...que namorado idiota que você tem, não presta pra nada.

    Kinetica segurava o braço que sangrava com um dano consideravel , pouco a pouco os nanorobos iam cobrindo a ferida anestesiando o local aos poucos. A respiração era levemente ofegante, mas tentava não demonstrar a dor. Caminhava em direção a Doppel abrindo seu capacete revelando a coloração dos cabelos esverdeadas. Zautsev poderia notar ela era igual a Nova, totalmente igual...se não fosse a personalidade e a cor dos cabelos. Kinetic tocava no ombro de Doppel e abraçava ela sorrindo de leve e rindo.


    _ hahaha Calma..calma...Doppel...você fez bem....não se preocupe...eu me recuperarei com o tempo não se preocupe com nada...e obrigada por vir me acudir. ok? Zaytsev....obrigada por aquele tiro, ele veio bem a calhar...muito prazer sou Kinetic...Nova deve ter comentado...um pouco sobre mim....

    Kinetic olhava 1 vampiro vivo, um cremado, e o retante morto...uma refeição bem incompleta. Uma gotinha caia sobre seu rosto enquanto sorria sem graça e olhava para o local corando de leve.


    _ Tá..tá...Eu vou avisar para ele Nova calma....ok...er...Zay...haha....então...isso tá meio um banquete de 5* categoria né hehe...não me leve a mal...mas a única coisa que Poderemos aproveitar é ele....

    Apontava o vampiro ainda vivo e olhava ao redor buscando com a telecinese o braço que o lobsomen havia arrancado e jogado para o lado enquanto fugia.


    _...os demais servirão em conjunto como um máximo de 2 refeições....isso se eu juntar tudo.....Quando as coisas estao mortas...elas possuem um ahnnn aproveitamento bem reduzido. Igual.. quando se cozinha vegetais os vegetais perdem seus nutrientes...ah...que?...ah que que tem eu comparar eles com cenouras é a mesma coisa...


    Doppel corre até um dos caras com a cabeça explodida e começa a rir cutucando ele.

    _ ahahahahaha Cenouras...esse tem cara tem cara de batata....tinha né...agora...aagora é..hahahah puré de batata...hahahah ai Kinetic você é bem mais diveritda hahaha batata...

    Caia no chão a gargalhar enquanto Kinetic respirava fundo meio sem graça olhando ao redor e olhando para o seu prisioneiro no campo de telecinese praticamente morto....

    _ Bom....acho que meu trabalho aqui terminou...e temos algo que nos preocupar alí fora não é....vou pedir para que Nova volte...eu...ahhnn...preciso dormir um pouco... seja gentil com Nova ela é muuuito sensível...ah...e não estranhe demais...nós somos algo único...

    Kinetic piscava e sorria dando um pequeno beijo no rosto de Zaystsev, em seu capacete na verdade e sorria de leve. Os cabelos verdes brilhantes começavam a se " descolorir" se tornando algo como um cinza prateado que Zaytsev bem conhecia, tão logo ele poderia notar a mudança copleta e quem estava a sua frente agora era Nova?!. Ela olhava para ele meio sem graça e virava-se de costas indo até o vampiro Chefe...olhava seu próprio ferimento no braço e sorria de lado.

    _ Entenda algo ...você...não passa de comida para mim...e caso você sobrevivesse você poderia expalhar que há um predador novo no pedaço....mas é uma pena que você vai morrer aqui...Bom apetite.

    Nova avançava no corpo do vampiro mordendo-o segurando sua cabeça do lado enquanto sugava sua essência. Era algo ao mesmo tempo sexy e dominador agora mais voraz e impiedoso. Seu plano, porém não era sugá-la toda mas o máximo que pudesse sem matá-lo. Enquanto isto era feito uma nevoa negra começava a se formar pelo local, os corpos cremados e mortos que estavam no chao bem como o braço do lobsomem começavam a tornar-se um pó preto que era "sugado" pelo corpo de Nova como se misturase a sua própria essência...Doppel sorria olhando aquilo e seguia em direção ao vampiro cremado puxando-o pelo braçolevando-o para perto de Nova. Este vampiro, cremado mas ainda vivo, era o único sobrevivente alí. Nova passava uma mensagem para que Doppel executasse o que esta desejava.

    _...oh....Entendi Nova...haha você é tão esperta....Hey mané....seguinte...você tem duas opções...ou você morre e nega a boa vontade de minha amiga aqui em te deixar vivo....ou você se alimenta...como ninguém aqui  é bocó de deixar você sugar de nós sua única opção é se alimentar de seu chefe alí. Se alimente dele e sobreviva ou fique aqui para ser tofu torrado... Caso quiser sobreviver toma aqui...

    Doppel posicionava a cabeça cremada do vampiro em um dos pulsos do chefe que possivelmente estaria """sofrendo""" com o efeito da mordida de Nova.

    _ Melhor beber se quiser viver...beba tudo....caso contrário já me avisa que eu já te mato...sua vida vale mais do que a desse idiota que te deixou morrer...Nova foi piedosa e esta deixando você sobreviver....faça o favor de retibuir hien...se não bleee...você morre.

    Algo chamara a atenção de Doppel Ao notar algo em queda livre pelas frestas destruídas da igreja olhando com calma.

    _ Oh vocês tratem de comerem rápido por que tem um dragão gigante lá fora...e....uma Kitsune em queda livre...eu não sabia que raposas voavam...pera...ela... não tá voando... Ahhh ela tá é caindo ...nossa isso vai doer demais....

    Doppel colocava a mão na cabeça enquanto Nova acelerrava seu processo de alimentação e falava com Zaytsev através do coumincador.

    _ Assim que eu encerrar aqui vamos embora correndo, infelizmente Zay esta refeições conta como 3 e não 5....alem do mais...perdi meu prato principal...quem sabe possamos continuar um...pouco juntos até completar meu menu...
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Sab Out 15, 2016 5:45 pm

    A mascara de olhos vermelhos inclinou-se na direção de Doppel. Era irresponsavel, sem admitir o proprio erro de seu ato impensado, jogava a culpa nos outros dois. Prever que o vampiro usaria Nova como um escudo não era tão dificil, mas a IA se comportava quase como...se fosse uma criança ou adolescente. Agora estava começando a entender o novo ser, o que não queria dizer que realmente entendesse o que era ou seu objetivo.

    - Tive que pensar rapido, para evitar uma tragedia maior. O unico lugar que eu tinha garantia de acertar enquanto se moviam sem arriscar acertar a Kinect era na perna dele. E Doppel, nos não somos namorados...

    Até onde Doppel sabia das informações que sua dono possuia ? Ela não tinha se manifestado fisicamente quanto tinham feito sexo no esconderijo. Será que podia acessar as memorias de Nova ? Para ela não importava aparentemente, pois mesmo com o braço ferido ela foi abraça-la. A consciência Kinect era muito mais similar a Doppel do que a de Nova. Talvez essa personalidade tenha sido a origem da IA rebelde.

    - Oh, prazer Kinect. Sim, Nova falou brevemente sobre você, embora não tenha explicado como funciona esse revesamento de mentes no mesmo corpo.

    Percebeu seus olhos dardearem pela igreja, buscando os inimigos vencidos espalhados ao redor

    - Não sabia que existia alguma preferencia por coisas vivas, de outro modo poderia ter mirado nos membros deles, embora no meio do combate não seja possivel prever exatamente as coisas. Mas...

    Observou paulatinamente cada uma das vitimas. Os sensores da mascara faziam uma varredura rapida em busca de alguns sinais. Zaytsev inclinou o corpo para trás no ultimo, olhando para o lado de fora da igreja

    - O vampiro esta "vivo", mas não brinque muito perto dele. Atacara sem aviso como um animal acuado. Os dois torrados estão vivos, embora apenas um esteja consciente. Os dois que eu acertei estão sem cabeça, certamente mortos. E...o que foi arrastado pelo lobisomem estava vivo, não por muito tempo. Seu cranio foi quase esmigalhado, mas não foi finalizado. Tem alguns minutos, no maximo.

    Zay ouviu a comparação com legumes, que Doppel adorou. Era possivel entender de maneira resumida o que ela queria dizer. Drenar vida dava mais energia do que apenas as carcaças. Sentiu o beijo em sua mascará, e ao voltar a atenção a ela via sua piscadela e seu cabelo mudando de cor. O olhar envergonhado dava certeza que era realmente ela agora no comando. E sem demora ela avançou contra o vampiro, mordendo-o, quase uma ironia ao proprio meio de alimentação do inimigo. O lider do bando rosnava e gritava, gorgolejando sangue, mas incapaz de revidar. A mão dele segurou o braço de Nova, forte, quase a ponto de machuca-la se a armadura não a protegesse.

    Quando a nuvem negra rodopiou ali dentro, o sniper deu espaço, evitando bloquear os fluxos. O homem queimado pela granada berrava quando Doppel o arrastava pelo chão, sua pele raspando no chão. Tremendo pela dor, era por pouco que conseguia entender o que Doppel lhe dizia. Seus olhos arregalados olhavam para a garota escura, para o teto e o chão, e por fim para seu lider.

    Gray punk: - AHHHHHH....puf puf puf....ok ok....sim sim, vou beber....sim sim....

    O homem estava decidido a aceitar a oferta, e agarrou o braço livre de seu lider. Mas ele hesitou por um momento, olhando longamente para o pulso. A dor o fez agir por impulso, e ele mordeu a carne fria, arrancando um pedaço e cuspindo para o lado. Com o buraco aberto, sugou o sangue que era derramado como um bebe no peito da mãe. Ele não tinha presas afiadas.

    Zaytsev não concordava com a escolha em deixar aquele vivo, mas não fazia questão do contrario. Assim como Doppel olhou para fora, o sniper fez o mesmo, suas lentes ajustando-se automaticamente para capturar o movimento distante no completo escuro, cortado por relampagos ocasionais e jatos de fogo

    - Dificil imaginar o que esta acontecendo ali, mas é melhor não interferimos. Enfrentar um bando de ghouls e um vampiro é uma coisa. Um dragão é uma presa muito mais forte, seria necessario um estudo muito longo,e um motivo muito forte. Um dragão...aquela coisa é gigante...não achei que fossem reais...

    Balançou a cabeça

    - Me parece que você quer encontrar aquela criatura. Não sei como a conhece, mas se aproximar dela é algo insensato. Tem pelo menos quatro lanches vivos aqui, incluindo esse que você quer salvar. Posso capturar outro e lhe entregar posterioremente, mas agora eu preciso encontrar alguem, antes que a cidade vire um enorme incendio...

    O atirador não queria se aproximar do dragão por motivos obvios. Parecia que aquele era o momento que se separariam, embora a frequencia de radio sempre seria uma forma de se comunicarem.


    ______________________________________________________________________________


    As nuvens turbulentas pareciam reagir a furia, rosnando e iluminando-se mais frequentemente. Era possivel imaginar um dragão imensuravel, os trovões seu rugidos bestiais, os relampagos seu peito iluminando-se com a vinda de uma baforada súbita. Deleitando-se com o espetaculo logo abaixo. Agora os dois amigos brigavam entre si em uma brincadeira cruel do destino. Venkar cego pela raiva mal conseguia ver a semelhança daquela forma cristalina com a pequena demonia. E ela em um ato impensado atacara uma criatura transtornada que tinha sede de destruição. Uma mistura que não acabaria nada bem.

    No momento que ela deveria encontrar o chão um relampago rasgou o céu, ofuscando todos que tivessem o azar de estar olhando naquela direção. O impacto do corpo se confundiria com o trovão ensurdecedor. Acertou uma construção proxima, fazendo metal derreter e iniciando um incendio imediatamente. Por um segundo era dia. No outro, a noite voltara.

    Frageis gotas de chuva cairam, molhando delicadamente a cidade em infinitos ponticulos volateis, assim como a pele da kitsune e as escamas do dragão. Uma pequena caricia que sussurava "estou chegando".
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Venkar em Qua Out 26, 2016 6:55 am

    Se seus pais estivessem vivos, o repreenderiam por usar seu hálito flamejante contra um semelhante, ou por usá-lo em pleno vôo. Era um ataque ineficaz contra um alvo aéreo e móvel, por isso que somente atingiu parte da asa do oponente.

    Venkar sorriu mentalmente de forma maligna ao ver que seu alvo começara a cair, provavelmente por causa da dor intensa que suas chamas causavam na parte mais sensível do outro dragão, na membrana de uma das asas. Porém a satisfação se tornou em horror ao ver que seu oponente de repente se transformou em uma kitsune de cinco caudas, Yumi!

    O dragão bateu fortemente suas asas para ganhar mais impulso, e logo as colou em suas costas, caindo logo atrás de sua companheira. Não conseguiria a colher em suas patas dianteiras, pois seus braços eram pouco mais curtos que seu longo pescoço e por isso tentaria abocanhá-la antes que ambos se chocassem contra o solo que se aproximava velozmente.

    Foi a interrupção do fluxo de energia que ela absorvia para se manter em sua forma draconiana que talvez a salvou de uma colisão que provavelmente doeria muito e possivelmente quebrasse alguns ossos. Venkar sentiu isso e dobrou os seus esforços, escancarando a bocarra e... não muito delicadamente a abocanhou poucos metros antes do impacto. Logo que o fez abriu as asas, e recuou com a cabeça, ao mesmo tempo que colocava as quatro patas na direção do solo.

    O "pouso" se é que se podia chamar assim, foi amortecido parcialmente quando Venkar flexionou os quatro membros, mesmo assim foi forçado devido á inércia a chocar o tórax e todo o ventre, cauda e parte do pescoço contra o solo da cidade em ruínas. O impacto gerou uma cratera ou depressão de vários metros de diâmetro, e fez algumas das construções ao redor desmoronar.

    Todo o seu corpanzil doía em vários lugares, pelo menos havia "salvado" a sua companheira e amiga Yumi. Mas será que ela ainda o consideraria um amigo? Agora que estava mais calmo baixou o pescoço e abriu a bocarra, depositando uma kitsune desacordada no chão. Ele a olhou infeliz, mais uma vez sua raiva incontrolável o fez quase matar sua querida amiga. Pensou em partir, mas isso logo fugiu de sua mente ao finalmente perceber a situação ao redor.

    Nuvens de tempestade cobriam o céu e relâmpagos aqui e ali iluminavam brevemente partes da escuridão. Uma fina chuva caía e encharcava seu couro negro. O pressentimento de que algo ou alguém estava se aproximando novamente tomou conta de seu ser, mas não estava muito em condições de lutar, seu corpo ainda sofrendo a consequência do forte impacto contra o chão.

    O máximo que fez foi esperar, e puxar com cuidado Yumi desacordada para perto de si, enquanto observava ao redor.
    avatar
    Yumi Hayashi

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 06/11/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Yumi Hayashi em Sex Out 28, 2016 9:23 am

    Estava inconsciente quando Venkar conseguiu captura-la, graças à ele não sentiu o impacto ao bater no chão. Ele a livrou de se machucar gravemente. Ao ser abocanhada pelo amigo, Yumi acabou respirando a saliva dele e acordou tossindo. A chuva que batia em seu braço, aliviava ao menos um pouco aquela dor excruciante da queimadura de terceiro grau em seu braço. Levou a mão saudável ao rosto e fechou os olhos por alguns segundos, antes de olhar diretamente para o dragão. Não fazia ideia do que havia acontecido naqueles minutos, mas julgando que não tinha nada quebrado e que ele parecia protege-la ao coloca-la no meio de suas patas, entendeu que ele havia feito algo. Então...porque aquele ataque mortal?

    - Venkar... - Olhava-o confusa.
    - Porque tentou me matar? Você me olhou diretamente, vai me dizer que não me reconhecia? E se tentou me matar, porque está me protegendo agora? Se arrependeu?
    Ela se levantava e segurava o braço machucado que era envolvido por uma luz azul, e tão logo a feição de dor sumia.


    Estava completamente molhada pela saliva dele e agora pela chuva. Saia do meio das patas dele e olhava para cima, aquela chuva era gentil? Aquela agua também era mágica? Abriu a boca e deixou que gotículas tocassem seus lábios...se fosse magica saberia daquela forma.
    Ao se afastar um pouco dele, reparou na cratera que havia sido formada...e começou a associar o que poderia ter acontecido nos minutos que havia ficado desacordada. Ele havia se ferido nesse processo!? Ao se perguntar, ela tocou no dorso dele...Venkar iria sentir que da pequena mão da Kitsune saia filetos de magia, que percorria em velocidade pelo corpo dele fazendo um diagnóstico. Pelo tamanho do seu corpo aquilo iria demorar um pouco.
    Ela não parecia mais brava, agora estava mais preocupada com o bem estar dele.
    avatar
    Nova-Kinetic

    Mensagens : 99
    Data de inscrição : 16/10/2015
    Idade : 29
    Localização : NeoCity

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Nova-Kinetic em Sab Out 29, 2016 10:37 am

    musiquinha emuxinha para a ceninha XD

    Nova terminava de sugar o que achava necessario enquanto notava de leve a ausência de presas achava aquilo curioso enquanto degustava-se com a essência daquele vampiro escutava as palavras de Zaytsev e de Doppel enquanto aos poucos soltava-se daquele ser ainda inerte a sua mordida. Limpando os lábios como se houvesse algo a ser limpo, mas não havia. As coisas Mortas eram absorvidas pelo corpo de Nova. Com exceção do Braço do Lobsomem o qual apenas 2 dedos eram absorvidos, apenas para que ela sentisse o gosto. E tão logo isso ocorria ela movia sua mão delicadamente enquanto uma massa negra envolvia o braço do lobsomem, o objetivo era tentar mantê-lo vivo, ou ver o processo de des-transformação de lobo em homem.

    _ Você passou muito tempo preso em um único ponto...perdeu a maior parte da evolução do mundo. Dragões sao apenas uma parte do que existe aqui....dragões, demonios, anjos, reploids, vampiros, lobsomens, e....hum raças ainda não identificadas existem no mundo atual... Mas graças a mim você terá o prazer de conhecê-las...Espero que se sinta agradecido.

    Nova erguia o corpo olhando ao redor...pouco restava naquela igreja apenas os Líder e o lacaio que o sugava estavam ainda " vivos" opr capricho de Nova. Os demais foram absorvidos já que estavam mortos. Nova pegava o envólucro com o braço do lobsomem e colocava nas costas como uma mochila.

    _ Hum...Acho que a diversão aqui acabou....Vou dormir....Hihi.... Hey Nova Me chame mais depois para brincarmos foi divertido...oh e Zaytsev...Lembre-se de ser muito bem agradecido a Nova. Pelo que entendi ela te salvou...maaaas não sei se ela faria sem um preço....as vezes bem alto...opps hihih tchaaauu...

    Nova virava o rosto séria para a direção de Doppel que se desfazia enquanto levava a mao na boca cobrindo-a ao falar "opps". A Massa nano robótica imediatamente seguia se juntando ao corpo da Estranha Garota, ficando com uma maior concentração no braço ferido.

    _ Então....precisa me deixar mas posso te considerar um delivery boy...Você não é o primeiro a me deixar...imaginei que ficaria um pouco mais para conhecer meus aliados... Se eu quisesse eu poderia... lhe

    Neste momento um estrondo alto era ouvido de outro ponto ,uma onda de choque pode ser sentida. Nova olhava para os dois Vampiros bem como para Zaytsev e maneava em negativo sem sorrir olhando para ele calmamente.

    _ ...Hey...me liga tá? Vou ver que bagunça é essa no meu playground.

    Virava-se de costas e seguia até os vampiros olhando para eles enquanto o lacaio sugava o sangue de seu mestre Nova erguia a mão e a mesma se tornava um finco negro perfurando o crânio do líder abrindo-se em uma "flor" de fincos garantindo que o mesmo estivesse morto. Os fincos eram recolhidos trazendo sangue que era armazenado em pequenas ampolas recolhidas e guardadas.

    _ Oh...me desculpe...você estava demorando demais...e eu fiquei impaciente... Zaytsev melhor correr se não quiser morrer....com uma baforada de dragão.

    Nova sorria de leve olhando pelo ombro e começava a absorver o vampiro morto que já não possuia o mesmo gosto ou propriedades que anteriormente. Absorvia parte dele e deixava uma parte para o outro comer.

    _ Você melhor ir embora, e tentar se recuperar...Ache algo para se alimentar um ser humano...algo que seja fácil de consumir. Lembre-se que eu não te matei...Volte a me encontrar se quiser, mas quando estiver em condições de me matar ok?

    Passava a mão na cabeça dele Uma massa negra começava a cobrir a mesma  e Nova Sorria.

    _Isso vai lhe ajudar a recuperar um pouco e sentir menos dor imagino. São...ahnn uma massa de cura...pode ser que não funcione tão bem...mas deve ajudar um pouco... Zay até um dia quem sabe, e não mate esse vampiro ok?

    A Massa nano robótica tinha como ordens diretar recuperar o corpo e aliviar a dor, além de coletar dados da fisiologia vampirica e enviá-los para Nova. A Jovem virava-se de costas dando um tchausinho e saindo andando, e logo em seguida apressando o passo correndo.

    _...Eu estou bem Kinetic...apenas me lembrei por que não gosto de Humanos...são egoístas e mal agradecidos...eu...podia ter feito ele ficar....e feito ele obedecer qualquer ordem minha...o corpo dele esta cheio de nanorobos...nao seria dificil...mas isso......isso é o que um humano faria...e eu nao sou humana.

    Nova Parecia conversar consigo mesma enquanto corria.

    _....Acho que só nós conseguimos ficar perto um da outra....sim...concordo....todos que aparecem logo somem...logo nos deixam....quanto tempo os antigos MH demoraram para nos deixar também...sim...estamos sempre sozinhas....não depender de ninguém, não nos apoiar em ninguém...Somos bem carentes hien...haha...

    Nova ria de lado sentindo a chuva bater em seu corpo fechando sua máscara, Seu corpo começava a se alterar e ela virava Kinetic que parecia se dar um leve abraço enquanto continuava a correr. Seu corpo Saltava e começava a Flutuar em alta velocidade. Pelo caminho Kinetic Procuraria alimento, carne fresca ou não e levaria para Venkar.

    _ Não se preocupe...eu vou sempre estar aqui Nova...e para mim você é ótima...esse ódio vai passar....nós só precisamos lembrar...o que nós somos...e quem nós somos...quem nos criou e por que.
    avatar
    Axle The Red

    Mensagens : 152
    Data de inscrição : 16/10/2015

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Axle The Red em Dom Out 30, 2016 11:02 am

    As gotas caiam como um dedilhar, em todo material no solo. Com um compasso se acelerando, as agulhas finas se tornaram mais volumosas, e pesadas batiam com mais força. Um vento frio soprou subito pelas ruas da cidade destruida, mudando por um momento a direção da garoa pesada. Parecia chover de lado agora de maneira aparentemente impossivel, o que dava mais estranheza aquela noite. A garoa voltou ao normal logo que o vento cessou, carregando consigo uma nuvem de poeira de terra e concreto e ferrugem. Velhos panfletos ilegiveis dançavam como mariposas no ar, coloridos e mofados, quase vivos.

    A despeito de tudo isso Yumi saberia que a chuva era natural quando provasse a gota de agua. Mas ainda assim alguma coisa não estava certa. Para sorte dela o frio não era um problema, ja que agora estava completamente encharcada. O céu gorgolejou uma faisca titanica em seu ventre e então cuspiu um relampago na cidade, dessa vez longe deles. O clarão intenso fez outra coisa brilhar aos olhos de Venkar. Um reflexo dourado vivido, escondido entre as frestas de uma construção abandonada. O dragão sabia que aquilo era ouro. Imediatamente sua cobiça despertou, com o dobro da força habitual em seu coração, quase a ponto de cega-lo para tudo mais.

    - Hi, braan dovah. Dii tiid lost oblaan. Zu'u saraan fah gein do un reyliik fah ful pogaas evgir. Daar umriid do dii laas fend ni mah ko filth haal do jul. Daar los dii laat hind, kuz nii ahrk jaaril nii voth hin laas nu

    O que Venkar entendeu:
    - Você, um igual, dragão. Meu tempo acabou. Esperei agonizando por um de nossa raça por tantas estações. O tesouro de minha vida não deve cair nas mãos dos humanos imundos. Este é o meu ultimo desejo, tome e proteja-o com sua vida  

    Apenas Venkar ouvia aquela voz, e era claramente articulada em sua lingua nata, o draconico. Era aquela presença que havia sentido anteriormente. Não havia agressão, desejo de combate nem dominio. Era um pedido de um irmão de raça em sua voz glutual mas fragil.


    ______________________________________________________________________________


    O corpo do vampiro tremia com espasmo enquanto sua essencia era sugada por Nova. Nem ao menos sentiu quando seu pulso foi dilacerado para que seu sangue se tornasse refeição de um de seus subordinados. Com medo, o sobrevivente segurou o braço do vampiro com toda a força e sugou sua veias o mais forte que podia. Era melhor que estivesse morto logo. Morto de verdade. Devido a intervenção de Nova o braço do lobisomem voltava a forma humana em uma velocidade muito mais reduzida, de modo que ela podia ver com tranquilidade o processo de regressão.

    - Eu vi centenas de reploids na guerra, vi o levante dos vampiros e lobisomens, demonios que pareciam tanques vivos. Mas nunca tinha visto um dragão antes. E espero que não tenha nos visto. Um animal desse tamanha exige uma alimentação tremenda, o que leva a crer que ele vai comer qualquer ser vivo que encontrar. Não teria prazer em encontrar um deles, a não ser que soubesse onde atingi-lo com um tiro perfeito.

    Falava como um caçador, que se anima ao vencer um grande predador na selva. Assim como qualquer um que nunca tinha visto ou estudado sobre dragões, supunha que o animal fosse irracional e seguisse apena seus instintos basicos, assim como um crocodilo.

    - Oh, tchau Doppel. Eu tambem salvei ela, isso não conta pra equilibrar a balança ?

    Acenou com a mão, sem esperar uma resposta. Era uma pergunta retorica. Logo a seguir veio o estrondo, que não foi apenas ouvido, mas Zay conseguiu sentir o pequeno tremor pelo chão na hora do impacto. Afirmou com a cabeça pela sugestão dela e correu até a porta lateral oposta. Abriu-a com facilidade, mas virou-se olhando para o unico sobrevivente e então para ela. Com a mão ergueu o polegar e o mindinho, fazendo um "telefone" que encostava no capacete e sussurrou

    - Call you

    E então sumiu em meio as ruas escuras. O lacaio quase teve um infarto quando a cabeça do vampiro foi empalada por um espinho negro e então uma centena de novos espinhos sairam do nada, como se uma morning star estivesse nascendo. Ele se levantou cambaleando para trás, com a boca e o pescoço molhados de sangue.

    Gray punk: - D-de....te matar ?!

    O homem não conseguia entender aquilo. Ela havia salvo ele sem nenhum motivo e agora queria que ele a matasse ? Quanto tocou em sua cabeça ele apertou os olhos, achando que uma morning star ia nascer na sua cabeça tambem, mas nada aconteceu. O que sentiu foi exatamente o oposto: alivio. Era como se tivesse usando morfina apenas pelo toque. Se sentia melhor do que antes do tiroteio. Passou a mão na cabeça como se estivesse tentando tirar poeira, e confirmou com a cabeça, entendendo que tinha que sair agora. Fugiu pela porta principal da igreja, e a primeira informação que Nova recebeu da analise foi: "Fisiologia humana, modificada moderadamente pela presença de sangue vampirico"

    Seria um longo caminho até o local onde Venkar deveria estar. Teria que percorrer no minimo 15km até chegar ao ponto do estrondo. Com a cidade abandonada, os unicos residentes escondidos nos recantos mais escuros e protegidos, seria dificil encontrar algo para fornecer a carne que queria como presente ao dragão. Talvez tivesse sorte. Talvez....
    avatar
    Venkar

    Mensagens : 127
    Data de inscrição : 18/11/2015
    Idade : 41
    Localização : São José dos Campos

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Venkar em Qua Nov 02, 2016 10:12 am

    Assim que Yumi acordou entre as patas dianteiras do dragão, recebeu uma lambidona no rosto. Se já não estivesse encharcada com a garoa fina que caía, agora estaria com as lambidas de seu amigo. Ele a ouviu falar, perguntar porque ele tinha feito aquilo. Não sabia o que responder, em sua raiva sem controle não havia a reconhecido, tal como aquela vez na caverna que ela assumiu uma forma humana. Então tudo o que fez foi lambê-la e repetir sem parar:

    - Desculpe - Lambida.
    - Me desculpe - Lambida novamente.
    - Desculpe. - Mais uma lambida.

    Havia visto o ferimento terrível em seu braço, a queimadura que deixava visível a carne escura e disforme, mas estava tão infeliz com a situação que sua fome voraz não se despertou. Talvez sua companheira não poderia ver, já que estava chovendo, que de seus grandes olhos escorria um liquido levemente salgado. Estava feliz e ao mesmo tempo infeliz, não sabia explicar.

    Parou de lamber quando ela se levantou, e com a mão boa fez um encanto que pela expressão de seu rosto, a dor intensa do ferimento passou um pouco. Mal sentia as dores de seu próprio corpo, por causa do impacto violento. Tudo o que importava agora era....

    Estremeceu com o vento frio, mas não notou o fato da chuva agora cair na horizontal. Seu focinho se ergueu de imediato, tirando toda a atenção do dragão de Yumi, ao avistar o dourado vívido entre as frestas de uma construção abandonada, a poucos metros dali. Ouro!! Não bastasse sua cobiça egoísta que despertou de imediato, agora ouvia uma voz, algo que não ouvia há muitas estações. Ficou quieto como que em transe, absorvendo as palavras do outro dragão. Precisava chegar até lá....! Não podia deixar o pedido do semelhante esperar...!

    Tentou se levantar, porém ao fazer isso a dor de seus membros voltou com força total, causando um rosnar agonizante. Fechou os olhos e baixou de leve a cabeça, avistando Yumi que o olhava provavelmente sem entender. Estava mais uma vez dividido, entre sua companheira ferida, e OURO logo á frente. Olhava para ela, e depois para o ouro, de volta para ela. Não conseguiria levantar sem a ajuda do poder curativo dela... então...a lambeu mais uma vez.

    - Não consigo me levantar.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Praça de St. Sebastian

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Nov 21, 2017 5:54 pm